Relato de um Náufrago – Gabriel García Márquez - Tomo Literário

Post Top Ad

Relato de um Náufrago – Gabriel García Márquez

Compartilhe


“Se a balsa fosse abastecida com água, biscoitos empacotados, bússola e instrumentos de pesca, certamente estaria tão vivo como agora. Mas com uma diferença: não teria sido tratado como um herói. De maneira que o heroísmo, no meu caso, consiste exclusivamente em não ter me deixado morrer de fome e de sede durante dez dias.”

Relato de um Náufrago, do escritor ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 1982, Gabriel García Márquez, conta a história de um homem que passou dez dias em alto mar após o naufrágio de um barco.

A história contada no livro é real. Foi em 1955, mais precisamente no dia 28 de fevereiro daquele ano, que oito tripulantes do destroier chamado Caldas, pertencente a Marinha da Colômbia, passaram por uma tormenta em pleno Mar do Caribe. Das oito pessoas que estavam no navio, apenas Luís Alexandre Velasco sobreviveu. No período em que ficou no mar, passando fome e sede, ele viu quatro de seus companheiros morrerem.

Decorrido o período em que ficou no mar, ele chegou até uma vila de pescadores numa praia no norte da Colômbia. Lá foi encontrado quase morto.

Luís Alexandre foi levado pelas autoridades para um hospital naval e autorizado a falar única e exclusivamente com jornalistas que pertenciam ao regime do país. Um, no entanto, se apossou do disfarce de médico e, mesmo sendo da oposição ao regime, conseguiu entrevistar o sobrevivente que estava se tornando um herói com seus discursos patrióticos em rádio e televisão. A Colômbia vivia o regime de ditadura militar do General Gustavo Rojas Pinilla.

O sobrevivente procurou depois o jornal El Espectador de Bogotá oferecendo sua história. Foi então que um repórter iniciante, que depois viria ganhar o Prêmio Nobel de Literatura e a consagrar-se como escritor, teve com ele sessões na qual Velasco contou sobre o naufrágio.

Segundo palavras do próprio autor: “Minha primeira surpresa foi que aquele moço de 20 anos, sólido, mais com cara de trompetista que de herói da pátria, tinha um instinto excepcional da arte de narrar, uma capacidade de síntese e uma memória assombrosas, e bastante dignidade natural para sorrir do próprio heroísmo.”

Gabriel García Márquez descobriu nos relatos do sobrevivente, sobre os quais fazia anotações e perguntas traiçoeiras para averiguar contradições, que não havia sido uma tormenta que causara o trágico naufrágio – como acreditava-se inicialmente. Havia de fato acontecido um acidente, que poderia ter sido evitado. Foi em vinte sessões de seis horas diárias, como Gabo menciona na abertura do livro, que conseguiu reconstruir o relato.

O destroier que pertencia  a Marinha estava carregando contrabando e a carga se soltou com a força dos ventos e a agitação do mar, levando os oito tripulantes para as águas do oceano. Essa era a verdade, que até então nunca havia sido publicada. A história foi contada em quatorze episódios no jornal. Toda a reviravolta no caso virou uma denúncia política, que culminou no fechamento do veículo jornalístico para o qual Gabriel García Márquez escrevera a história e gerou também o seu exílio.

Em Relato de Um Náufrago, contado em primeira pessoa, há uma transcrição jornalística dos acontecimentos narrados pelo sobrevivente do acidente. Mesmo tratando-se de um relato jornalístico, o que por si só já seria um bom motivo para ler o livro, a história é digna de um grande livro ficcional. Parece uma história fantástica advinda da mente brilhante de algum consagrado escritor, no entanto, não o é. Como dito, os fatos são verídicos.

A transcrição de Gabo me chama a atenção, assim como outros livros do autor, pois ele imprime um ritmo constante que nos fixa na leitura e nos faz querer ler mais, avançar na obra. Já havia notado tal característica quando da leitura do livro Crônica de Uma Morte Anunciada.

É um livro que merece ser lido. Gabriel García Márquez é um autor que me conquistou. Não só pela sua consolidada carreira e pela consagração de seu trabalho com a premiação que obteve de Nobel de Literatura, mas porque ao ler os seus livros, sinto-me de fato sugado para dentro da história. Relato de um Náufrago é um livro curto, de leitura agradável, narrativa coesa e fluída.

A edição lida, que foi publicada pela Editora Record em 2013, conta com ilustrações de Carybé e o texto foi traduzido por Remy Gorga Filho.

Uma excelente dica de leitura!

Foto: Reprodução
Sobre o autor

Gabriel García Márquez nasceu em 1928 na alteia de Aracataca, nas imediações de Barranquilla, Colômbia. Autor de alguns dos maiores romances do século XX e mestre do realismo mágico latino-americano, recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1982. Entre suas principais obras estão Cem Anos de Solidão, O Amor nos Tempos de Cólera, Crônica de Uma Morte Anunciada, Notícia de um Sequestro e Memória de Minhas Putas Tristes.

Ficha Técnica

Título: Relato de um Náufrago
Escritor: Gabriel García Márquez
Editora: Record
Edição: 38ª
ISBN: 978-85-01-01120-6
Número de Páginas: 143
Ano: 2013
Assunto: Relato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages