Livro "O Corrupto", de Júlio Emílio Braz suscita debates e reflexões


Como abordar temas tão importantes como ética e honestidade com crianças e adolescentes? O escritor Júlio Emílio Braz encontrou a medida certa para tratar estes assuntos em seu livro Corrupto!, da Editora do Brasil. A obra propõe uma reflexão sobre um assunto que, infelizmente, se faz presente em suas variadas formas: a corrupção.

Herbert e Denise são dois adolescentes que, após o pai ser acusado no noticiário por desvio de verba da Previdência, têm suas vidas transformadas em uma tormenta. Por causa da ação do pai, os jovens são alvo de comentários maliciosos, acusações, especulações e xingamentos. Acostumados a acompanhar pelo noticiário os mais variados escândalos de corrupção evolvendo diferentes segmentos da sociedade, os irmãos precisam aprender a lidar com este mal dentro do próprio lar.

Segundo o autor, a inspiração para a obra surgiu nas conversas sobre denúncias contra políticos brasileiros: “fiquei admirado com um prosaico comentário de um vizinho que vivia esbravejando contra a corrupção, mas que certo dia, cheio de interesse e cobiça, suspirou: "Ah, se eu estivesse no lugar dele..." Foi neste momento que percebi que a raiva e indignação dele era apenas por não fazer parte da safadeza e que ‘se ele estivesse no lugar dele’ se comportaria de igual maneira, ou seja, roubaria tanto ou mais do que ele”, declara.

Ao escrever o livro, seu principal objetivo é promover debates e ponderações que auxiliem na construção de uma sociedade mais ética. Quando questionado sobre a melhor forma de abordar o tema da corrupção com os jovens, Júlio Emílio esclarece: “Não existem fórmulas para debater a corrupção em sala de aula ou em família, talvez a abordagem mais simples seja a de que o corrupto vive da exploração da maioria e, portanto, esta ação é daninha à sociedade, privando-a, no caso da corrupção na estrutura governamental, de benefícios tão lógicos quanto necessários como saúde, educação, transportes e, por aí vamos. Existem poucos corruptos, mas suas vítimas se contam em milhões, pois constituem a maioria da sociedade”.

Sobre o autor:

Júlio Emílio Braz iniciou carreira como escritor de roteiros para histórias em quadrinhos que já foram publicadas no Brasil, Portugal, Bélgica, França, Cuba e EUA. Soma mais de cem títulos. Em 1988 recebeu o Prêmio Jabuti pela publicação de seu primeiro livro infanto-juvenil "Saguairu". Em 1997 ganhou o prêmio Austrian Children Book Award, na Áustria, pela  versão alemã do livro "Crianças na escuridão"(Kinder im Dulkern) e o Blue Cobra  Award, no Swiss Institute for Children’s Book.

Sobre a Editora do Brasil:

Fundada em 1943, a Editora do Brasil atua há mais de 70 anos com a missão de mudar o Brasil por meio da educação. Como empresa 100% brasileira, foca a oferta de conteúdos didáticos, paradidáticos e literários direcionados ao público infanto-juvenil. Foi fundadora da CBL, SNEL, FNLIJ, IPL e da Abrelivros. Os títulos da Editora do Brasil podem ser adquiridos por meio de seu e-commerce: (http://www.editoradobrasil.com.br/lojavirtual/) ou em lojas físicas como, por exemplo, sua loja, em São Paulo (Rua Conselheiro Nébias, 891 – Campos Elíseos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.