[Wattpad] O que posso aprender com Dona Enilda?, de José Falero



Mais uma dica de leitura. O conto O que posso aprender com Dona Enilda?, de José Falero.

O conto é narrado em primeira pessoa, por Jéssica, uma estudante de direito que se vê em dificuldade com o seu português. Recebe a indicação da mãe para procurar Dona Enilda, uma ex-professora.

A jovem a procura e elas passam a ter um diálogo sobre a linguagem. O papo se estende para outras questões que envolvem o ser humano e que são interpretadas por Dona Enilda.

Um conto bem escrito com uma personagem que dá vontade de sentar para tomar um café, comer um bolo de cenoura e debater sobre o que ela fala.

O conto pode ser lido no Wattpad em:

Instituto Pró-Livro abre inscrições para a 2° edição do Prêmio Retratos da Leitura



Organizações Sociais; Mídia; Bibliotecas públicas e comunitárias e cadeia produtiva do livro, que promovem projetos de fomento a leitura, podem concorrer ao Prêmio e cadastrar e divulgar essas ações na Plataforma Pró-Livro

Estão abertas as inscrições para o 2º Prêmio Retratos da Leitura, organizado pelo Instituto Pró-Livro (http://prolivro.org.br) que, entre tantas iniciativas de fomento à leitura realiza a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil (veja a íntegra da pesquisa em www.prolivro.org.br), maior e mais completo estudo sobre o comportamento leitor do brasileiro.

Motivado pela missão de transformar o Brasil em um país de leitores e pelo compromisso de investir em ações para melhorar os indicadores de leitura revelados pela pesquisa, o IPL lançou a Plataforma Pró-Livro, com o objetivo de mapear, valorizar e difundir as iniciativas de incentivo à leitura que acontecem nos diversos rincões pelo Brasil afora. O Prêmio, lançado com a Plataforma, veio para coroar os melhores projetos, homenagear e estimular o intercâmbio de experiências promovidas por tantas entidades.

No ano passado foram contemplados projetos como Skoob; Expedição Vaga Lume; Companhia das Letras – Projeto Clube de leitura com remição de pena; Rede Bibliotecas Parque Estadual do Rio de Janeiro e Globo News Literatura. Para a edição de 2017, as inscrições vão de primeiro a 31 de agosto. Vale lembrar que é preciso fazer a inscrição para concorrer ao Prêmio, mesmo que já tenha cadastrado o projeto na Plataforma. Para fazer a inscrição ao prêmio, cadastrar ou atualizar o projeto cadastrado, acesse a Plataforma Pró-Livro (www.plataforma.prolivro.org.br), leia o regulamento e siga as orientações.

Como no ano anterior, serão escolhidos projetos em quatro categorias: Empresas da cadeia produtiva do livro; Organizações Sociais; Mídia; Bibliotecas públicas e comunitárias. Uma equipe de especialistas fará uma seleção prévia dos finalistas e uma comissão de jurados elegerá três vencedores para cada uma das categorias. A entrega da segunda edição do prêmio ocorrerá em novembro de 2017.

Além de ser um reservatório de projetos de incentivo à leitura, a Plataforma Pró-Livro também possibilita o intercâmbio de informações, pois oferece espaço para fóruns de discussões, acervo digital de estudos, teses, publicações e artigos voltados à leitura, alimentado pelos próprios usuários e, também pela curadoria do IPL. Além de poder usufruir de notícias sobre o setor, acerca do prêmio e sobre outras inciativas da área de promoção de leitura, formação leitora e acesso ao livro.  “Esta ferramenta ainda é nova, mas tem muito a crescer e a acrescentar ao mercado, pois reconhece ações exitosas já em prática pelo Brasil e estimula mais instituições a incentivarem a leitura, alcançando um maior número de pessoas, para, em um futuro não muito distante, nos tornarmos uma sociedade que desfrute dos benefícios promovidos pela leitura”, completa Zoara Failla, coordenadora da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil e gerente executiva do Instituto Pró-Livro.

O prêmio visa incentivar e dar visibilidade às iniciativas exitosas e fazer do Brasil um país de leitores”, conclui Luis Antonio Torelli, presidente do Instituto Pró-livro (IPL).

