O Amor nas 4 Estações – Victor Degasperi



“A vida é sempre para ser vivida com o que é sentido.”

As quatro estações do ano despertam nas pessoas sensações e sentimentos diversos. Você pode sentir o frio do inverno, o vento gelado do outono, assistir ao surgimento das flores na primavera e viver intensamente o calor do verão. Mesclando tudo que as estações podem oferecer com o amor, você pode expressar o que sente, numa tarefa de reflexão e entrega profunda. Foi o que fez Victor Degasperi ao lançar-se no desafio de “viver um ano sentindo tudo” e transformar “cada fragmento de emoção em palavras”. Essa foi a proposta do autor de O Amor nas 4 Estações, livro publicado pela Faro Editorial em 2018 (175 páginas).

Antes de falarmos sobre o conteúdo, propriamente dito, não dá para passarmos despercebidos sobre o trabalho gráfico. Além de uma bela capa, o livro tem ilustrações nos textos, uma divisão das estações que enchem os olhos e um corte colorido que combina perfeitamente com cada uma das estações do ano. Todo esse trabalho torna o livro apetitoso para o leitor que o manusear e, folheá-lo, será por si só, uma rica experiência.


Começamos lendo os textos que foram escritos no outono. Textos que revelam os detalhes do amor. Um sorriso pode revelar a alma da pessoa amada, as noites podem ser aquecidas quando o eu da pessoa se aproxima (ou quando é carregada no coração), o beijo, o abraço, um toque, tudo isso se torna necessário.

“Amar é mais do que oferecer morada no peito, é cuidar para que lá sempre seja o melhor lugar para o outro estar.” E é o amor, no final das contas que toma o centro do livro. Os textos que mostram os sentimentos e sensações, que relatam sobre encontros e desencontros, a proximidade e a distância, o coração acelerado ou mais tranquilo, no fundo, falam sobre o amor (esse sentimento universal que marca o título do livro).

As coisas que existem entre um casal enamorado ou que está se conhecendo ganham um novo significado quando há amor, e tudo parece se tornar riqueza.

“Aprenderemos que venceremos sempre que quisermos, porque nada pode acabar com aquilo que aceita se modificar, se transformar e se reinventar para existir: o verdadeiro amor.”


No inverno continuamos falando de amor. Do amor que faz com que a aproximação seja desejada, que o sereno traz a presença da pessoa amada (mesmo quando a vontade era de esquecê-la), lemos sobre não parar de pensar, a noite que pede para que não vá embora, o renascimento, os aprendizados da vida (que são muitos), o encontro depois do beijo e outros tantos detalhes que cercam os dias.

Os textos que permeiam todos os sentimentos vividos e expressados no livro são curtos. Cada um deles tem uma ou duas páginas. Podem ser entendidos como crônicas, podem ser entendidos como relatos de um apaixonado, podem ser  interpretados como um diário no qual não se registra os fatos, mas sim as sensações e tudo que foi sentido pelo autor. Estão ali nas páginas os pensamentos que rodam uma relação, o que flui a partir do amor. Os textos em prosa poética carregam lirismo, sutilezas, metáforas, jogos de palavras e experiências singulares que tentam explicar aquilo que é sentido.

Falar de amor pode parecer utópico, piegas, careta, antiquado, mas esqueça quaisquer um desses adjetivos. Além de falar de amor, o livro nos traz uma proposta mais ampla que é a de prestar atenção aos detalhes daquilo que vivemos durante um ano, ver além das coisas, perceber aquilo que deixamos muitas vezes escapar, porque somos consumidos pela pressa dos afazeres, pela ansiedade que nos consome ou pela busca da praticidade que nos cega em ver o que nos pode ser caro.


As cores da primavera aparecem nos textos que representam tal estação. “O coração bate calmo, o sorriso se faz leve como as flores que despertam e a alma segue flutuando...” A percepção de um mundo que se torna mais colorido a partir da união de dois corações que se amam, o olhar que vê tudo simples na pessoa que recebe o amor, a saudade que surge ainda que o reencontro vá acontecer em breve, a percepção dos instantes da vida, ou melhor, dos instantes que se tornam bonitos na vida, o agradecimento a quem fez florescer o amor na estação.

“Um coração não pode nunca se limitar a sentir menos do que pode, porque o coração existe justamente para nos mostrar aonde podemos chegar.”

O calor do verão vem e com ele chega o abraço da alma, o abraço para a vida, o sentimento que brota porque deve ser sentido. “Sutilezas da vida... Que eu tenha a alma sempre viva para reconhece-las, serei alma viva de porta aberta.” Sentimentos diversos ressoam, como a plenitude de onde vive o amor, o estar bem por ver a pessoa amada feliz, quando o que se pode ser é o que foi entregue para a pessoa amada, o silencia, uma nova manhã.

Na última parte do livro temos o fechamento de um ciclo, somos levados a um novo outono.


O Amor nas Quatro Estações é um livro para ser lido com o coração aberto e disposto a sentir ou exercitar o sentimento que o autor exala em seus textos. Ora o leitor se verá reconhecido, ora não, tal qual o autor na jornada que se lançou ao escrever e, possivelmente no momento em que os relê. As imagens que são formadas a partir daquilo que lemos nos rementem, naturalmente, a tempos passados, a sentimentos que guardamos na memória, mas também nos diz sobre olhar atentamente para o que nos cerca no presente.

Em tempos em que tudo é imagem, tudo é exposição, tudo é ‘parecer ser’, o olhar para dentro de nós mesmos, da percepção das sutilezas que nos cercam, dos sentimentos que nos fazem passar pelo dia, parece-nos árduo. Com o livro percebemos que é perfeitamente possível. Leia, sinta, deixe-se levar pelo Amor nas 4 Estações.

Sobre o autor:

Victor Degasperi | Foto: Divulgação

Victor Degasperi é ator e psicólogo. Paulistano, cresceu em contato com a arte de suas avós pintoras e dos músicos de sua família. Começou a escrever nas redes sociais profissionalmente aos 23 anos de idade, e logo aquelas frases colocadas em folhas de árvores se tornaram tão importantes para milhares de pessoas quanto para ele. Buscando sempre um tom mais profundo, Victor em interesse por captar os detalhes e as sutilezas das emoções. Não é tarefa simples, pois precisa manter sua vulnerabilidade num mundo que só nos ensina a viver na defensiva. Suas propostas estão no limite do sentir, e, por isso, comover tantos leitores, ao mesmo tempo em que ensina e transforma a experiência de leitura num verdadeiro sopro de vida.

Ficha Técnica

Título: O Amor nas 4 Estações
Escritor: Victor Degasperi
Editora: Faro
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-9581-046-4
Número de Páginas: 176
Ano: 2018
Assunto: Literatura brasileira



O Amor nas 4 Estações – Victor Degasperi O Amor nas 4 Estações – Victor Degasperi Reviewed by Tomo Literário on 07:59 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui seu comentário.

Tecnologia do Blogger.