Você Nunca Fez Nada Errado - Tomo Literário

Post Top Ad



...o Você nunca fez nada errado se trata de um processo de, pelo menos, 5 anos. E começou com a negação da narrativa que eu estava vivendo. A negação de quem eu era: um homem homossexual que havia contraído o HIV. Posso delimitar muito bem quando comecei a escrever o livro (apesar de, evidentemente, um livro não começar apenas quando se inicia a escrita). Eu havia acabado de contar ao meu pai que sou soropositivo e era uma conversa que me provocava muita ansiedade. Eu quis, justamente por isso, registrar como ele havia sido doce e cuidadoso comigo. Como eu havia me sentido amparado. Quis guardar esse instante e comecei a descrever a manhã chuvosa em que conversamos assim que ele chegou de viagem para me ver. Eu não queria perder aquela imagem. Quando escrevi aquilo, no entanto, eu não fazia a menor ideia de estar começando o que viria a se tornar o livro. (Felipe Cruz, em entrevista ao Tomo Literário)

Você Nunca Fez Nada Errado é o nome do livro do escritor Felipe Cruz, lançado pela Monomito Editorial.

Trata-se de um livro híbrido, onde o autor passeia com naturalidade e fluidez pelos mais diversos gêneros literários, do relato ao ensaio, da crônica à autobiografia, construindo uma prosa potente, com as melhores características de um grande romancista, para narrar parte de sua vida a partir da descoberta do HIV.

Como revela a sinopse do livro: As consequências dessa descoberta nas relações de Felipe com os amigos, com a família e, antes de tudo, consigo mesmo são o eixo que nos guia pelas memórias, digressões e anseios do autor, construídos com uma linguagem rica e expressiva, que possibilita ao leitor a imersão em um texto que ao mesmo passo que se apresenta tão íntimo, torna-se universal pela sinceridade com a qual Felipe nos fala de seus medos, dúvidas e aflições, mas também seus afetos e esperanças.

Você nunca fez nada errado, como toda boa literatura, não é uma obra panfletária. É, antes de tudo, fruto de uma necessidade de expressão do autor perante os caminhos pelos quais sua própria narrativa enveredou-se, trazendo até os leitores uma perspectiva ainda pouco explorada na literatura: a subjetividade de alguém vivendo com o HIV.

Quando soube do lançamento desse livro fiquei bastante curioso para ler a história de Felipe Cruz e o convidei para uma entrevista no blog. Ao receber as respostas fiquei encantado pela forma como o autor escreve e se expressa. Você pode conferir a entrevista aqui no Tomo Literário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages