A Máscara do Rei - Francine Cândido

O leitor vai adentrar um ambiente medieval, em que dois reinos disputam o controle de uma cidade sagrada. “A Máscara do Rei”, da escritora Francine Cândido, foi publicado pela Editora Arwen em 2016.

A cidade de Darastrix, criada pelos Celestes, pertence aos darastrianos e é desejada pelos vutham. Eldon Vacaesin é filho do rei Svern Vacaesin e de Cassandra, que foi morta por ladrões.

Após a morte de sua esposa Cassandra, Svern casou-se com outra mulher, Sarene. Eldon, o filho do rei é atacado por uma cobra no deserto e, enfermo, recebe tratamento para se recuperar. Ele tem um sonho que o impressionou, “o sonho que teve lhe deixou uma marca funda no peito na qual não conseguia esquecer-se.”

Eldon carrega rancor em relação a seu pai, pois ele sabe que com quem o pai se relacionava, enquanto a mãe era morta. De certo modo, o filho culpa o rei pelo fato de não ter a sua mãe viva e presente. E o pai, demonstra certa frieza em relação aos assuntos relacionados com o filho, o herdeiro do trono. No ar, para todos os que ali vivem, paira a expectativa em relação a uma profecia que existe sobre aquele que terá o comando do reino.

Como Darastrix é almejada por outro povo, uma guerra pela conquista da cidade pode ocorrer. A luta pelo poder prejudica e lança o mal para quem se envolve na guerra. Sangue, mortes, sofrimento e descobertas serão feitas ao longo do jogo que os líderes travam para alcançar seus objetivos. A luta pelo poder nem sempre é tão fácil quanto parece e, no caso do livro, há um caminho obscuro a ser percorrido.

“A guerra estava a um passo de estourar em qualquer campo de batalha. Todos poderiam morrer...” É a partir da guerra que sonhos tidos por Eldon vão apontando possibilidade futura.

Alguns homens, mesmo diante da iminência de derrubar seus inimigos, possuem dignidade e ‘jogam limpo’. O livro apresenta um personagem, Auran, que tem essa visão. Mas, há outros que não pensam desse modo e tudo que almejam é tomar a cidade.


Traições, segredos, magia, fantasia, sonhos que podem ser premonitórios ou sonhos que podem ser utilizado como símbolo, batalhas, mortes, violência, luta pelo poder e paixão. Todos esses aspectos são aparentes na trama criada pela escritora Francine Cândido. “A Máscara do Rei” mexe com essas questões que perpetuam-se na humanidade e são bem trabalhadas na obra.

Nas mãos de um garoto, sim um garoto, porque Eldon é um jovem rapazinho, está o presente e o futuro de um povo. Ele tem de tomar decisões que para muitos adultos seriam difíceis de serem tomadas. Mas o jovem tem de mostrar a sua capacidade de liderança para que seja respeitado e conquiste a confiança do povo e de todos aqueles que o cercam. As decisões da vida adulta e que temos no cotidiano, logicamente, não agrada a todos. E não seria diferente com o personagem Eldon. Eis que alguns desafetos surgirão.

O livro tem personagens bem interessantes e alguns com ar enigmático que deixam os leitores intrigados e instigados. Esses personagens enigmáticos deixam um certo mistério rondando a história a imaginar que surpresas eles revelarão mais adiante e no próximo volume

“A Máscara do Rei” é o primeiro livro, mas tem uma história redonda, completa, que deixou bons ganchos para a continuidade. A ambiguidade vista em algumas personas criadas geraram bons entraves e, podem, na continuidade, render ainda mais.

O livro tem uma história forte. Trata de reis, rainhas, reinados e lutas, apresenta magia, profecias e batalhas, mas não deixa de lado os sentimentos que fazem parte da constituição humana (o desejo, o rancor, o perdão, a ambição, entre outros). “A Máscara do Rei” tem um final impactante e, por ser o primeiro volume, deixa uma dosagem certa de indagações para a continuidade.

“Quando crianças, queremos aprender. Quando jovens queremos explorar... quando adultos, queremos poder e, quando idosos, só não queremos morrer.” Essas palavras  são ditas por Samar, irmã de Auran Ossalur. E de certo que tal colocação pode dar uma noção bastante grande em relação a toda história de Eldon.
Foto: Reprodução

Sobre a autora

Francine Cândido mora em Santa Catarina. É fascinada por todo tipo de literatura, tanto clássica quanto contemporânea. Gosta de trabalhar o lado obscuro do ser humano, suas limitações e anseios. Escreve desde os quinze anos, mas foi com dezoito que seu primeiro manuscrito, Tempo da Escuridão, ficou pronto. Francine treina arquearia, pois sente que está próxima a algo que muito lhe fascina, a Idade Média. Ama escrever, pois sente que ali encontra a verdadeira liberdade de sonhar.

Ficha Técnica
Título: A Máscara do Rei
Escritor: Francine Cândido
Editora: Arwen
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-68255-57-5
Número de Páginas: 266
Ano: 2016
Assunto: Literatura brasileira





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.