Sobre o Instituto Pró-Livro:

O Instituto Pró-Livro (IPL), foi criado no final de 2006 pelas entidades do livro – Abrelivros, CBL e SNEL, com o objetivo principal de fomento à leitura e à difusão do livro. Iniciou suas atividades em 2007. Atualmente é  mantido pelas entidades fundadoras e por contribuições voluntárias de editoras.  As entidades do livro, representando a cadeia produtiva, fundaram o Instituto Pró-Livro assumindo o compromisso de responsabilidade social junto a representantes do governo e sociedade civil, para a promoção de ações de fomento à leitura, orientado pela missão de transformar o Brasil em um país de leitores. O IPL realiza periodicamente a pesquisa Retratos da Leitura do Brasil, maior e mais completo estudo sobre o comportamento do leitor brasileiro, para avaliar impactos, orientar políticas públicas do livro e da leitura, promover a reflexão e estudos sobre os hábitos de leitura do brasileiro e, desta forma, melhorar os indicadores de leitura e o acesso ao livro. www.prolivro.org.br

[Wattpad] Manto de Nós, de Camila M. Guerra



Nas minhas incursões pelo Wattpad, agora trago a indicação do conto Manto de Nós, de Camila M. Guerra.

O personagem que narra a história não se apresenta. Faz a narrativa em primeira pessoa expondo seus sentimentos aflitos. Nota em si as dores, as cicatrizes de uma vida, o seu manto de nós (que pesam).

De maneira metafórica e lírica a autora adentra bem as nuances que esse personagem confessa aos leitores. Em certos pontos o lirismo vem acompanhado de frases rimadas.

Um conto que de maneira leve, mas sem superficialidade, leva o leitor aos recônditos profundos da alma e do desejo do narrador.

A história está disponível em:

Claro, Cleusa. Claro, Clóvis - Um livro que fala de amizade



A Editora do Brasil acaba de lançar a obra infantojuvenil Claro Cleusa. Claro Clóvis., que trata sobre a temática da amizade.

O relacionamento entre os personagens, descritos em figuras geométricas, faz de “Claro, Cleusa. Claro, Clóvis” um livro com linguagem visual criativa e lúdica, que possibilita ao leitor imaginar novas formas de construção de desenhos e de relações que a amizade proporciona para quem a cultiva.

No dia 29 de julho, das 15 às 18hs, na livraria NoveSete (R. França Pinto, 97 - Vila Mariana, São Paulo - SP, 04049-020) a autora Raquel Matsushita apresentará e recitará trechos da obra. O evento será aberto ao público.

Sobre o livro:

A amizade pode se manifestar de muitos jeitos. Com uma linguagem visual nova e lúdica, formas geométricas representam os personagens desse livro, que conta a história de dois amigos que fazem tudo juntos e se completam perfeitamente. Até que algo inesperado acontece, fazendo com que eles descubram que, quando o assunto é amizade, sempre cabe mais um. Este livro trata de temas como comportamento, sociabilidade e relacionamentos de um jeito diferente e bastante divertido.

Sobre a autora:

Raquel Matsushita nasceu e mora em São Paulo. É escritora, ilustradora e designer gráfico. Adora as formas geométricas e do que é capaz ao brincarem juntas. Graduou-se em Publicidade e Propaganda pela Universidade Metodista de São Paulo, e especializou-se nos cursos de Design Gráfico, Cor e Tipografia pela School of Visual Arts de Nova York, onde também foi colaboradora do escritório de design Linda Kosarin Studio. É também escritora dos livros A bola do vizinho (finalista do Prêmio João de Barro); Não, sim, talvez (finalista do Prêmio Jabuti); Eu (não) gosto de você!; e Alfabeto escalafobético (em coautoria com Claudio Fragata, vencedor do Prêmio Jabuti).

Sobre a Editora do Brasil:

Fundada em 1943, a Editora do Brasil atua há mais de 70 anos com a missão de mudar o Brasil por meio da educação. Como empresa 100% brasileira, foca a oferta de conteúdos didáticos, paradidáticos e literários direcionados ao público infantojuvenil. Foi fundadora da CBL, SNEL, FNLIJ, IPL e da Abrelivros. Os títulos estão disponíveis para comercialização por meio da loja virtual da Editora Brasil (http://www.editoradobrasil.com.br/lojavirtual/) ou nas lojas físicas, em São Paulo (Rua Conselheiro Nébias, 887 – Campos Elíseos, São Paulo - SP), Rio de Janeiro (Rua do Bispo, 150 - Rio Comprido-RJ) e Natal (Rua dos Caicós, 1533 – Alecrim, Natal- RN).

[Entrevista] Lisa Hallowey



Lisa Hallowey é o pseudônimo de Elisangela Domingos da Silva, natural de São Paulo. A escritora que começou a escrever e publicar por meio de incentivo de amigos nas redes sociais, concedeu entrevista ao Tomo Literário. Lisa falou sobre carreira, livros, processo de escrita, novos projetos e muito mais.

Tomo Literário:  Para começar nos fale como foi o início de sua carreira literária.

Lisa Hallowey: Primeiramente, queria agradecer vocês por me convidar para essa entrevista e falar um pouco sobre essa experiência maluca que estou tendo. Bom, eu comecei a escrever na sétima série, por causa de um professor de português que inventou de fazer um projeto, onde cada aluno escreveria um livro em casa, e leria em sala de aula. Infelizmente, não deu certo. Mas eu e umas amigas continuamos escrevendo. No começo, eu escrevia e jogava fora. Guardei só dois contos, dos quais eu gostei do enredo. Voltei a escrever mesmo e mostrar meus textos e poemas, faz mais ou menos 3 anos em um grupo no Facebook, onde muitos me incentivaram a continuar. Era só um hobby, uma diversão para espantar os meus demônios. Nunca quis ou imaginei ser escritora. Achava que o que eu escrevia era idiota ou que ninguém iria gostar. Mas depois que conheci a Rosana Mierling através de um projeto que ela fez o ano passado, e a Editora Illuminare, comecei a levar mais a sério. Principalmente, depois das palavras dela e de ganhar o primeiro concurso Internacional de Escritores Malditos, da Editora, com a categoria Illuminare. Foi ai onde comecei a ver que o que eu escrevia até que era bom. 

Tomo Literário:  Contos de terror, suspense e sobrenatural estão entre suas produções. Como é lidar com o lado sombrio do ser humano?

Lisa Hallowey: Bom, vou usar uma frase aqui que vi uma vez enquanto fazia pesquisa para meus contos, e que me serviu de inspiração: “Todos temos um lado sombrio, quem não tem, não pode ser um ser humano”. Paulo Godoi.

Todo ser humano tem um lado sombrio. Tudo tem seu lado bom e mal. Luz e trevas. Mas ninguém quer assumir seu lado obscuro. Sempre arruma uma desculpa para seus atos criminosos. Um exemplo disso, são alguns psicopatas. Quando você pergunta a eles o porquê de ter cometido tamanha crueldade, eles dizem que tiveram uma visão de Deus, um anjo essas coisas, das quais, mandaram eles cometer esses crimes. Nunca assumem que fizeram porque tiveram vontade. Tiveram prazer. Então isso se torna difícil de lhe dar na vida real, já que o ser humano insiste em esconder seu lado “sombrio”.

Tomo Literário: Você tem publicações em antologias e também no Wattpad. Como é, para você, o uso dessa plataforma de publicação?

Lisa Hallowey: Confesso que não escrevo muito lá. Só publiquei dois contos das Antologias que participei, e tem um livro que comecei a escrever, mas parei no segundo capitulo. Prefiro ler por enquanto. Mas acho que é uma forma bem interessante de você mostrar o seu trabalho e conhecer novos leitores e escritores, e interagir, saber sobre suas opiniões a respeito da sua escrita. 

Tomo Literário: Na sua visão, quais são os maiores desafios do escritor brasileiro atualmente?

Lisa Hallowey: Acho que não só pra mim, como para todos os escritores nacionais, principalmente para os que estão começando agora, é ser reconhecido. Aqui no Brasil, isso ainda continua sendo um problema. As pessoas preferem a literatura estrangeira. Dão mais créditos aos de fora. Alguns ainda acham que não somos capazes de escrever algo que chame a atenção. E eu por ser escritora de Antologia, acho que fica até um pouco mais difícil de ser levada a sério.

Tomo Literário: Você participou da coletânea Semente da Paz Internacional. Fale um pouco sobre essa publicação.

Lisa Hallowey: Foi uma surpresa pra mim. Quem me indicou foi uma professora que dá aula na escola onde estudei. Conheci ela o ano passado, e ela gostou das coisas que escrevia. Achou que eu deveria participar. Me falou que o tema era referente a paz, e que tinha certeza que eu conseguiria escrever. Confesso que fiquei meio assim, nunca havia escrito ou pensado nesse assunto. Mas como uma boa aprendiz de escritor, aceitei o desafio. 


Tomo Literário: Como é o seu processo de escrita? Tem algum horário ou lugar preferido?

