Rio Vermelho – Amy Lloyd - Tomo Literário

Post Top Ad




“O corpo da menina foi encontrado 76 horas depois da comunicação de seu desaparecimento. As pontas dos dedos tinham sido removidas por um alicate de desencapar e cortar fios – uma tentativa deliberada de ocultar a prova do DNA, uma vez que fragmentos da pele do agressor teriam ficado sob as unhas da vítima, que o teria arranhado...” Assim temos abertura do prólogo de Rio Vermelho, livro da escritora Amy Lloyd, que foi publicado no Brasil pela Faro Editorial em 2018 (1ª edição, 266 páginas) com tradução de Carlos Szlak. O livro foi o ganhador de uma competição do jornal britânico Daily Mail.

Dennis Danson foi preso pelo assassinato de uma criança. Crime este que ocorreu em Red River, na Flórida. Naquele local também havia acontecido uma série de desaparecimentos, que não foram elucidados e dos quais algumas pessoas suspeitavam da participação de Dennis. Pelo crime brutalmente cometido contra a menina, ele foi julgado e condenado à morte. Aguardando sua pena no corredor que o levaria ao fim, Dennis figura como protagonista de um documentário sobre crimes reais, conduzido por Carrie.

O filme levanta controvérsias, posto que identifica algumas lacunas e possíveis equívocos cometidos na investigação que não poderiam ratificar que Dennis fosse o culpado pelo crime. Isso gera uma movimentação das pessoas que pedem revisão de seu julgamento, alegando que há falhas no processo e que ele, portanto, é inocente.

De modo bastante sagaz a autora usa as redes sociais como o mecanismo para gerar a campanha pró-libertação de Dennis, trazendo para a história o que ocorre de fato fora da ficção. Pessoas compartilhando informações, julgando e inocentando pessoas, com base em informações passadas por terceiros (nem sempre confiáveis). No caso da trama, a movimentação se dá pela convicção da cineasta de que o jovem bonito e atlético – o que também enseja uma imagem pré-concebida – não cometera aquele crime.

Samantha, uma professora de 31 anos, que mora na Inglaterra e que havia terminado um relacionamento, ainda carregava dores em relação ao rompimento, no entanto fica obcecada pela história de Dennis. Ela acredita piamente em sua inocência.

Sam, como é chamada, passa a escrever correspondências para o prisioneiro.  “Sei que você é inocente” – ela escreve na primeira carta. Ele as responde e os dois se correspondem até que ela decide ir encontra-lo. Sai da Inglaterra e vai até a prisão de Altoona. O envolvimento ocorre, eles se casam e então, Dennis passa por novo julgamento, no qual o juiz declara-o inocente pelo crime que havia sido condenado.

Ao conviver com Dennis, Samantha começa a se sentir incomodada com uma série de ações do marido. Ela também desconfia de alguns acontecimentos, mas coloca o seu sentimento por Dennis acima de tudo. A personagem, desde o início da trama, apresenta dependência emocional e tem verdadeira obsessão pelo rapaz. O relacionamento que havia terminado, antes da consumação de seu casamento, ainda ecoa na sua mente, bem como sua auto-estima está um tanto quanto prejudicada. O que se revela, inclusive, quando ela não se vê a altura de Dennis. Sam, certamente, é uma mulher insegura.

A história ganha ares sombrios e de demonstração da obsessão de Sam por Dennis, de quem sente ciúme pela convivência com Lindsay. Sente-se deixada de lado, suas fragilidades são aguçadas e a desconfiança com as ações de Dennis também a perturbam.



Quando eles voltam a Red River temos uma noção de toda a estrutura familiar de Dennis e de como ele fora criado, bem como vem à tona questões relacionadas a seu passado que suscitam dúvidas sobre o crime do qual ele foi acusado. Samantha, apesar de dizer que confia no marido, demonstra medo de tudo que acontece. Fica assustada e acuada na casa em que eles vivem. As cenas que se passam em Red River trazem ao livro uma boa dosagem de suspense e mistério que permeia o caso.

Sam é uma personagem complexa. Psicologicamente ela tem traços de uma visão distorcida sobre si e sobre os outros. Em certo trecho do livro ela, ao mirar-se no espelho, pensa: “Talvez eu seja uma dessas pessoas que acham que são feias, mas, na realidade, são belas e não conseguem ver isso”. Ela parece buscar um mundo perfeito que existe em seu imaginário e demonstra incerteza e insegurança em relação ao que vive e sobre a verdade, o que  faz com que ela afaste evidências e se frustre com os fatos. Em dado momento, caro leitor, você  há de se questionar se pessoas como Sam realmente existem. A personagem é bastante crível e existem mais Sam’s do que podemos imaginar.

Dennis também é um personagem de psicologia complexa que demonstra ares de bom moço e parece reservar algo de sombrio no recôndito de sua personalidade. É um personagem enigmático, que não se revela por inteiro aos personagens com quem contracena – o que nos rende um bom mistério em relação a sua pessoa. Lindsay, outra personagem da história, é uma mulher que também tem um viés de conflitos, assim como Howard – amigo de infância de Dennis – que surge na trama quando o casal passa a morar em Red River.

A autora aborda em seu livro questões próprias da sociedade contemporânea, tais como: o uso das redes sociais para julgar ou inocentar alguém, dando de certo modo um alerta ao leitor sobre o que se lê e se reproduz no ambiente virtual. Trata ainda do desconforto com os padrões impostos pela sociedade (Dennis é tido como um rapaz bonito, enquanto Sam é tida como fora dos padrões, e ela sente-se reprimida por isso). Aborda ainda o conceito pré-estabelecido que as pessoas criam (note bem) acerca de uma determinada pessoa e que se coloca como verdade absoluta (positiva ou negativamente falando).  Amy Lloyd traz personagens psicologicamente bem arquitetados e que com seus problemas internos suscitam conflitos. Em Rio Vermelho não faltam os crimes brutais, a comoção popular, os sentimentos humanos, alguns bastante exacerbados e uma forte presença de mistério. Tais elementos intrigam o leitor e prendem a atenção até o final da obra.

O desfecho do livro é de tirar o fôlego. Prepare-se para revelações que atordoam.

Rio Vermelho é um thriller fantástico. Uma excelente história sobre obsessão, crime e mistério.

Foto: Lara Lewis
Sobre o autor

Amy Lloyd estudo inglês e escrita criativa na Universidade Metropolitana de Cardiff. Ela ganhou a competição nacional do jornal britânico Daily Mail com este livro. Vive em Cardiff, no País de Gales, com seu parceiro e dois gatos.

Ficha Técnica

Título: Rio Vermelho
Escritor: Amy Lloyd
Editora: Faro Editorial
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-9581-014-3
Número de Páginas: 266
Ano: 2018
Assunto: Ficção de suspense



2 comentários:

  1. Eu peguei ontem pra ler e já tô viciada desde o prologo.
    Amei a resenha. Já vi que vou enlouquecer.
    Bjksss

    ResponderExcluir
  2. Bom dia,

    Estou lendo o livro e gostando bastante, vamos ver aonde tudo isso vai dar....kkk..parabéns pela resenha...abraço.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages