Passagem Para a Escuridão - Danilo Sarcinelli - Tomo Literário

Post Top Ad

Passagem Para a Escuridão - Danilo Sarcinelli

Compartilhe


“Amor e tragédia tinham o péssimo hábito de caminhar de mãos dadas, tão unidos quanto a palha entrelaçada de um cesto.”

Passagem para a Escuridão, livro de Danilo Sarcinelli foi publicado em 2016 (293 páginas), pela Editora Verve. Trata-se do livro um de uma série de fantasia medieval.

Lúcio Dante, príncipe de um reino, está  prestes a completar dezoito anos de idade e não se interessa em fundar impérios. Sentia-se feliz com seus amigos e com a família e, sobretudo, encontrava acalento em seu amor por Pandora, uma plebeia, servente do palácio. Tal situação, dentro de um reino, certamente causa desconforto e traz a não aceitação por parte da família do príncipe. Lúcio “tinha tudo que precisava para ser feliz”.

E por falar em família... Na história o leitor vai conhecer também o tio de Lúcio, César, que no passado fora exilado do reino, após alegar que ali haviam hereges, adoradores do demônio. Seu próprio pai, o Rei Augusto Dante, fora o responsável por afastá-lo de sua terra. Ele, que de certo modo, ambicionava ocupar o trono, acabara destituído de sua própria terra.

Lúcio, o sobrinho e príncipe, às vésperas de seu aniversário, sofre um acidente, ou melhor, é atacado por alguns homens, e passa a ter pesadelos com uma figura sombria.

“As noites de terror se sucediam, cada uma pior que a anterior.”

Mas não pense o leitor que a fantasia da obra e a história ficará apenas nas questões de fato. No história pretérita daquele reino havia Arkmal, um demônio. O ser havia caído, diante da crença que os habitantes tinham no deus sol-Ravi, mas o ente demoníaco manteve o desejo de encontrar um modo de abrir o Portão do Submundo. E há seus adoradores. O mal e o bem que outrora disputaram espaço, pode novamente se ver num embate.

No reino, por séculos e séculos, aventureiros lançaram-se na busca de um livro sagrado, o Grimório. Havia também um outro artefato bastante procurado, a espada solar. Os objetos em questão causam furor e despertam desejo em vários homens que visam possuí-los. Isso, naturalmente, rende intrigas, conflitos, conchavos, ações efetuadas na surdina entre as paredes do palácio e em todo o reino

Aparentemente a família Dante, que tornou a Tibéria um reino próspero, não tem inimigos.  Será? Eis que já temos todos os elementos necessários para o desenrolar de uma boa trama: um príncipe aparentemente desconectado das questões de poder, mas que carrega sonhos de um jovem apaixonado; um tio que desejava o poder, mas se vê mitigado pela sua percepção do passado; e a existência de coisas sobrenaturais rondando o reino, rodando a tudo e a todos. Os homens, com sua obsessão pelo poder, são capazes de coisas inimagináveis.

A história criada por Danilo Sarcinelli usa bem de tais elementos e traz personagens despertados pela cobiça, pelo poder e por suas ambições pessoais (sejam elas quais forem).

Passagem para a escuridão é um livro de literatura medieval fantástica que tem uma trama envolvente, com segredos e mistérios que vão tomando conta das páginas. Interessante observar o viés de ação dos personagens, posto que alguns trazem consigo uma dualidade nos atos que nos faz pensar se estão a favor ou contra o reino, se estão imbuídos de interesse coletivo ou se mascarando para conseguir atingir os seus objetivos particulares. Aos poucos, em dosagens que vão intrigando os leitores, as ações vão se desenrolando e as características de tais personagens vão sendo reveladas. O autor utilizou bem esse jogo, deixando o leitor “com a pulga atrás da orelha”, numa trama intrincada

A Cípria acaba se vendo soterrada pelo desejos humanos o que coloca o reino em guerra civil. Dividida, as lutas e conflitos acontecem. Além da força humana que é empregada na guerra, com o uso de estratégias, alianças e manipulações, há ainda o espreitar da escuridão, atormentando e manipulando o lado sombrio de alguns personagens. A sobrenaturalidade explanada na obra deve render muito ao longo dos próximos livros.

A trama montada pelo autor é bem arquitetada, explora todo o reino criado, posto que não fica limitado ao ambiente palaciano, e traz boas cenas de ação com os personagens. Nesse primeiro livro temos segredos e conflitos colocados diante do leitor e possibilitando-o tomar conhecimento sobre as agentes da história. O leitor conhecerá o reino, os súditos, os líderes, as famílias que detém o poderio. Lúcio, o príncipe que ansiava apenas em viver ao lado de sua amada, terá sua vida modificada pelos acontecimentos.

Faço aqui um adendo ao leitor. Vale mencionar que no final da história tem um mapa da Cípria e a árvore genealógica das famílias. No início da leitura, ajudou a fixar o entendimento da relação familiar de alguns personagens.

Passagem para a Escuridão tem uma boa história e deixa um ótimo gancho para a continuidade. Esperemos o próximo volume para acompanhar o desenrolar de personagens que podem galgar espaço na trama e apresentar boas surpresas. Vale a pena ler, sobretudo para o público que anseia por fantasia nacional de qualidade.

Foto: Reprodução
Sobre o autor:

Danilo Sarcinelli formou-se em engenharia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mas sempre teve a literatura ao seu lado. Primeiro foram os livros infanto-juvenis de Pedro Bandeira e a série de livros-jogo de RPG Aventuras Fantásticas, de Steve Jackson e Ian Livingstone. Evoluiu para os clássicos de Tolkien, Margaret Weis e R. A. Salvatore. Depois vieram as ficções histórias de James Clavell, Bernard Cornwell e Conn Iggulden, e também a fantasia sombria de George R. R. Martin. Há quinze anos escreve história inspirada nessas leituras e Passagem para a escuridão é seu primeiro romance.

Ficha Técnica

Título: Passagem para a escuridão
Escritor: Danilo Sarcinelli
Editora: Verve
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-5934-032-7
Número de Páginas: 293
Ano: 2017
Assunto: Literatura brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Post Bottom Ad

Pages