Mitologia Nórdica – Neil Gaiman



Mitologia Nórdica, de Neil Gaiman, foi publicado no Brasil em 2017 pela Editora Intrínseca, com tradução realizada por Edmundo Barreiros.

A mitologia é um assunto que desperta interesse em vários leitores. A mitologia retratada no livro (a nórdica) tomou conta dos países da Escandinávia por volta dos séculos VIII e IX. A saber envolve a Suécia, Noruega, Finlândia, Islândia e Dinamarca. Como outras mitologias, ela foi de fundamental importância para a constituição da cultura no passado desses povos, o que se reflete até os dias atuais em filmes, séries, livros e outros meios.

Entre tantos mitos que são difundidos ao longo do tempo, como a mitologia grega, a romana, a egípcia, a celta e outras, a mitologia nórdica, é para o autor, a que mais o atrai. Daí o fato de construir então o seu livro, contando sobre mitos nórdicos por meio de contos. E, sem dúvida, os mitos nórdicos tem influência no trabalho de Neil Gaiman como escritor, como se pode constatar em Sandman, Filhos de Anansi e Deuses Americanos.

Os quadrinhos, possivelmente, tenham sido o primeiro contato de muitos de nós com a referida mitologia. Veja-se as histórias de Thor e seu martelo, publicadas pela Marvel e que, depois, levou o herói para as telonas. Com Gaiman não foi diferente. Na abertura do livro o autor diz que tal foi o seu primeiro contato com a mitologia nórdica.

Gaiman reconta mitos nórdicos ao longo de 286 páginas, mantendo o seu estilo. Nos deparamos com uma série de deuses que fazem parte das histórias, e que aqui são apresentados na visão do autor: Odin, Thor, Loki, Freya, por exemplo, são deuses que aparecem na obra.

“Eu me empenhei ao máximo para manter os mitos o mais próximo possível do original, e para recontá-los da forma mais interessante que consegui.” – Relata Neil Gaiman na apresentação do livro.

Odin é o mais poderoso e também o mais velho. Odin recebe vários nomes. “É o Pai de Todos, o Senhor dos Mortos, o deus da forca. É o deus das cargas e dos prisioneiros. É chamado de Grímnir e de Terceiro. Recebe um nome diferente em cada país...” Thor é filho de Odin e considerado aquele que forja trovões. É de longe o mais forte dos deuses. Força esta que é aumentada pelo uso de seu cinturão, Megingjord. Forjado pelos anões, Thor empunha sua arma, o martelo Mjölnir. Loki é descrito como bonito, sensato, simpático, convincente e  “o mais astuto de todos os habitantes de Asgard”. No entanto, Loki também tem raiva, inveja e cobiça. Filho de Laufey ele é “o Pai de Monstros, o autor dos infortúnios, o deus da trapaça”. Esses três personagens são os que mais ganham destaque nos contos presentes na obra.

Gaiman inicia o livro falando sobre a sua admiração pela mitologia nórdica e depois segue para os contos propriamente ditos. Ao todo são quinze as histórias que compõe o livro: Antes do princípio e o que veio depois; A Yggdrasill e os nove mundos; A cabeça de Mímir e o olho de Odin; Os tesouros dos deuses; O mestre construtor; Os filhos de Loki; O casamento incomum de Freya; O Hydromel da poesia; Thor na terra dos gigantes; As maçãs da imortalidade; A história de Gerda e Frey; A pescaria de Hymir e Thor; A morte de Balder; e Os últimos dias de Loki e Ragnarök: o destino final dos deuses.

Note-se que os contos tratam desde a origem do mundo, passando pelas relações entre os deuses e gigantes, chegando ao Ragnarök, o fim do mundo.

Na edição publicada pela Intrínseca, em capa dura e com um trabalho gráfico de qualidade, temos contos que são um prato cheio para quem gosta de fantasia. A mitologia que busca explicar origem de coisas com as quais lidamos no dia a dia, traz grandes heróis, histórias épicas e realizações de grandes feitos.

A criação do mundo (Antes do princípio e o que veio depois), a origem dos terremotos (Os últimos dias de Loki) e até a origem da poesia (O Hidromel da poesia) são exemplos de histórias mitológicas que são utilizadas para dar explicação e sentido à existência de certas coisas que estão no nosso mundo.

A maneira como Gaiman conta as histórias traz tragédias, reflexões e até comicidade em algumas passagens. Apesar de os contos terem uma linearidade temporal, percorrendo do início do mundo até o seu fim, eles podem ser lidos em qualquer ordem, sem prejuízo de entendimento.

No final da obra tem um glossário que ajuda o leitor a se aproximar ainda mais do universo mitológico nórdico citando deuses, anões, lobos, elfos, acessórios, armas, gigantes, navegações e outras coisas mais que fazem parte do tema.

São quinze histórias fascinantes que merecem ser lidas e relidas.

