Todos os Sonhos do Mundo, lançamento da Editora do Brasil, retrata em um de seus contos a luta contra a dependência química



Você já parou para pensar em como tem crescido a quantidade de conhecidos, amigos e até mesmo familiares que enfrentam desafios com dependência química e alcoolismo? Um número assustador de histórias difíceis e tristes, não é mesmo? De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 5% da população mundial entre 15 e 64 anos utiliza drogas ilícitas. A dependência de drogas e álcool é considerada uma doença e vem adquirindo proporções tão graves que tem se tornado um problema de saúde pública mundial muito discutido. A autora Giselda Laporta Nicolelis retrata a temática de forma bastante sensível na obra Todos os Sonhos do Mundo, da Editora do Brasil.

Os quatro contos do livro, introduzidos poeticamente pelos versos do imortal Fernando Pessoa, revelam a realidade de muitas famílias, diversas em suas configurações, mas com muitos sentimentos e sonhos em comum. Cada história permite ver em sua essência um pouquinho do ser humano que somos: feitos de desejos, afetos, medos e esperanças.

O conto Sem Nem Dizer Adeus, dedicado à temática da dependência química, destrincha de forma bastante emocionante e realista a luta de uma família contra o vício. A autora conduz o leitor descrevendo ações que geram sentimentos de angústia, dor e esperança e culminam na certeza de que as relações familiares nem sempre tão simples ou tão óbvias.

Com uma leitura leve e empolgante, os contos são uma ferramenta eficaz para que pais e professores abordem com os jovens e adolescentes meios para amenizar os conflitos familiares e, em especial, o combate às drogas.

Sobre a autora:

Giselda Laporta Nicolelis nasceu em 27 de outubro de 1938, em São Paulo/Sp, e estudou dos 7 aos 18 anos num colégio de freiras francesas. Em seguida, graduou-se em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero. Começou a escrever aos 9 anos de idade. Em 1972 publicou a primeira história e, em 1974, o primeiro livro. Hoje, são mais de cem títulos por várias editoras, a maioria para crianças e jovens. Alguns deles renderam-lhe vários prêmios literários, entre eles o Prêmio Governador do Estado, em 1974, da Secretaria do Estado, da Cultura/SP; Prêmio João de Barro da Prefeitura de Belo Horizonte/ MG, em 1980; Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), em 1982; e Prêmio Jabuti, em 1985.

Sobre a Editora do Brasil:

Fundada em 1943, a Editora do Brasil atua há mais de 70 anos com a missão de mudar o Brasil por meio da educação. Como empresa 100% brasileira, foca a oferta de conteúdos didáticos, paradidáticos e literários direcionados ao público infantojuvenil. Foi fundadora da CBL, SNEL, FNLIJ, IPL e da Abrelivros. Os títulos estão disponíveis para comercialização por meio da loja virtual da Editora Brasil (http://www.editoradobrasil.com.br/lojavirtual/) ou nas lojas físicas, em São Paulo (Rua Conselheiro Nébias, 887 – Campos Elíseos, São Paulo - SP), Rio de Janeiro (Rua do Bispo, 150 - Rio Comprido-RJ) e Natal (Rua dos Caicós, 1533 – Alecrim, Natal- RN). 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.