Eriberto Henrique traz poemas reflexivos sobre fim de um ciclo em Poemas do Fim do Mundo



Em Poemas do Fim do Mundo, Eriberto Henrique reúne uma série de poemas que foram escritos por ele durante boatos, por uma profecia, de que o mundo estava chegando ao fim. O autor produziu textos reflexivos sobre sua vida e tudo ao redor, em tom de despedida, encerrando um ciclo e recebendo um novo mundo.

Com palavras tocantes, Poemas do Fim do Mundo fala de diversas vidas, com assuntos dos mais profundos aos mais “ordinários”, das pessoas que vêm e que vão. Utilizando figuras de linguagem como metáforas e rimas, Eriberto prende o leitor e faz pensar, ao mesmo tempo em que entretém. É o livro perfeito para carregar a todo canto e para ser lido a qualquer momento. 






 
“SUBLINHADAS
Amor que não fica voa para onde não sabe,
Segue como veleiro sem levas
Em um mar de águas turbulentas.
Pássaro sem ninho num inverno rigoroso,
Que treme de frio,
Frio mais que frio,
Congelando veias pós-modernas,
Em poesias sublinhadas
Nas linhas do destino.”

Sobre o autor:

Eriberto Henrique da Silva nasceu em 04 de abril de 1985, na cidade de Jaboatão dos Guararapes, PE. Cursa Letras na Uninassau. Poeta e ilustrador desde criança, tem mais de 1600 poemas escritos. Também escreve cartas, crônicas, contos e romances. Participou do fanzine Mundo Lama Livre Caos no ano de 2009 e da antologia Verão Caliente no ano de 2015.
Eriberto Henrique traz poemas reflexivos sobre fim de um ciclo em Poemas do Fim do Mundo Eriberto Henrique traz poemas reflexivos sobre fim de um ciclo em Poemas do Fim do Mundo Reviewed by Tomo Literário on 00:05 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui seu comentário.

Tecnologia do Blogger.