Foto: Reprodução
Sobre o autor

Neil Gaiman descobriu seu amor pelos livros na infância e devorava as histórias de C. S. Lewis, J. R. R. Tolkien, James Branch Cabell e Edgar Allan Poe, entre outros nomes, e hoje é considerado um dos dez maiores escritores pós-modernos vivos. Tem mais de vinte títulos publicados e já foi agraciado com inúmeros prêmios literários. Começou a carreira como jornalista, mas logo seu talento para construir tramas e universos únicos foi levado para o mundo dos quadrinhos, com a aclamada série Sandman, e, depois, para a ficção, publicado obras memoráveis como Deuses Americanos. Algumas de suas obras foram adaptadas para o cinema e para a televisão. Nasceu em Hampshire, Inglaterra, e hoje mora nos Estados Unidos.

Ficha Técnica

Título: Mitologia Nórdica
Escritor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-510-0128-8
Número de Páginas: 286
Ano: 2017
Assunto: Mitologia / contos

Simon Vs a Agenda Homo Sapiens vira filme: Love, Simon!



A 20th Century Fox lançará em 2018 Love, Simon!, filme com Nick Robinson, Katherine Langford, Jennifer Garner e Josh Duhamel. Inspirado no livro Simon vs. a Agenda Homo Sapiens, romance de  Becky Albertalli, a estreia da versão cinematográfica está prevista para o dia 22 de março. 

O filme conta com direção de Greg Berlanti, responsável por séries como Arrow, Flash e Supergirl. A história trata da vida de Simon, um adolescente de dezesseis anos que tem uma paixão secreta. O jovem também se questiona sobre a necessidade de contar aos pais e amigos que é gay.

O livro foi publicado no Brasil pela Editora Intrínseca em 2016 (272 páginas). Na publicação, durante a troca de e-mails que Simon tem com um jovem chamado Blue, eles tratam de homossexualidade, mas também falam sobre relações familiares, amizade e acontecimentos cotidianos.

Simon chega a ser chantageado, quando seu antagonista, chamado Martin, tem acesso ao e-mail de Simon sabendo, pois, sobre as conversas secretas que ele tem. Em troca de não contar a todo mundo o segredo de Simon, Martin exige que ele o ajude a se aproximar de Abby (uma garota por quem ele é apaixonado).

A escritora Becky Albertalli é psicóloga e por sete anos foi orientadora de um grupo de apoio em Washington para crianças com não conformidade de gênero. Simon Vs. a Agenda Homo Sapiens foi o seu primeiro livro e não faltam abordagens sobre aceitação do outro (independente de sua sexualidade), a relação e diferenças entre pais e filhos,  acolhimento de amigos nos momentos de dificuldade, preconceito, invasão de privacidade, bullying, entre outros. Mas os assuntos são tratados de maneira leve, jovial e agradável. Becky utiliza de humor em muitas passagens do livro.

“Os leitores vão se apaixonar perdidamente por Simon,” (Publishers Weekly)

“Um romance sensível e envolvente que aborda com maestria a construção da identidade, a dificuldade de mudar e a importância do amadurecimento.” (Booklist)

Aguardemos o filme!

Confira o trailer.


[Resumo da Semana] 14 até 20 de Janeiro de 2018


Na semana de 14 até 20 de janeiro teve resenha, livro infantil, revelação de capa, lançamentos e muito mais aqui no Tomo Literário. Se perdeu alguma postagem, confira:

14 de Janeiro – Resenha do livro Os Últimos Casos de Miss Marple, de Agatha Christie, publicado pela Editora L&PM.

15 de Janeiro – Resumo da semana anterior.

15 de Janeiro – Areia na praia, uma narrativa que vai além da simples amizade entre uma criança que adora a praia e o seu animal de estimação.

15 de Janeiro – Revelação da capa de Violet, livro de Giuliana Sperandio, que será lançado pela Editora The Books.

16 de Janeiro – Conheça Umami: A Receita da Vingaça, livro de Alan Santiago, publicado pela Editora PenDragon.

17 de Janeiro – Resenha do livro Um Martini com o Diabo, de Cláudia Lemes, publicado pela Editora Empíreo.

18 de Janeiro – A procura pela felicidade nunca foi tão arriscada. Novo livro de Josy Stoque tem mistério policial viciante e muito romance.

19 de Janeiro – Do incrível ao bizarro, uma enciclopédia de arte vintage, medieval e vitoriana. Novo projeto da Editora Wish homenageia livros antigos, ilustradores e autores.

20 de Janeiro – Novelas Nada Delicadas, novo livro de Marcos Well, coloca o fetichismo em cena. Em breve terá pré-venda.

20 de Janeiro – Resenha do livro Marketing 4.0, de Philip Kotler, Hermawan Kartajaya e Iwan Setiawan, publicado pela Editora Sextante.

Escuridão no Fim do Túnel – Henrique de Micco



“O show de horrores vai começar!”

Tomas, reunido com seu filho, conta a ele histórias sobrenaturais que permeiam a vida de outras pessoas. As histórias levam o leitor a crer que são totalmente independentes. E, na sala da casa, Tiago anuncia que as histórias (o show de horrores) vai ter início. Logo de início, podemos sentir o clima de conversas sobre o obscuro que ocorrem entre amigos, entre parentes ou colegas. Quem nunca esteve numa roda de pessoas em que histórias arrepiantes foram contadas? Embora eles estejam reunidos na sala é como, se na fantasia do filho, o leitor fosse levado para outros lugares em que as histórias de terror serão contadas.

“Seus pensamentos foram interrompidos por uma mão enorme que segurou seu ombro. A respiração que batia em sua nuca era fria e trazia consigo o cheiro da morte.” Trecho da primeira história que traz Talia no centro da narrativa. Um acidente acaba envolvendo algo sobrenatural e inexplicável. É, pois, o primeiro contato do leitor com uma das histórias sombrias que lerá adiante.

Seguindo a leitura chegamos a Dedo no Gatilho. Fred e uma menina misteriosa se apresentam. “Ele havia vencido uma depressão que quase lhe tirara a vida há cerca de dois anos, mas ainda costumava sentir-se engolido pela rotina de vez em quando, embora não tivesse coragem de sair dela.” Ao ter contato com a misteriosa criança que ele é conduzido por um caminho escuro.

Encomenda Suspeita é a sequência. Uma caixa que chega para Iolanda traz também escuridão e uma surpresa nada agradável. E o leitor acompanhará ainda uma história de olhos que observam um determinado homem (Sob Olhares Escondidos).

Pausa Para Um Café faz a ligação entre o início do livro e dá aos leitores uma noção do que virá no desfecho. Torna-se, portanto, uma importante parte da história que interliga todas as outras, embora ainda não seja a conclusão do livro. Aqui, deve ser ressaltado um ponto interessante. O autor Henrique de Micco manteve as histórias como se fossem isoladas, mas conseguiu muito bem deixar vestígios ao longo delas que são revelados no final.

“Eu voltei da morte. Essa lanterna me foi entregue por um anjo de asas negras! Eu estava em um túnel. Um túnel sem fim, eu presumo, pois não havia luz nenhuma indicando uma saída.” Trecho do capítulo O Viajante Misterioso, que ao ser lido traz na sequência Seja Luz, que é a parte final da obra.

O autor tece uma trama sobrenatural que vai se tornando mais densa à medida que avançamos cada um dos capítulos. Interessante observar que, no início, aquilo que parece ser isolado e que vai caminhar para um desfecho, toma outro caminho quando o fio condutor da trama nos é revelado, já bem no fim do livro. Tudo então se modifica e, mais, tem total conexão com todo o texto que nos fora apresentado antes. Surpresas assim são ótimas em livros de terror, pois mexem com o imaginário do leitor e ao mesmo tempo tornam a história mais atrativa e impactante.

Embora seja um livro de terror – o que é inegável  – há uma mensagem deixada pela obra, que por meio da história contada, metaforicamente, dá o recado a quem lê. Nós (todos) somos capazes de escolher! Nós podemos ser algo de bom, em meio ao mundo cruel em que vivemos, diante de tantos eventos soturnos que nos rondam e de tanta maldade que se dissipa. Mesmo diante de tanta influência negativa a que somos submetidos, que podem nos conduzir à escuridão, nós ainda temos a capacidade de escolha.

Me surpreendi positivamente com a leitura que foi realizada em três madrugadas. O silêncio da noite e as páginas luminosas do tablet, deram um ar lúdico, tornando a aventura pela história prazerosa. Ouvi, como o menino, atentamente as histórias contadas por seu pai. Li a história contada pelo autor, como se tivesse embarcado naquele show de horrores a que o personagem se refere no início. Escuridão no Fim do Túnel é um livro arrepiante!

Uma dica aos leitores: pegue sua lanterna e deixe-se levar pela escuridão.

Foto: Reprodução
Sobre o autor:

Henrique de Micco nasceu na cidade de São Paulo e descobriu ainda na infância a paixão pela literatura. Possui o primeiro volume de uma tetralogia fantástica publicado, de título “O Último Ceifador: Elo Dimensional”, além do e-Book “Escuridão no Fim do Túnel”.

O autor criou um gosto especial também pela escrita de contos, tendo sido selecionado para compor sua primeira antologia no ano de 2017; trata-se do livro “Vampiro”, lançado pela editora Empíreo em outubro deste ano. O projeto visa homenagear os 120 anos da obra “Drácula”, de Bram Stoker.

Ficha Técnica

Título: Escuridão no Fim do Túnel
Escritor: Henrique de Micco
Editora: Independente (Disponível na Amazon)
Formato: E-book
Número de Páginas: 105
Edição: 1ª
Ano: 2017
Assunto: Terror