[Quotes] O Homem Rouco, de Rubem Braga - Tomo Literário

Post Top Ad

[Quotes] O Homem Rouco, de Rubem Braga

Compartilhe


O Homem Rouco, livro de Rubem Braga, reúne quarenta crônicas do autor, que foram escritas em 1948 e 1949. Durante a leitura do livro separei alguns trechos e compartilho com vocês dez deles. Confira.

...não se deve queimar a crença de muitos, nem muito menos a arte de todos...

E alguma coisa, talvez a idade, alonga nossas distâncias sentimentais.

...a vida é curta e, enquanto pensamos, ela se vai, e finda.

...já notei que as pessoas verdadeiramente sóbrias não enxergam muito; veem apenas provavelmente o que está adiante de seus olhos no tempo presente.

Ora anda tão feio o mundo dos homens! Anda aborrecido e feio.

A beleza, suprema benção das coisas e das criaturas, é também um pecado, punido pelo desentendimento que desliga o que é belo de sua própria função para apresenta-lo apenas em sua forma.

O lixo é vosso: meus são estes metais que brilham, meus são estes vidros que esplendem, minha é esta consciência limpa.

...a esperança sobrevive à custa de mutilações. Vai minguando e secando devagar, se despedindo dos pedaços de si mesma, se apequenando e apodrecendo, e no fim é tão despojada que se reduz ao mais elementar instinto de sobrevivência.

O bom livro é assim (...) uma festa em família e para o autor mesmo – não pomba nem corvo que se lança aos ares do mundo com mensagens vãs, mas um humilde canteiro de flores de papel que fazemos para enfeitar o nosso berço, a nossa casa e a nossa própria sepultura.

A resenha do livro também está disponível aqui no Tomo Literário.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages