A Utopia - Thomas More

Em “A Utopia” há o desejo de uma nova sociedade. Um sociedade que pertença a um mundo ideal, e que foi criado/imaginado por More. No livro tomamos contato com uma sociedade igualitária e justa.

Na narrativa, a história de Utopia (a ilha) é contada a More por Raphael. Essa história contada por ele fora transcrita. Utopia tem uma localização incerta, embora Raphael já tenha estado lá, mas ninguém consegue ao certo dizer em que ponto está. Os moradores da ilha são chamados de utopianos.

Essa ilha se contrapõe em muitos aspectos a Inglaterra que era, na época da publicação original do livro que se deu em 1516 (mesmo ano da publicação do clássico ‘O Princípe’, de Maquiável), dominada pelo Rei Henrique VIII.

Na fantasia imaginada por More, o local tem um sistema político bem estruturado, poucas leis, no entanto, que são de extrema eficiência. Os crimes são severamente punidos e os criminosos tornam-se escravos, tendo de produzir para toda a sociedade.

“(...) deve ser sempre mais seguro abandonar um empreendimento criminoso do que lhe dar continuidade.”

Interessante observar que o  bem público tem um conceito de fato público, vez que a produção é igualmente dividida entre os utopianos. Não só aquilo que é produzido pelos criminosos, mas tudo que é produzido na ilha. Dessa forma, ninguém precisa esconder, vilipendiar, roubar, tirar de outrem, pois sempre tem a sua disposição em quantidade suficiente e necessária.

Raphael, o personagem que habitou a ilha e conta sobre ela a More, descreve o sistema social, político, econômico, o comportamento dos utopianos, o modo como pensam, a maneira com que encaram a religião e o sistema criminal-penal.

O livro é, sem dúvida, um registro do período e do universo humanista. Thomas More era, ele próprio, um homem que vivia os conceitos humanistas e acreditava num mundo com igualdade, virtude e religiosidade.

No prefácio da edição publicada pela Editora Martin Claret em 2013, Ronaldo de Oliveira Batista escreveu: “A Utopia traz em seu título a originalidade de seu autor, uma vez que o termo é criação própria do humanista, carregando significados ambíguos... pode-se compreender utopia como lugar existente ou, ainda, como lugar de felicidade.”

A construção dessa ilha com seus sistemas bem engendrados em que tudo funciona adequadamente, deixa claro que o autor criou um lugar como crítica ao sistema político, social e econômico da Inglaterra de seu tempo.

Livro clássico que deve constar em toda biblioteca pessoal.

Ficha Técnica
Título: A Utopia
Escritor: Thomas More
Editora: Martin Claret
ISBN: 978-85-7232-958-3
Edição: 1ª
Número de Páginas: 139
Ano: 2013
Assunto: Utopias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.