[Entrevista] Ademir Pascale - Tomo Literário

Post Top Ad



Ademir Pascale é escritor e editor da Revista Conexão Literatura. Seu mais recente livro O Clube de Leitura de Edgar Allan Poe está em pré-venda. Ele falou ao Tomo Literário sobre a obra, sobre o processo de escrita, o mercado literário brasileiro, novos projetos e ainda revelou que o livro terá continuação e que uma nova obra inspirado num grande autor vem por aí. Confira a entrevista.

Tomo Literário: Você se recorda do primeiro contato com a literatura? Conte-nos como foi. E como e quando você se tornou escritor?

Ademir Pascale: Meu pai sempre contava histórias quando eu era criança. Com 5 anos eu já lia livrinhos infantis e também HQs da Turma da Mônica e Walt Disney, assim como a maioria das crianças da época. Ao passar dos anos fui conhecendo novos autores e li praticamente a coleção completa da série Vaga-Lume. 

Agora, o primeiro livro publiquei em 2005. Foi mais um teste, uma pequena tiragem que distribui apenas aos familiares e amigos. Já em 2008 publiquei o primeiro conto que foi para as livrarias e foi bastante divulgado, uma coletânea de contos intitulada “Caminhos do Medo”, da editora Andross. Depois disso não parei mais...(rsrs)

Tomo Literário: O Clube de Leitura de Edgar Allan Poe está em pré-venda. Como surgiu a ideia desse livro?

Ademir Pascale: A ideia surgiu em 2017. Adoro Edgar Allan Poe. Ele é o meu escritor nº 1. Escrevi cerca de 40 páginas durante os intervalos do meu almoço no serviço, mas incrivelmente o nosso servidor queimou e perdi tudo. Fiquei desanimado e só voltei a escrever essa história em 2018. No final achei que ficou melhor que a primeira versão.

Tomo Literário: Como surgiu o seu interesse pelo escritor Edgar Allan Poe? Que obra dele é a com que você mais se identifica?

Ademir Pascale: Meu interesse pelo Poe surgiu na época da faculdade, nas aulas de Literatura Estrangeira. Minha professora era apaixonada por suas obras. Depois eu também fiquei apaixonado, então comecei a ler cada vez mais e pesquisar minuciosamente a sua biografia. A obra que mais gosto é um conto que está mais para novela, pois é longo: A queda da Casa de Usher. 

Tomo Literário: Como foi o processo de construção do livro? Qual a etapa mais complexa?

Ademir Pascale: Montei uma estrutura simples: começo, meio e fim. Pensei na quantidade de personagens e a característica de cada um deles, mas é impossível definir uma obra inteira, pois algumas ideias surgem durante a escrita. No meu ponto de vista, o começo é sempre mais complexo. No decorrer dos dias, a história vai fluindo e fica mais fácil de escrever. 


Tomo Literário: Você tem outros livros publicados, tanto como organizador, quanto como prefaciador e também como autor. Fale-nos um pouco sobre eles e quais deles definem melhor o seu estilo de escrita?

Ademir Pascale: Foram mais de 40 livros. Organizei uns 10, a maioria pela editora All Print. Todos são de Literatura Fantástica e envolvem zumbis, lobisomens, demônios, vampiros, etc. Mas confesso que a obra que melhor me define é “O Clube de Leitura de Edgar Allan Poe”, que tem uma bela história, além de que escrevo sobre o escritor que incentivou a minha carreira literária. Nessa obra cito vários outros autores, como Charles Baudelaire, que também era um grande fã do Poe. Criei personagens que amam livros e alguns que até trabalham e vivem deles. Por isso essa obra é a que mais me define.

Tomo Literário: Para você é melhor atuar escrevendo contos ou prefere os romances?

Ademir Pascale: Depende. Gosto de escrever contos. Já escrevi muitos. Cheguei a escrever contos em um único dia e que foram publicados. Um deles foi publicado em Portugal e outro na França. O mais recente foi publicado no livro “Narrativas do Medo II”, mas quando pego para escrever um romance igual ao “Clube de Leitura de Edgar Allan Poe”, posso dizer que gosto mais de romances, pois convivo com a história por muitos dias, meses.

Tomo Literário: Como você vê atualmente o cenário literário brasileiro?

Ademir Pascale: Existem muitos autores. De 2009 até hoje, acredito que tenha aumentado umas 100 vezes. As plataformas de autopublicação facilitaram a entrada de escritores que sentiam dificuldade de entrar numa editora com publicação tradicional. Surgiram alguns bons autores. O que vejo é que muitos blogueiros e principalmente youtubers que falam sobre literatura, preferem os autores estrangeiros. As editoras nacionais que publicam autores estrangeiros, investem muito mais na divulgação deles, diferente de quando publicam autores nacionais. Se pegarmos um livro de um bom autor nacional e outro internacional, não veremos diferença alguma, o que muda é apenas a nacionalidade. Imagine se os livros fossem publicados sem o nome do autor na capa, com apenas o título e a sinopse na contracapa? É lógico que os leitores escolheriam o livro pela sinopse e título e não pelo nome do autor estrangeiro. Não estou generalizando, mas é o que noto muitas vezes quando vou até uma livraria ou mesmo em rodas de conversa. É preciso valorizar mais a publicação dos autores nacionais. O governo deve incentivar mais, os leitores e a mídia também.

Tomo Literário: Você também é editor da Revista Conexão Literatura. Fale-nos um pouco sobre o trabalho na revista. 

Ademir Pascale: É outro trabalho que adoro exercer. Faço praticamente tudo: seleciono textos para publicação e faço a revista digital, trabalho que ocupa muitas horas e dias. Fora isso tem também a parte da divulgação diária da revista que faço nas redes sociais. Conto também com a valorosa colaboração de colunistas que publicam no site da revista. Temos uma excelente receptividade por parte dos autores e leitores, o que faz com que continuemos com o nosso trabalho.


Tomo Literário: De modo geral o que te inspira a escrever? 

Ademir Pascale: A vida. O gosto pela arte e a vontade de expor o que sinto e penso.

Tomo Literário: Além do livro que acaba de ser lançado você está preparando algum novo projeto literário? Pode nos adiantar alguma informação?

Ademir Pascale: Sim, uma obra inspirada em Oscar Wilde. E já penso na continuação de “O Clube de Leitura de Edgar Allan Poe” :)

Tomo Literário: Que escritores você admira ou que influenciaram o seu trabalho como escritor?

Ademir Pascale: Edgar Allan Poe, Oscar Wilde, Charles Baudelaire, Augusto dos Anjos, Lord Byron, Robert L. Stevenson, Graciliano Ramos e alguns outros. Tem um autor nacional contemporâneo que é excelente, gosto muito da maneira e estilo que ele escreve. O nome dele é Hugo Maximo. Mas parte da influência, sem dúvida que Poe é o nº 1, tanto pela sua obra como pela história da sua vida; dificuldades para conseguir viver do seu ofício, etc.

Tomo Literário: Que livros, de quaisquer gêneros, você recomendaria aos leitores? Está lendo algum atualmente?

Acabei de reler “Possessão Alienígena”, livro que organizei pela editora e livraria Devir. Estou também relendo Drácula. Já li essa obra em outras publicações, mas essa é especial da DarkSide Books, além de ser uma linda edição :)  Agora, o que posso recomendar é que o leitor procure ler aquilo que ele gosta (e também até o que não gosta, pois aprendemos muito com essas leituras). Ler é sempre bom e enriquece o nosso vocabulário, maneira de pensar, memória e conhecimento. 

Tomo Literário: Além da literatura, quais são os outros interesses do Ademir Pascale?

Ademir Pascale: Adoro séries televisivas, filmes e HQs. Também curto culinária. Gosto de cozinhar. Adoro massas: pastel, pizza, etc. Nas horas vagas ligo meu videogame e jogo com minha esposa e filhos. Passamos horas jogando :)

Tomo Literário: Gostaria de deixar algum comentário para os leitores do blog?

Ademir Pascale:  Agradeço pela entrevista. E para os leitores: leiam bastante, pois a leitura só traz benefícios. 

Sites e redes sociais do autor:




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages