[Entrevista] Aline Galeote - Tomo Literário

Post Top Ad


Aline Galeote lançou o romance de época Promessas de Uma Vida pela Hugin & Munin Editora.

A escritora falou ao Tomo Literário sobre o início no meio literário, que se deu aos doze anos escrevendo o primeiro romance em folhas de caderno. Essa jornada também incluiu leituras de Agatha Christie e J. K. Rowling. Aline comentou, na entrevista, sobre a complexidade de escrever uma saga, o que requer atenção e concentração para que não escape nenhum detalhe. Seu mais recente livro faz parte de uma série de cinco e ela comenta também sobre a criação de um difícil personagem que temos na trama.

Claro que não poderíamos deixar de falar sobre o mercado literário e Aline cita as plataformas de autopublicação que muito tem auxiliado os escritores independentes. A autora que escreve para quem gosta de um bom romance (e de finais felizes), fala ainda sobre novos projetos literários e muito mais.

Tomo Literário: Como você começou a sua jornada no meio literário?

Aline Galeote: A escrita faz parte da minha vida desde os doze anos de idade quando eu escrevi os rascunhos de uma história nas folhas de um caderno de desenho. Meus primeiros manuscritos são bem diferentes do que escrevo atualmente. Naquela época eu lia muitos livros da Agatha Christie e o meu estilo de escrita seguia essa linha de suspense e mistério. Eu nunca tinha parado para pensar em transformar a minha paixão pela escrita em profissão até o dia em que assisti a um vídeo de uma autora em uma sessão de autógrafos e pela primeira na vida eu soube qual era a minha verdadeira vocação. Eu queria fazer parte daquele mundo que tanto me encantava e fazer as pessoas se emocionarem com as minhas histórias. E uma vez decidida, passei a trilhar esse caminho. 

Tomo Literário: Promessas de Uma Vida é seu mais recente livro. Como surgiu a ideia da história?

Aline Galeote: Foi surgindo aos poucos. Nesse livro a premissa são as promessas que são quase tão importantes no livro quanto os próprios personagens. Talvez alguém imagine que um belo dia eu sentei na frente do computador e decidi escrever um livro sobre promessas e o impacto que elas causam na vida das pessoas, mas eu não fazia a menor ideia da direção que o livro tomaria. Eu já tinha escrito mais da metade do livro quando percebi para onde a história estava me guiando e pensei: “temos uma coisa grandiosa aqui”. Foi quando decidi levar o projeto adiante, o que coincidiu com a minha decisão de escrever profissionalmente.

Tomo Literário: Qual foi a etapa mais complexa do processo da criação do livro?

Aline Galeote: Sem dúvida criar conexões dentro da história para os próximos livros. Tenho que ter muito cuidado com as informações que insiro, pois não poderei modificá-las no futuro. Na última revisão, com o livro já diagramado e pronto para ser publicado na Amazon, tive que alterar datas e fazer pequenas modificações porque percebi que certas passagens não se encaixariam no universo que estou criando. É um exercício mental complexo que exige muita atenção.

Tomo Literário: Tem algum personagem na obra que, de algum modo, deu mais trabalho para criá-lo?

Aline Galeote: O protagonista do próximo livro tem aparições importantes em Promessas de Uma Vida. Ele é um personagem obscuro, envolto em mistério e com uma personalidade difícil de ser trabalhada. Por esses motivos eu diria que o secretário do Damian é o mais intricado que já escrevi até o momento.

Tomo Literário: A série Consequências terá cinco livros. Muito trabalho pela frente? Algum deles já está escrito?

Aline Galeote: Muito trabalho pela frente! Atualmente estou focada no segundo livro, mas eu costumo deixar a minha criatividade correr solta. Tenho pelo menos uma cena escrita de cada livro. Sei como a história se desenrolara em cada um deles. 


Tomo Literário: Como você vê atualmente o mercado literário brasileiro, sobretudo para as escritoras de romances de época?

Aline Galeote: Creio que a forma como consumimos a literatura irá passar por uma grande transformação nos próximos anos. As plataformas digitais de auto publicação tem um valor imensurável para os autores independentes e para as pequenas editoras. Sobre os romances de época acredito que o mercado nunca esteve tão aquecido para quem sonha em apostar no gênero. Antigamente a única forma de encontrarmos esse tipo de literatura era nos saudosos livros de banca de jornal. Hoje, os romances de época conquistaram lugar de destaque nas livrarias e estão se tornando cada vez mais conhecidos. Temos autoras brasileiras independentes que são muito talentosas. E é maravilhoso testemunhar a quebra de preconceitos que estamos vivenciando. Os leitores estão mais propícios a experimentarem novos autores e a apostarem na literatura nacional. Coisa que não acontecia há alguns anos.

Tomo Literário: De forma geral, quem é público-leitor dos seus livros? Há um mais mulheres lendo?

Aline Galeote: Com certeza meu público predominante são as mulheres. Mas escrevo para todos aqueles que gostam de um bom romance e finais felizes.

Tomo Literário: O que te inspira a escrever?

Aline Galeote: Uma caminhada tranquila no parque, um filme que consiga mexer com as minhas emoções, uma leitura instigante, uma pintura bonita, uma conversa com um amigo. Qualquer coisa pode servir de inspiração. Em Promessas de Uma Vida parte da história da protagonista veio de uma música do Elvis Presley chamada You Gave me a Mountain. Eu estava ouvindo um dia, a letra chamou a minha atenção e eu passei a divagar sobre o seu significado e decidi explorar as possibilidades de uma situação parecida com que a canção retratava. 

Tomo Literário: Tem algum novo projeto literário vindo por aí, além de Consequências? Pode nos adiantar alguma novidade?

Aline Galeote: Pretendo finalizar a série e retomar um projeto antigo. Trata-se de um livro ambientado nas décadas de 70 e 80. Ainda é muito cedo para fornecer mais detalhes, mas é um romance com pitadas dramáticas que acompanha a história de um jovem que retorna à cidade onde cresceu para um acerto de contas com o passado. 

Tomo Literário: Quais são os escritores que, de alguma forma, influenciaram o seu trabalho como escritora?

Aline Galeote: Agatha Christie e J.K Rowling foram duas escritoras que tiveram grande influência nos meus manuscritos iniciais. Mas quando falamos sobre os romances de época as que mais me influenciam atualmente são a Lisa Kleypas, Mary Balogh, Lorraine Heath e Judith McNaught.

Tomo Literário: Quer deixar um comentário para os leitores?

Aline Galeote: Convido a todos que gostam de um bom romance de época ou que tem curiosidade sobre o gênero a conhecerem Promessas de Uma vida. E continuem incentivando a nossa literatura nacional. Avalie aquele autor que você gosta no Skoob, escreva resenhas, incentive! Deixe-o saber que sua obra o encantou. Uma dica: autores amam receber recadinhos dos leitores. 

Acompanhe a escritora nas redes sociais:



2 comentários:

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages