Estudos de Jacques Lacan pode ser utilizado em práticas clínicas? - Tomo Literário

Post Top Ad

Estudos de Jacques Lacan pode ser utilizado em práticas clínicas?

Compartilhe

Focada em livros de Psicanálise, a Aller Editora oferece em seu catálogo obras que se debruçam sobre os temas cruciais da teoria e da prática clínica, desde seus fundamentos até os novos debates sobre questões da atualidade e suas repercussões sobre o sujeito contemporâneo.
Entre seus lançamentos, a casa editorial traz ao leitor obras que que flertam com literatura e psicanálise, como é o caso do sucesso internacional: Guia topológico para o aturdito”.
Na obra, o psicanalista e escritor Jorge Chapuis e a pesquisadora e psicanalista Rithée Cevasco oferecem um verdadeiro guia para se orientar pelos parágrafos que Jacques Lacan dedica à sua topologia em um texto reputado como um dos mais herméticos: O aturdito. A proposta dos autores é colaborar com a intenção, explicitada por Lacan nesse mesmo texto, a respeito do destino que a sua topologia possa ser utilizada na prática clínica.
Inspirada na palavra francesa Aller, que significa “ir”, a casa editorial convida leitores, atuantes na área de psicanálise ou não, a percorrer caminhos que cruzam fronteiras e a embarcar nessa aventura que é ler.

Sinopse "Guia Topológico para o Aturdito"
Este texto pretende ser um GUIA para se orientar pelos parágrafos que Jacques Lacan dedica à sua topologia em um texto reputado como um dos mais herméticos:
O aturdito. Nossa aposta para esta obra segue a via de, primeiro, imaginar a superfície — criá-la, desenhá-la, manipulá-la — para apreender sua estrutura topológica e as relações que ela organiza, descontando depois o senão da imagem. Em certo sentido, essa via se contrapõe ao intento de Lacan em O aturdito, de prescindir de imagens.
Tomamos, então, a via do “abuso imaginário”, da imageria, a via da ilustração. Mediante uma variedade de figuras e desenhos realizados com propostas distintas e técnicas variadas, pretendemos que a imageria deslize e cada leitor se encaminhe, assim, para a compreensão da estrutura que eles representam: seu “estofo” topológico, que bem poderia se expressar em pura álgebra.
Fomos conduzidos pelo propósito de colaborar com a intenção, explicitada por Jacques Lacan nesse mesmo texto, a respeito do destino que a sua topologia possa ter – de que ela possa ser utilizada na prática clínica.
Sobre os autores:
Jorge Chapuis, ele épsicanalista e exerce a psicanálise em Barcelona. Membro da Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano (EPFCL), membro fundador do Centro de Investigación Psicoanálisis & Sociedad e responsável pelas edições S&P. Formado em Desenho Gráfico, Engenharia Industrial (UBAires) e Informática.
Rithée Cevasco, ela é psicanalista e socióloga, exerce a psicanálise em Barcelona. Pesquisadora do CNRS (França) até 2006, AME da Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano (EPFCL), membro fundador do Centro de Investigación Psicoanálisis & Sociedad.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages