Livros Lidos em Março de 2019 - Tomo Literário

Post Top Ad





O mês de março acabou. Um quarto do ano se passou, o verão também se foi, estamos no outono e vamos conferir a lista de livros lidos no mês de março.

O primeiro lido do mês foi Livro(s) do Desassossego, de Fernando Pessoa, com edição de Teresa Rita Lopes, publicado pela Global Editora. Trata-se de livro que reúne os três semi-heterônimos de Fernando Pessoa: Vicente Guedes, Barão de Teive e Bernardo Soares. Os textos são fragmentados e falam sobre temas distintos que tocam o leitor.

Os Supremos, publicado pela Editora Coerência foi organizado pelo escritor Raphael Miguel e conta com mais três autores: Jadna Alana, Renata Maggessi e Jefferson Andrade. Trata-se de um livro que apresenta quatro histórias de super-heróis criados pelos autores e que tem poderes supremos. As quatro tramas são independentes e se conectam por meio de alguns personagens e elementos que se fundem.

Da escritora Barbara Veiga, li Sete Anos em Sete Mares, publicado pela Editora Seoman (Grupo Editorial Pensamento). É um relato de uma mulher que viveu sete anos navegando em mares do mundo, engajada numa luta pelo meio ambiente. Barbara atuou em instituições como Greepeace e Sea Sheperd. Em formato de diário de bordo e com um misto de jornalismo, a obra nos leva a apreciar os detalhes da navegação, os momentos difíceis que ela enfrentou, a empreitada contra empresas que praticavam crimes ambientais, mas também não deixa de lado a abordagem de questões pessoais.

O Crime da Quinta Avenida, de Anna Katharine Green, publicado pela Monomito Editorial, é uma obra de literatura policial que não pode faltar na estante de qualquer leitor que goste do gênero. Considerada a mãe da literatura policial, Anna Green nos conta a história de um homem que é assassinado em sua propriedade. A partir daí temos um mistério a desvendar: quem teria matado o Sr. Leavenworth? A investigação avança e vamos montando nossa lista de suspeitos. Um livro sensacional.

Publicado pela Skull Editora e de autoria de Fernando Luiz, li Recomeçar. A pergunta que ecoa nesse livro é: você perdoaria o assassino do seu próprio filho? Ricardo se depara com Matheus, que teria matado seu filho, e o acolhe. A situação desperta os olhares críticos dos outros moradores da ilha Duncan. A trama traz à tona o passado de Matheus e desvenda os mistérios dessa ilha. Tanto Ricardo, quanto Matheus tem chances de recomeçar.

As Louras da Minha Vida, de Fernando Neves, publicado pela Bandeirola é um livro que reúne contos do autor. Ora os textos se colocam com poesia, ora com crueldade e são um tanto quanto realistas. As histórias tem sempre o foco de personagens masculinos que tem obsessão por uma mulher idealizada (ainda que, por vezes, as figuras que idealizam apresentem fragilidade, tanto quanto o idealizador – a voz narrativa que fala sobre elas).


A Cidade Perdida do Deus Macaco, de Douglas Preston, publicado pela Editora Vestígio é um livro que conta uma história real, sobre uma cidade que ficou inexplorada por anos. Anunciada no século XVI ninguém, até então, havia encontrado a Cidade Branca, também chamada de Cidade do Deus Macaco, que fica em Mosquitia, Honduras. O livro narra a expedição para a descoberta da cidade, que contou com a participação do autor. Uma história surpreendente.

Outro livro lido foi Querido Senhor Presidente, de Sohpie Siers e Anne Villeneuve, publicado pela Editora Melhoramentos. Trata-se de um livro infantil que conta a história de um menino que resolve escrever cartas para o presidente americano Donald Trump, depois que ouviu que ele construiria um muro em seu país. Intrigado com isso e imaginando que o muro poderia ser a solução para problemas que o garoto passava em sua casa, ele resolve compartilhar a experiência com o presidente. O menino descobre que construir muros pode ser mais complexo do que imaginava. Um livro encantador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages