[Entrevista] Marissol Lourenço



Marissol Lourenço é psiquiatra, psicoterapeuta junguiana e escritora. Autora dos livros O Canto do Carcará e Mineirices do Cerrado e O Rei do Congo, participou da antologia De A a Z – Contos Selecionados, publicada pela Editora Illuminare. A escritora falou ao Tomo Literário sobre seus livros, o mercado literário, autores que a inspiram e muito mais. Confira a entrevista.

Tomo Literário: Como foi o seu primeiro contato com a literatura e como você se descobriu escritora?

Marissol Lourenço: Lembro que minha infância foi colorida por personagens de Monteiro Lobato e pela Série Vaga-Lume. Desde então, os livros têm sido meus presentes preferidos. Atualmente, sustento minha paixão lendo narrativas históricas e poesia. Amo as obras de Ildefonso Falcones, José Saramago e Mia Couto.

Acho que me descobri escritora por necessidade. Minha mente funciona por imagens. Crio cenas e personagens na fantasia, que exigem espaço e expressão. Sempre escrevi, mas a ousadia de exibir o que produzo e publicar é relativamente recente.

Tomo Literário: Você participa da antologia Contos Selecionados de A a Z, que foi publicado pela Editora Illuminare e lançado recentemente na 8ª Tarde Literária. Do que se trata o seu conto?

Marissol Lourenço: Nessa antologia, eu fiquei com a letra T. Meu conto “Testemunha” é a história de uma mulher sedutora e ambiciosa. Tolhida pelos costumes interioranos e pelos valores patriarcais, ela busca ascenção social e financeira com as armas que pode.

Tomo Literário: Como foi participar do evento de lançamento do livro ao lado de outros escritores?

Marissol Lourenço: Foi maravilhoso participar do evento. A troca de experiências com outros escritores foi riquíssima. Os contatos foram preciosos.

Tomo Literário: Você tem um livro chamado O Canto do Carcará e Mineirices do Cerrado. Poderia comentar um pouco sobre o livro?

Marissol Lourenço: Trata-se de um livro de mini-contos, que retratam a vivência sertaneja, do Norte do Estado de Minas Gerais. Falo da dureza terrosa de quem resiste ao sol e à seca. É intimista, como tudo que eu escrevo. Mais do que o ambiente, é sobre como o indivíduo sente e interage com o inóspito, criando belezas improváveis.


Tomo Literário: O Rei do Congo é outro de seus livros que está disponível no Clube de Autores. Como surgiu a ideia do livro?

Marissol Lourenço: A ideia surgiu do fascínio pelas festas folclóricas de Minas Gerais. Então, resolvi criar uma fantasia sobre a primeira Congada, festa em homenagem a Nossa Senhora Do Rosário. Nessa fantasia, trago elementos do sincretismo religioso brasileiro, num período em que a pecuária substituía a extração de ouro e pedras preciosas e o conforto da Mãe ajudava a suportar os desmandos e a crueldade da escravidão.

Tomo Literário: Como você vê atualmente o mercado literário, sobretudo para as escritoras?

Marissol Lourenço: É um mercado no qual eu própria arrisco os primeiros passos. Acredito que o importante seja produzir o que a alma manda e expor ao público, arriscar.  O mercado de e-books parece o caminho para o futuro. Escritoras contemporâneas, como Fabiane Ribeiro, são inspiradoras e mostram que há possibilidades de crescimento.

Tomo Literário: De modo geral o que te inspira a escrever?

Marissol Lourenço: Sentimentos e reações humanas me inspiram. As luzes e sombras da alma me apaixonam e me estimulam a escrever.

Tomo Literário: O fato de ser psiquiatra e psicoterapeuta junguiana te ajuda na construção dos seus personagens?

Marissol Lourenço: Sim, sem dúvida. Minha escrita é intimista. Passeio pelo cruel, o profano e o místico. Escutar o sofrimento psíquico durante tantas horas do dia, ao longo dos anos, formatou meu espírito e trouxe profundidade aos personagens que me visitam e surgem.

Tomo Literário: Você está preparando algum novo projeto literário? Pode nos adiantar alguma informação?

Marissol Lourenço: Sim, estou trabalhando numa antologia de contos. Posso adianrar que, dessa vez, procuro mergulhar nas vivências de mulheres, no cotidiano feminino.

Tomo Literário: Quais são os autores que você admira ou que de alguma forma influenciaram no seu trabalho como escritora?

Marissol Lourenço: Admiro a narrativa fluida de Isabel Allende, Valeria Montaldi, Maria Dueñas e Carlos Ruiz Zafon. Confesso amor eterno por José Saramago e Ildefonso Falcones.
Comovo-me com Mia Couto.

Tomo Literário: Que livros, de quaisquer gêneros, você recomendaria aos leitores? Está lendo algum atualmente?

Marissol Lourenço: Recomendo “Um poema para Bárbara” de Monica Sifuentes. Um romance sobre inconfidentes, poetas árcades, ideias iluministas e amor profundo. Gosto demais, e sempre recomendo “O Cozinneiro do Rei”, de Zé Rodrix. A história do Brasil deliciosamente contada em aventuras e pratos. Atualmente, estou lendo “O labirinto dos Espíritos” de Carlos Ruiz Zafon.

Tomo Literário: Gostaria de deixar algum comentário para os leitores do blog?

Marissol Lourenço: Fico feliz e honrada com a oportunidade de falar sobre literatura e de divulgar o que tenho produzido. Muito obrigada!

Conheça os livros da autora:

De A a Z Contos Selecionados – Conto: Testemunha



Rei do Congo


O tempo do ouro e dos diamantes nas Geraes se acabava, dando lugar à pecuária. Assim, nasce a produção de queijos na Região do Serro do Frio. A proibição do tráfico negreiro não impede que a costa brasileira receba novos navios lotados, mas a ideia de abolição surge como um sussurro. O desamparo de homens e mulheres escravizados não lhes tira a fé, que se fortalece e cria uma mistura única, capaz de fazer a ponte entre elementos genuinamente africanos e o catolicismo. Esse é o cenário para aventuras e amores vividos com a intensidade do sol desses Brasis.

Disponível no Clube deAutores.

O Canto do Carcará e Mineirices do Cerrado


Nesse livro, trago histórias ambientadas no Norte de Minas Gerais, na região da Serra geral. São narrativas terrosas, duras, plenas de sentimentos intensos e afetos humanos. O voo do Carcará, ave de rapina típica da região, abençoa o céu sertanejo, reina e vigia a gente simples, sofrida e honesta que habita essas paisagens. Na minha fantasia de autora, tomo o lugar de pássaro, sobrevoando belezas, tristezas e intimidades. Testemunhando o brilho de almas que guardam a sabedoria da terra. Sob a inspiração do povo e de tão poético local, desço das nuvens sem chuva e descrevo minha experiência.

Disponível no Clube de Autores.

Acompanhe a escritora no Facebook: https://www.facebook.com/Marissolourencoescritora/


[Entrevista] Marissol Lourenço [Entrevista] Marissol Lourenço Reviewed by Tomo Literário on 08:03 Rating: 5

Um comentário:

  1. Marissol Lourenço. ...a mágica da alma transcrita pelas suas mãos!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.

Tecnologia do Blogger.