[Entrevista] P. P. Rodd - Tomo Literário

Post Top Ad



Ele é carioca, tem 28 anos e é autor do livro Os Contos de New Locked City e também tem publicações no Wattpad. Escreveu seu primeiro livro aos 14 anos de idade e começou a escrever a história de New Locked City em 2009, postando capítulos em um blog. P. P. Rodd falou ao Tomo Literário sobre o início de sua jornada no meio literário, seu livro, novos projetos, mercado editorial e romance policial. Confira a entrevista.

Tomo Literário: Como e quando foi o seu primeiro contato com a literatura?

P. P. Rodd: Meu primeiro contato com a literatura se deu com a famosa Coleção Vaga-Lume, da editora Ática e seus livros fantásticos, como Éramos Seis e A Ilha Perdida, e com alguns livros de Maria José Dupré (como A Mina de Ouro e Cachorrinho Samba). Mas a paixão pela literatura, de fato, ocorreu com a série Harry Potter. Aos 13 anos, eu descobri a série e foi paixão à primeira “lida”. Rsrs

Tomo Literário: Os Contos de New Locked City foi publicado pela Editora Autografia. Como surgiu a ideia do livro?

P. P. Rodd: A ideia surgiu em meados de 2009, quando eu era moderador de uma comunidade de antiga rede social. Eu conversava bastante com os outros moderadores e nos tornamos grandes amigos. Um dia, enquanto escrevia um livro de fantasia infanto-juvenil, me ocorreu a ideia de escrever uma “série blogueira”, utilizando alguns nomes e personalidades de amigos dessa comunidade virtual. Foi tiro e queda. Logo, com a trama desenhada, eu soltava capítulos às quintas e sábados, como um verdadeiro seriado. Tempos depois, tive a ideia de transformar esses capítulos do blog em um livro. Hoje, ele está aí. À venda nas melhores livrarias do país, em uma parceria de sucesso com a Editora Autografia.

Tomo Literário: Você começou escrevê-lo em 2009. Qual foi o maior desafio durante o processo até a publicação?

P. P. Rodd: Há muito desafios ao longo do caminho até a publicação. Eu costumo dizer que a melhor parte de contar histórias é imaginar o enredo, criar tramas e reviravoltas. O primeiro desafio é o planejamento. Você precisa planejar o enredo, desenhar uma linha do tempo com início, meio e fim para sua trama e buscar amarrar todos os possíveis furos de sua história. Em segundo lugar, conseguir uma boa editora que invista no seu enredo e acredite na sua trama e por fim, trilhar um árduo caminho de divulgação até que seu livro se torne conhecido e cai no gosto popular.

Ilustração do autor inspirada em personagens do livro
Tomo Literário: A cidade fictícia do livro foi inspirada em alguma cidade real? E os personagens? Inspira-se em pessoas reais?

P. P. Rodd: New Locked City é uma cidade totalmente inspirada em uma Nova York noir – daquelas que sempre assistimos nos filmes de detetives norte-americanos – e que atravessa um inverno enregelante.

Quanto aos personagens, sim. Eles são inspirados em amigos meus, desde o nome de alguns até características físicas e a personalidade (a dedicatória, inclusive, é um trocadilho em homenagem a eles).

Tomo Literário: Você tem pretensões de criar mais livros com o Detetive K?

P. P. Rodd: Minha ideia inicial sempre foi uma trilogia para Os Contos de New Locked City. Uma delas, contando uma espécie de história de “origem” de alguns personagens em uma trama completamente nova, amarrando algumas pontas soltas deixadas propositalmente no primeiro livro. O terceiro livro, seria uma história que aconteceria três anos após os eventos de Os Contos de New Locked City – mas toda a série com o Detetive K como personagem principal.

Tomo Literário: O que te move a escrever?

P. P. Rodd: Sou apaixonado por contar histórias. Amo minhas ideias, minhas personagens, as tramas que se desenvolvem na minha mente e sinto uma necessidade imperativa de contar todas essas históricas que habitam meu imaginário. Talvez seja isso, até hoje, que me motiva a escrever.

Tomo Literário: Na sua visão, quais são os maiores desafios para os escritores brasileiros, em especial, os do gênero de romance policial?

P. P. Rodd: Hoje, o maior desafio, para mim, é tornar-se conhecido. O brasileiro, de um modo geral, pouco lê e pouco se interessa pela leitura e cabe ao autor que está embrenhando-se nessa seara ser persistente se quiser tornar sua obra conhecida. O romance policial ainda respira, felizmente, vide autores em destaque na literatura nacional, como Raphael Montes, por exemplo. Mas acredito que, com força de vontade e resiliência, os autores nacionais de romance policial podem alçar grandes voos no mercado literário brasileiro.

Tomo Literário: Tem algum novo projeto literário vindo por aí? Pode nos adiantar um pouco sobre ele?

P. P. Rodd: Claro que sim. Atualmente, estou trabalhando em um livro de fantasia épica – no melhor estilo O Senhor dos Anéis e tem me dado um baita trabalho. Postei alguns capítulos lá no Wattpad.

Aqui vai uma breve sinopse:

Em A Guerra dos Guardiões, o mundo de Eirin está agitado com um evento inédito em toda sua história: O Ano da Elegibilidade. Após a saída dos cinco antigos Guardiões, os continentes estão na expectativa da indicação de seus novos protetores.

O mais novo de todos, Petr Bravior, vive o dilema de decidir entre assumir o trono de seu reino ou o cargo de protetor do continente, enquanto lida com a morte do avô, o antigo rei, e o sumiço misterioso de seu pai, o antigo Guardião.

Já no continente de Aladar, o jovem e afoito Zakkar almeja o posto de Guardião desde os doze anos de idade, mas para chegar até lá, terá de enfrentar o preconceito por parte do Conselho dos Guardiões e até mesmo o de sua família, devido seu sangue mestiço.

A grande surpresa, vinda do reino de Badorian no continente de Eurodian, Ivyna Heinhardt, vive à sombra do irmão, o antigo guardião do continente e luta contra as imposições e vontades de sua mãe para poder viver o sonho de se tornar uma Guardiã.  

No continente de Elstoen, a disputa pelo posto de Guardião agita o reino de Candorn quando dois irmãos, que antes viviam pacificamente, lutam para ascender ao posto.

No continente de Turmis, Louk Savya é o favorito para assumir o cargo, porém uma tórrida paixão proibida pode comprometer seu futuro como Guardião. Mas, enquanto toda Eirin aguarda pela nomeação dos novos Guardiões, um novo mal surge em Purysia, a ilha dos elfos sacramentadores, algo que pode abalar o passado, presente e futuro do mundo de Eirin e alterar para sempre a história dos Cinco Continentes.

Tomo Literário: Que autores você recomenda ou quais autores influenciaram o seu trabalho como escritor?

P. P. Rodd: Dos autores que influenciaram meu trabalho, posso destacar: Maria José Dupré e seus livros que marcaram minha infância, J. K. Rowling com a série Harry Potter que foi a ignição de minha paixão pela escrita, Dan Brown por suas tramas muito bem construídas e reviravoltas, com uma riqueza de detalhes – vide Ponto de Impacto que aguardo o filme até hoje, C. S. Lewis por As Crônicas de Nárnia com sua leveza e simplicidade e J. R. R. Tolkien, por um mundo fantástico marcante e incomparável.

Ilustração do autor 
Tomo Literário: Que livros, de quaisquer gêneros, você indicaria aos leitores e de que maneira esses livros te tocam?

P. P. Rodd: Recomendo toda a série Harry Potter – pela magia que há naqueles livros. A excelente trilogia de Suzane Collins (Jogos Vorazes) também é uma série fantástica e com uma mensagem de reflexão profunda que me marcaram bastante. E, sem dúvida, os livros de Dan Brown e John Bellairs, que inclusive vai virar filme com Jack Black no elenco (O Mistério do Relógio na Parede).

Tomo Literário: Quer deixar algum comentário para os leitores?

P. P. Rodd: Espero que, do fundo do meu coração, você tenha gostado de Os Contos de New Locked City. Se você ainda não leu, não perca tempo! Compre já o seu nas melhores livrarias do país e não deixei de acompanhar as novidades lá na página oficial do autor no Facebook ( https://www;facebook.com/RealPPRODD/ ) e os livros que tenho publicado no Wattpad ( https://www.wattpad.com/user/PPRodd ).

Conheça o livro

Os Contos de New Locked City

O frio atroador assola as ruas da cidade.

Uma rosa cai sobre o caixão, sob o olhar intrigado de um detetive.

O relatório do legista era enfático – Gabriel cometera suicídio. Mas para K, um solitário policial, algo não se encaixava: Gabriel ascendia como economista. Por que se mataria? Obstinado a descobrir os segredos por trás da morte de seu amigo, K encontra uma série de misteriosas pistas. Com a ajuda da legista Maria, os dois iniciam uma investigação cheia de grandes mistérios.





Leia no Wattpad




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages