Novelas Nada Delicadas – Marcos Well - Tomo Literário

Post Top Ad

Novelas Nada Delicadas – Marcos Well

Compartilhe



“Escrever pornografias não está no sangue de qualquer um e tem que, principalmente, dar a cara a tapas para viver disso. Primeiro porque as pessoas vão te olhar com desprezo, simplesmente pelo fato de você tratar de sexo em suas histórias. Segundo, elas vão ter inveja, pelo fato de que você tem coragem de falar disso, e elas não. Obscenidade, erotismo, libertinagem estão em tudo. Tudo o que tocamos ou fazemos é movido pelo desejo. A alma é sexual.”

Novelas Nada Delicadas foi publicado pela Editora Ella em 2018. O livro de Marcos Well apresenta histórias ligadas ao erotismo e ao sexo, tratando abertamente de fetichismo. No universo ficcional criado pelo autor, o leitor vai conhecer a história de personagens que se lançam ao prazer, sem amarras sociais, mas que tem consciência daquilo que algumas questões podem representar no meio em que vivem. Outrossim, eles também questionam valores que lhe são impostos sem, contudo, deixarem de usufruir e de se entregar ao prazer.

Em tempos em que as pessoas são mascaradas em função do que os outros pensam, do que os outros falam, do que os outros vão interpretar, os personagens que estão presentes nesse livro se lançam ao prazer sem medo, sem vergonha, com intensidade de quem quer viver e ter prazer, sem causar desconforto. Querem, no íntimo, usar de liberdade.

O Escravo é a primeira novela que compõe a obra. Alek protagoniza a narração de sua experiência sexual para Mýa Rivers. Ela é a personagem que vira o fio condutor de todas as novelas presentes no livro. Mýa é escritora e está trabalhando na escrita de um livro que fala sobre pessoas e seus fetiches, tal qual o próprio livro do qual faz parte.

A indagação do subtítulo da obra guia o leitor para o entendimento do que se trata a abordagem que a autora-personagem faz implicitamente ao longo do livro: qual o limite entre fetiche e insanidade?

Mýa recebe em seu apartamento os homens que contam suas experiências. É aí que o sexo entra na trama, por meio da narrativa contada pelos personagens que as protagonizaram. Alek, o escravo da primeira novela, conta sua história de prazer servindo a um dominador.

Pyppy é a segunda narrativa e Pedrinho a protagoniza. Ele é um personagem carismático e ousado. Aliás, ousadia é a sua marca. É para Olavo, um Sugar Daddy, que ele se entrega a seu fetiche de ser um pet do homem.

Interessante observar nos personagens criados pelo autor Marcos Well as nuances de toda a sua constituição. Eles estão na trama com a presença forte da sexualidade e da manifestação de seus desejos, mas também demonstram seus contornos psicológicos, o seu papel social (em amplo aspecto), a sua caracterização quanto ser humano e não apenas como “objeto sexual” – grifo meu –, o que pode supor o leitor menos avisado, por tratar-se de um livro de temática hot. O livro é obviamente erótico, explícito, com obscenidades e as nuances dos personagens para além do sexo enriquecem a trama e fazem o leitor adentrar ainda mais no universo proposto pelas novelas nada delicadas.

Para quem não tem hábito de ler livros com temática sexual ou que tem preconceito com o gênero, recomendo que abra a mente e busque bons autores. Autores que consigam, para além do sexo, delinear uma boa trama, personagens que não são meramente atores sexuais, mas que tenham uma vertente interessante e provocativa dentro da história. Marcos Well consegue fazer isso muito bem.


A terceira novela chama-se O Voyeur, cujo título é autoexplicativo e demonstra claramente ao que se refere o conteúdo que o leitor terá acesso. Mýa ouve os relatos de Ivan, que declara em certo trecho de seu depoimento: “A nossa sociedade nos impele a usar máscaras, a fingirmos sermos quem não somos para podermos conviver em harmonia.”

Dando sequência entra em cena Hera, que Mýa conhece num encontro que, para ela, não fora nada agradável por mexer com o seu passado. Hera revela a ela a sua atuação como dominatrix, trabalho que exerce para dar prazer aos homens que a procuram.

“Sinto-me mulher, resto-me como mulher, vivo como mulher. Não tenho muito que explicar sobre isso. Sempre que falo a alguém quem sou, o que me levou a ser assim, me pedem mil explicações, quando na verdade apenas têm o dever de me respeitar pelo que sou, não me aceitar. Não preciso ser aceita em lugar nenhum. Eu sou, e isso basta.” Aqui temos um bom exemplo de questões que são abordadas e que vão para além do sexo e do erotismo presente no livro. Fala-se, portanto, do humano. Um cutucão para refletir e para despir-se de preconceito.

A escrita de Marcos Well tem fluidez e garante uma sequência que se faz natural de uma novela para a outra, garantindo unicidade no livro, ainda que cada uma das novelas possa ser lida separadamente. Mýa e a composição de seu livro é o centro que leva às narrativas. A personagem transita perfeitamente na trama e traz à tona seu passado, além de pessoas que estão a seu redor, como a amiga Bete, que garante uma boa dosagem de humor.

A Pornógrafa / O Podólatra encerra as novelas nada delicadas em que Mýa se revela com mais intensidade sexual ao leitor. O personagem que a aborda diz: “...eu poderia lhe mostrar toda a magia que há por trás dos sentidos.” E para fechar definitivamente, o livro traz um conto bônus intitulado O Homem dos Meus Sonhos.

Novelas Nadas Delicadas é um livro repleto de sexo, bem contextualizado e que aborda o prazer para além do senso comum. Temos fetiches bem apresentados e que tem ligação com a proposta da obra. A pluralidade de personagens que aparecem em cena mostram a diversidade que existe na sociedade, mostra ainda que todos podem ser o que quiserem em suas vidas privadas.

Leia sem preconceito! Recomendo.

Sobre o autor:


Marcos Well é baiano, graduando em Ciências Econômicas. Autor do romance Epicuro em Meu Jardim publicado em 2016. Sempre foi apaixonado por literatura. Começou a escrever ainda criança, quando fazia versões ilustradas de contos infantis clássicos. É autor dos contos eróticos: O  Homem dos Meus Sonhos e Taú e foi finalista do II Concurso Nacional de Criação Literária Kazuá: Prêmio Tatu de Romance.

Ficha Técnica

Título: Novelas Nada Delicadas
Escritor: Marcos Well
Editora: Ella
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-8405-141-0
Número de Páginas: 198
Ano: 2018
Assunto: Literatura erótica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages