Escuridão – Alexandre Moreira - Tomo Literário

Post Top Ad

Escuridão – Alexandre Moreira

Compartilhe


Ambientado na Amazônia, Escuridão, livro do escritor Alexandre Moreira, traz uma história de estratégia, terror, medo do desconhecido, guerra provocada por casualidades inexplicáveis e do encontro do homem que carrega o mal com o mal representado por eventos misteriosos, bizarros e cruéis. Se você procura um bom livro de terror em que o clima de tensão vai da primeira até a última página, Escuridão foi feito para você.

A história tem início nos remotos tempos de 150.000.000 a.C. – Era Mezozóica, em algum lugar um pouco ao sul do Equador. Ali são demonstrados alguns elementos que vão tomar o imaginário do leitor e estarão presentes nos acontecimentos que datam de 2003, período temporal em que iniciamos a jornada pela história com os personagens que passamos a conhecer.

Um grupo de soldados americanos é encontrado com seus corpos despedaçados. Há pouco sangue, nenhum sinal de projétil em seus corpos, nada de formigas ou bactérias devorando-os. No entanto, acreditam os americanos, que brasileiros tinham atacado o referido grupo. De outro lado, brasileiros também são achados em situação similar. Estes, por sua vez, acreditam que os americanos tenham provocado o ataque aos soldados. Em meio à Floresta Amazônica, numa área chamada de TD-9, os grupos buscam por quem cometeu a carnificina. É no emaranhado de detalhes que vão sendo revelados que a incerteza e o medo dos personagens vai aumentando.

O medo que paira em relação ao que ronda os personagens vem daquilo (ou daquele) que os ataca e provoca tensão o tempo todo. Soldados que vivem situações inóspitas e que requer coragem e valentia, que estariam, teoricamente, preparados para todo e qualquer acontecimento, são surpreendidos. Com eles, nós leitores, somos levados a uma jornada sombria pela floresta. Tensão. Eis aí o elemento fundamental que se mantém por toda a leitura e que dá um clima angustiante ao livro.

“Uma coisa era certa: humano ou não, algo desconhecido caminhava pela floresta. Algo ou alguém que matava homens como moscas.” Interessante observar que tanto os personagens como nós, leitores, somos levados pouco a pouco a desvendar os mistérios que cercam os grupos, o que permite um mergulho no conflitos e no abalo que os personagens vão sofrendo na medida em que a história avança.


Para além dos ataques misteriosos há surpresas que o grupo de homens enfrentará. Os guerreiros da selva passam por momentos inusitados num ambiente inóspito e soturno. Vale dizer ainda que temos um duelo entre os grupos, posto que uns estariam por ali em decorrência da biopirataria, lucrando, portanto, com a natureza oferecida pela floresta. O outro grupo, o de brasileiros, está ali alocado para proteger o local. Entra em cena um joguete político que faz com que os grupos tracem estratégias para surpreender o inimigo, sem perceber (a priori) que há um inimigo maior e comum aos dois lados.

Além do terror presente na história, temos camadas em que são abordadas a ira, o poder, a ganância e o orgulho dos homens. Essas camadas aparecem nas ações e diálogos dos personagens. Temos que ressaltar a narrativa do livro que surpreende por ser ágil, objetiva, mas sem perder detalhes essenciais das cenas e que deixam o leitor ainda mais intrigado com tudo que acontece. Escuridão não é um livro que tem cenas detalhadamente maçantes e que aparecem somente e tão somente para preencher conteúdo. Não! No livro, tudo que ali está tem total ligação com o centro da história e, por isso mesmo, a tensão consegue ser mantida. Ficamos o tempo todo de olhos bem abertos, a espreita do próximo acontecimento, aguardando pela próxima surpresa que nos será revelada.

“Eram os deuses da selva. Tudo que nela crescesse, caminhasse ou rastejasse era seu, para ser consumido no momento em que lhes conviesse. Assim fora e assim seria, ao longo de longas e incontáveis gerações, do primeiro ao último dos dias daquele planeta.”

A tensão e o clima de medo são sustentados até a conclusão do livro. Escuridão é repleto de ação. A ambientação na floresta amazônica é outro ponto favorável que nos coloca num cenário que, por si só, já mexe com a imaginação do leitor. Saber, que naquele local onde estão os personagens, mal se vê o sol, porque estão cobertos pelas copas das árvores, além de toda sorte de animais que pode haver por ali, nos transporta para dentro das páginas do livro. E o que os ronda nos causa arrepios. Mapas e fotos que estão nas páginas iniciais provocam-nos também. Ficamos curiosos em relação a conexão de tais elementos com a história e a intriga aumenta, o mistério se faz, as revelações surpreendem, a escrita do autor é certeira e o bizarro em confronto com o psicológico dos personagens só nos faz querer mergulhar em cada linha que lemos.

Escuridão foi publicado em 2003 (220 páginas) e é um daqueles livros de terror que terminamos boquiabertos pela qualidade de tudo que lemos. Que livro, minha gente! Que livro!



Ficha Técnica

Título: Escuridão
Escritor: Alexandre Moreira
Editora: Papel Virtual
Edição:
Número de Páginas: 220
Ano: 2003
Assunto: Literatura brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages