Clarice na Cabeceira - Clarice Lispector

“Clarice na Cabeceira” traz vinte crônicas da escritora Clarice Lispector. Cada uma das crônicas foi selecionada por um leito afeito a Clarice e, esses leitores fazem uma apresentação da crônica selecionada. Caetano Veloso, Ferreira Gullar, Lygia Fagundes Telles, Marília Pêra e Thalita Rebouças são cinco dos leitores que selecionaram os textos da escritora.

O lado cronista de Clarice “surgiu pela primeira vez na revista Senhor” em 1962. E sobre crônicas a escritora escreveu: “Crônica é um relato? É uma conversa? É um resumo de estado de espírito? Não sei.”

Nos textos que tanto despertam leitores e a curiosidade em ler, Clarice se mostra capaz de falar de uma infinidade de coisas. Fala sobre a apreciação do mar, sobre uma caneta de outro que leva a descobertas e reflexões mais profundas de um relacionamento entre mãe e filhos, sobre futebol, sobre o ato de escrever, sobre a família, sobre ser um bobo, sobre uma corrida de táxi, sobre fatos e atos da vida.

“O mundo parece chato, mas eu sei que não é.”

Pelos textos reunidos na edição publicada pela Editora Rocco em 2010, pelos romances ou pelas frases que são extraídas de sua obra e publicadas na internet ou em exemplares de reunião de pensamentos, Clarice continua presente. Sinto em Clarice Lispector uma escritora que é capaz de aguçar a vontade de ler e, ainda, a vontade de escrever. A leveza profunda de suas observações tocaram, tocam e tocarão leitores de todas as idades e de diferentes formas.

“... Não posso perder um minuto do tempo que faz minha vida. Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca.”

As crônicas que foram selecionadas fazem parte de dois livros da escritora: “Para não esquecer” (1978) e “A descoberta do mundo” (1984).

Livro para ter na cabeceira e se deleitar com os textos de Clarice.

Ficha Técnica
Título: Clarice na Cabeceira
Escritor: Clarice Lispector
Editora: Rocco
ISBN: 978-85-325-2606-9
Edição: 1ª
Número de Páginas: 176
Ano: 2010
Assunto: Crônica brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.