Uma Mulher na Escuridão - Charlie Donlea - Tomo Literário

Post Top Ad


Uma Mulher na Escuridão é o quarto livro do escritor Charlie Donlea, que já publicou também pela Faro Editorial os livros A Garota do Lago, Deixada Para Trás e Não Confie em Ninguém. Uma Mulher na Escuridão tem tradução de Carlos Szlak e conta com 303 páginas.

Na parte inicial da obra o leitor é levado para Chicago no ano de 1979 para conhecer a ação de um criminoso, que está com uma mulher em seu poder. Depois vamos para o ano de 2019 com a história de Rory Moore que se encontra com Sr. Byrd. O homem deseja restaurar uma boneca, cuja presença traz lembranças de sua filha que fora estrangulada. Além de consertar bonecas, atividade paralela que Rory desempenha, o homem quer que ela investigue a morte de sua filha, posto que nenhum culpado foi encontrado.

Ron Davidson, chefe do Departamento de Polícia de Chicago, aceita que Rory Moore passe a tomar conta do caso de Camille Byrd. Nesse ínterim, o pai de Rory - Frank Morre - um respeitado advogado que é responsável pelo Grupo Moore de Advocacia, morre. Ela, que atuava como investigadora forense, tem que também tomar conta dos casos pendentes que o pai deixou. Entre as pendências, ela tem em suas mãos um complicado caso, cujo acusado vai ser liberado pela condicional. Ela então tem que se aprofundar na história do cliente para compreender o caso.

"O mundo de Rory Moore era um santuário fortificado no qual poucas pessoas recebiam permissão de entrar, e um número ainda menor recebia permissão de entender. Por isso, as descobertas daquela manhã eram especialmente perturbadoras."

O homem que está para ser libertado teria matado muitas mulheres no final da década de 1970 embora não tenha aparecido um só corpo. Rory acaba despertando um interesse crescente pela história de Angela Mitchell - a esposa do homem que fora acusado -, cujo desaparecimento dera o motivo real que o levara à condenação. Apesar de relutar em representar o assassino, que se diz inocente, Rory terá de atender ao desejo dele que havia sido prometido pelo pai da investigadora: provar que Angela ainda está viva.

"_Um cadáver não pode ser apresentado porque não há cadáver..."


Charlie Donlea usa do recurso de entremear passado e presente nos capítulos, numa narrativa não linear que vai nos conduzindo por um intrincado jogo de pistas, fatos, acontecimentos e interpretações, tal qual um quebra-cabeça que vai sendo montado, tanto pela protagonista, como por nós, leitores.

Angela Mitchell, a personagem pela qual Rory acaba tendo a necessidade de conhecer mais profundamente era tida como uma mulher perturbada e esquizofrênica, nos idos de 1979. Ela tinha crises de compulsão obsessiva e fobia social, mas na verdade, ainda que não sabido por todos, ela tinha autismo e se tornou peça fundamental para a descoberta do modus operandi do famoso serial killer chamado de Ladrão. Como destaca-se em certa passagem da obra, "abaixo do gráfico que ela elaborou descrevendo as tendência dos assassinatos na última década, adicionou informações relevantes de sua pesquisa na biblioteca."

Ao longo da trama intrincada que vai se afunilando para conduzir o leitor para o desfecho do caso, Charlie Donlea deixa uma série de pistas que nos faz pensar numa infinidade de possibilidades.  Você, leitor, certamente montará a sua teoria sobre a conclusão do caso. Fascinante é a forma como a trama se desenrola.

Os personagens criados pelo autor são bem construídos e com nuances psicológicas que transparecem em suas ações. São figuras interessantes, mesmo quando olhamos para eles de forma isolada. A psique das criações de Donlea são, de certo modo, complexas e que, por isso mesmo, despertam ainda mais mistério em que lê. Veja-se como exemplo a situação psicológica de Angela Mitchell que tem autismo, o passado de Rory que se revela uma mulher fechada, a forma cruel com que age Ladrão - o serial killer, a atuação de Frank Moore nos casos que tratava, a histeria e eficiência de Celia que atuava como secretária de Frank, a vida de Greta - tia de Rory que vive numa casa de repouso, além de outros personagens que se mostram igualmente atraentes e transitam bem pela trama.

Inegavelmente o autor tem o dom de entrelaçar passado e presente, de cruzar as histórias, de nos atordoar com as revelações e de fazer com que embarquemos na trama como se fossemos investigadores dos casos que se apresentam. Sim, nos sentimos investigando o caso com Rory e tentando desvendar as possibilidades de desfecho. É interessante como o autor consegue fazer as histórias dos personagens ora se aproximar, ora se distanciar, ora se cruzar, ora se interligar, ora se fundir e ora se confundir. Tudo isso torna a experiência de leitura de um livro de Donlea simplesmente fascinante.

Uma Mulher na Escuridão é um suspense em que a verdade está bem ali, diante dos nossos olhos, mas que acabamos não enxergando. Genial!

Outra coisa que podemos destacar é o protagonismo feminino na trama de Donlea. Mulheres exercem papéis importantes e centralizam a história que ele nos conta. Mistérios, reviravoltas, segredos que surgem no decorrer da narrativa. Tudo isso torna Uma Mulher na Escuridão um thriller em que o autor demonstra sua habilidade em arquitetar um excelente suspense. Trata-se de uma história de obsessão, crimes, descobertas e de perspectivas fora do comum. O desfecho da história é de arrepiar.

Um livro eletrizante e dinâmico que vai surpreender o leitor.

Sobre o autor:

Charlie Donlea | Foto: Carrianne Photography

Charlie Donlea vive em Chicago com sua esposa e dois filhos. Um de seus hobbies é pescar em lugares praticamente desertos do Canadá. Ávido leitor, é também apaixonado por música, filmes, seriados e esportes. Quando decidiu escrever histórias de suspense, ele se preparou para produzir algo como tudo o que gosta de encontrar nos seus filmes e livros prediletos: algo capaz de manter o leitor refletindo sobre ela por muito mais tempo mesmo depois de terminada a leitura. Seus outros livros A Garota do Lago, Deixada para trás e Não confie em ninguém foram lançados no Brasil pela Faro Editorial e arrebataram milhares de fãs.

Ficha Técnica:

Título: Uma Mulher na Escuridão
Escritor: Charlie Donlea
TraduçãoCarlos Szlak 
Editora: Faro Editorial
ISBN: 978-85-9581-072-3
Edição: 1ª
Ano: 2019
Número de Páginas: 303
Assunto: Ficção norte-americana


Um comentário:

  1. Bom dia Eudes,

    Gosto demais do autor e os livros anteriores dele me agradaram demais, solicitei ele e não vejo a hora de conhecer a história, ainda mais depois da sua resenha....abraço.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages