Livros Lidos em Maio de 2017



O mês de maio acabou. É chegada a hora de conhecer a lista de livros lidos durante o mês.

O primeiro livro lido foi Somos Guerreiras, de Glennon Doyle Melton, publicado pela Editora Intrínseca. Trata-se da história pessoal da autora que fala sobre dores, amor e autodescoberta. É um livro em há muito de superação na história pessoal de Glennon, que teve problemas com bulimia, alcoolismo, traições e dificuldade de se aceitar.

Outro livro lido foi Ilíada, de Homero. Comecei a ler esse livro março, mas o fiz de maneira particionada. Conclui a leitura em maio. O livro trata da história da guerra de Tróia, o período final. Um clássico da literatura mundial.

Conclui também a leitura do livro Adução – O Dossiê Alienígena, de Pedroom Lane, que foi publicado pela Novo Século. Uma história de ficção científica em que uma família é surpreendida por algo misterioso durante um vôo e param em outra dimensão.

Relendo clássicos da literatura em língua portuguesa voltei a ler Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto. A edição lida foi publicada pela Klick Editora. O livro trata de maneira satírica o desejo de um ufanista nacionalista que deseja transformar o país por meio de suas reformas.

Miniaturista, de Jessie Burton, publicado pela Editora Intrínseca, foi outro dos livros lidos em maio. Trata da história de Nella, uma jovem que vai morar na casa de seu marido Johannes e ganha uma casa em miniatura. As peças que recebe de um misterioso miniaturista parecem contar o futuro da família. Um romance com suspense que se passa no século XVII.

Viagem 100 Destinos, foi publicado pela Editora Autografia. Trata-se de um livro de poesias do poeta angolano Calú Dias.

Clarice Lispector também marcou presença no mês de maio, por meio de seu romance A Hora da Estrela, publicado pela Editora Rocco. Macabéa e seus dissabores estão presentes nesse livro que flerta ora coma realidade, ora com o delírio.

Publicado pela Editora Illuminare li Pedaços de Mim, da escritora Rô Mierling. O livro apresenta microcontos de terror que apavoram o leitor.

Ainda da Illuminare li Avenida Murkinesse 666, um livro de contos que teve origem numa oficina literária organizada por Rô Mierling. Os contos tem ligação com moradores do misterioso edifício que guarda no seu passado a história de crianças que foram cruelmente assassinadas e que assombram o imóvel. Cada autor conta a história de um dos moradores.

Kimberly Brubaker Bradley é a autora de outro livro lido durante o mês. A Guerra que Salvou a Minha Vida foi publicado pela DarkSide Books. Ada é a menina que vê na guerra a possibilidade de sair de sua guerra pessoal travada com sua mãe, que a esconde em casa em função de uma deformidade em um dos pés. Uma história encantadora.

E teve mais contos através do livro O Fio das Missangas de Mia Couto. Contos curtos, mas profundos que tratam do humano com lirismo.

Leituras em andamento:

Ultra Carnem, de César Bravo;
Primeiros Contos de Truman Capote, de Truman Capote.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.