Lisa Hallowey:  No começo, eu não seguia nenhum processo. Apenas escrevia o que vinha na cabeça, e muitas vezes me perdia. Ai o ano passado fiz uma Oficina Literária, onde aprendi umas técnicas que me ajudam agora a me organizar melhor. Um plano de escrita. E não, não tenho horário para escrever e nem local preferido. Ando sempre com uma caneta e um bloco de notas na mochila, e quando estou em um lugar onde não tenho como usa-los, uso o celular para escrever. Nunca se sabe quando vai surgir uma ideia maluca. 

Tomo Literário: Está trabalhando em algum projeto literário? Pode nos contar um pouco sobre eles?

Lisa Hallowey: Estou escrevendo dois livros de contos. Um de psicopatas e outro com contos diversos. Também estou com a ideia para um livro, onde farei um convite a um amigo e vê se ele topa. Será um romance policial baseado no meu Serial Killer favorito (não vou dizer quem é). Vou tentar algo novo.

Tomo Literário: Quais são os autores que te influenciaram ou que te inspiram?

Lisa Hallowey: Sem dúvidas o mestre Stephen King e a nossa rainha do crime Agatha Christie. E ultimamente, estou me inspirando também no Raphael Montes e na Illana Casoy, quando se trata de pesquisa de campo para montar o perfil dos meus psicopatas. 

Tomo Literário: Que livros, de quaisquer gêneros, você indicaria aos leitores? De que forma eles te tocam?

Lisa Hallowey: O primeiro seria O Iluminado do mestre King. Esse é meu livro favorito, posso ler quantos forem, esse sempre será meu xodó. Andar nos corredores do Overlook me dá ideias macabras. Segundo seria Suicidas, do Raphael Montes. Esse livro me prendeu muito. A ideia do suicídio é algo que me fascina e chama atenção. O terceiro, também do Raphael Montes é o Jantar Secreto. Esse livro é incrível. Tem um toque “irônico”. Imaginar um jantar a base de carne humana, é simplesmente fantástico! (Ainda bem que não como carne).

Tomo Literário: Gostaria de deixar algum comentário para os leitores?

Lisa Hallowey: Dêem mais valor à literatura brasileira. Existem muitos escritores fantásticos, basta vocês darem uma chance a eles de mostrar seu talento.

Foto: Reprodução
Mais sobre a autora:

Lisa Hallowey tem 30 anos, e começou a escrever e publicar seus rabiscos, nas redes sociais e participar de Antologias a pouco mais de três anos, sendo incentivada por alguns amigos. Pela Editora Illuminare, já participou de algumas Antologias: Meu Lado Sombrio, Contos de Fadas- Releitura da Realidade, Psicopatas, Anjos e Demônios, Hauting e Poltergeist, Contos de um Natal sem Luz, Entre o Bem e o Mal, Vida e Poesia. Participou e ganhou em 1° lugar, com a categoria Illuminare, o primeiro 1°Concurso Internacional de Escritores Malditos, da Editora Illuminare. Ficou em 4° lugar no concurso FLAL Concurso de Contos e Poesias, com uma poesia. E participou de uma Oficina Literária, com livro publicado, o Avenida Murkinesse 666. Também participou da Coletânea Semente da Paz. E faz parte do revista Litere-se como colunista.

Antologias com participação da escritora:


Para ler no Wattpad:

Era Uma Vez

Releitura do conto Branca de Neve e o Sete Anões.  Mas, como avisa a autora, não existe final feliz.

Leia aqui.

Confissões de Uma Mente Diabólica

Um acidente que transformou uma garota doce em uma serial killer.

Leia aqui.

Lembranças de Uma Suicida

Lisa vivia em um Sanatório, trancada em um quarto sem janelas. Foi internada por causa dos sonhos que tinha. Sonhos estranhos. Sonhava com suas vidas passadas. Em todos, ela morria, ou melhor se matava. Raphael, seu Anjo da Guarda, tentava fazer ela mudar de ideia. Mas sempre chegava tarde. Passava boa parte do tempo dormindo. Quando acordava, relatava em um caderno o que sonhou. Assim que terminava, um enfermeiro vinha e a dopava fazendo ela dormir de novo. Pegava seu caderno, tirava as paginas escritas e levava embora.

Leia aqui.

Acompanhe Lisa Hallowey no Wattpad:

https://www.wattpad.com/user/ElisangelaDomingosda