CDL - Clube de Leitura organiza a campanha #AdoteUmLeitorCLDL - Tomo Literário

Post Top Ad

CDL - Clube de Leitura organiza a campanha #AdoteUmLeitorCLDL

Compartilhe


CLDL - Clube de Leitura apoia a formação de biblioteca de escola da rede pública que atende jovens de 10 a 17 anos
A última pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Instituto Pró-Livro em 2016, demonstrou que o brasileiro lê, em média, 2,43 livros por ano. Segundo informações da mesma pesquisa, 44% do público pesquisado não tem o hábito de leitura. 
Podemos pensar numa série de fatores que se tornam um obstáculo ou que podem contribuir para a falta do costume de ler, tais como o analfabetismo, a falta de estrutura familiar, a desigualdade social ou até mesmo a desestruturação escolar.
O estudo do IPL revela que 30% da população nunca comprou um livro e que uma das formas de acesso aos livros são os emprestados de bibliotecas ou escolas, que representa 18% do total pesquisado. Das pessoas que tem o hábito de ler a pesquisa traz a informação de que 25% o faz pelo gosto pela leitura, seguidos daqueles que leem por atualização cultural (19%) e depois pelos que procuram o livro como distração, com 15%.
Pensando em fortalecer o incentivo à leitura, hábito que deve ser estimulado desde a infância, passando pela adolescência, o CLDL - Clube de Leitura criou a campanha #AdoteUmLeitorCLDL.
O objetivo da ação é arrecadar livros, doados por pessoas físicas e jurídicas, que serão destinados a aumentar o acervo da biblioteca da Escola Estadual Professora Helena Loureiro Rossi, que atende alunos da rede pública entre 10 e 17 anos e fica localizada em Poá (SP).
Conforme declara o Professor Cláudio Rezende, que atua na instituição: "As crianças são extremamente sedentas por leitura, porém temos poucos livros que despertam o interesse deles." Cláudio complementa"A ação do clube de leitura vem em boa hora para nos ajudar a incentivar os alunos e dar a eles acesso a novos livros." 
Para incentivar a leitura, um dos meios é permitir que os jovens tenham acesso fácil aos livros e que estes, por sua vez, atendam aos gostos pessoais do leitor. Portanto, a campanha não é destinada a arrecadar livros didáticos, mas livros de ficção e não-ficção que serão entregues à biblioteca e ficarão à disposição dos alunos.
Segundo dados do SNBP - Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, o Brasil tem 6057 bibliotecas ligadas aos governos federal, estadual e aos municipais. Levando em consideração os dados da população brasileira, segundo o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, há 210,1 milhões (dados estimados em 1 de julho de 2019). Teríamos então o índice de uma biblioteca para cada 34.670 habitantes.
O Anuário Brasileiro de Educação, realizado pelo Todos Pela Educação e Editora Moderna, apresenta a informação de que 45,7% das escolas de ensino básico tem biblioteca ou sala de leitura.
Com esses dados podemos entender que a biblioteca é um dos principais acessos para as pessoas que desejam ler, além do fato de que, segundo informações da pesquisa Retratos da Leitura - Bibliotecas Escolares, permite notar que o desempenho dos alunos em escolas que tenham bibliotecas ou salas de leitura, melhora. Quanto mais livros, de diferentes gêneros e assuntos, tiver à disposição das pessoas, mais fácil com que elas cheguem aos livros.
Com o apoio da Escola Professora Helena Loureiro Rossi o CLDL - Clube de Leitura tem movimentado outros leitores a divulgar a campanha e aderir ao desapego de livros.
Cláudia Lemes e Tito Prates são os embaixadores da campanha

A escritora Cláudia Lemes, que já publicou os livros Um Martini com o Diabo, Eu Vejo Kate  e Inferno no Ártico, além de outras obras, incluindo Santa Adrenalina, um guia para quem deseja escrever thrillers, é embaixadora da campanha.
Outro embaixador que apoia a campanha do clube de leitura é Tito Prates, que também preside a ABERST - Associação Brasileira dos Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror. Tito é profundo conhecedor de Agatha Christie, tem participações como escritor e organizador de várias  antologias de contos e acaba de lançar o livro Museu do Crime.
A adesão dos escritores demonstra a importância do estímulo a leitura e a formação de leitores, além de reforçar o papel da ABERST em unir escritores, editores, blogueiros, leitores e toda a cadeia do livro em tono do objetivo de propagar a literatura no país.
Como fazer a doação
O livro doado pode ser enviado até o dia 10 de outubro de 2019 para o CLDL - Clube de Leitura. O endereço é informado pelo clube em sua página no Facebook (https://www.facebook.com/cldlclubedeleitura/).
O doador da obra, se desejar, pode enviar junto com o livro um bilhete que será entregue ao organizador da biblioteca para que seja lido para os alunos. Para fomentar a campanha, o doador pode tirar uma foto do livro a ser doado e postar nas redes sociais usando a hashtag #AdoteUmLeitorCLDL, como forma de incentivar outros leitores a fazer a doação.
Serão aceitos livros de qualquer gênero literário, exceto aqueles com conteúdo erótico.
O CLDL - Clube de Leitura faz a prestação de contas dos livros recebidos em sua página no Facebook  semanalmente e, após a entrega dos livros à biblioteca, apresentará um balanço final com o resultado da ação. O referido balanço será divulgado nas redes sociais.
Sobre o CLDL - Clube de Leitura

O CLDL Clube de Leitura é um clube formado por leitores de São Paulo que se reúnem para debater um livro lido pelos membros. O clube teve origem a partir de um grupo do Facebook formado por leitores de todo o Brasil. Os membros do clube já debateram livros como Dom Casmurro (Machado de Assis), A Hora da Estrela (Clarice Lispector), Uma Mulher na Janela (A. J. Finn), Todo Dia (David Levithan), Eu Vejo Kate (Cláudia Lemes), Marina (Carlos Ruiz Zafón) e Orgulho e Preconceito (Jane Austen).
Alguns autores brasileiros já tiveram seu livro lido e debatido pelo clube de leitura e participaram do encontro realizado pelo grupo, como a escritora Paula Febbe (Mãos Secas com Apenas Duas Folhas), Soraya Abuchaim (Ferrão de Escorpião), Victor Bonini (Quando Ela Desaparecer) e Adriana Gavazzoni (Atrás da Porta).
Estão previstos, para 2019, debates dos livros Até Que a Morte nos Ampare (Marcos Martinz) e Querido Jaime (Eduardo Lages).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages