Coisas de Menino – Alexandre Braoios




“Será possível ele achar que o avanço da doença era uma garantia irrevogável de perdão para, então, conquistar a paz de espírito? Esperava, em sã consciência, que alguém abrandasse seu pecado? Não era um pecado simplesmente, era um crime. Foi uma confissão desesperada e tardia que só surgira com a iminência da morte. Como ela havia convivido com isso durante toda sua vida?”

A primeira parte do livro se passa na primavera/verão de 2016. Raul, um professor, sofre de ELA, uma doença degenerativa que embora lhe restrinja determinadas ações, o mantém consciente enquanto definha. Moribundo, ele é cuidado por Andrea que fora indicada por um amigo. Ela havia cuidado de Dona Lúcia (já falecida).

Raul demonstra que quer falar de algo que o incomoda e tem ligação com seu passado. Os atos criminosos que cometera naqueles tempos, agora batem com força em sua consciência. Casado com Carolina e pai de Felipe, o homem tem um lado sombrio guardado consigo e que foi escondido de toda a família.

Ele passa a revelar sua história para a cuidadora que, a contra gosto, passa a ouvi-lo. Ela se incumbe de registrar as informações que revelam o passado nefasto de Raul. Registrar é atender ao desejo dele. Andrea, apesar de tudo, tem de lidar com o asco e a revolta que tomam conta de seus sentimentos quando ela sabe o que aquele homem fez.

Na segunda parte do livro o leitor vai para a primavera do ano de 1979. “Desgosto e insanidade foram a tônica da primavera de 1979 para um garotinho que gostava de ser chamado de Piccolo”. O garoto, por seu tipo franzino e sua personalidade, sofria bullying, termo que não era utilizado naquela época. Coisas de menino, era o diagnóstico”. Sua delicadeza era alvo fácil para os abusos cometidos por outros garotos. Mesmo o pai e os irmãos o adjetivavam com termos como “maricas” e “viadinho”.

A solidão desse garoto, diante da incompreensão de quem o cerca, pode ocasionar o conforto em quem o viola. E, sem se dar  conta, a família o empurra para as mãos de seu algoz, ou algozes.

Na parte três da obra voltamos para o ano de 2016. É a fase do livro em que as histórias ganham o contorno que a conduz para o desfecho.


Coisas de Menino, de Alexandre Braoios, publicado pela Editora Illuminare em 2016 é um livro que tira o leitor de sua zona de conforto. A história incomoda, como deve incomodar a realidade. Piccolo tem uma história de abuso infantil, de desrespeito que vem de diferentes grupos sociais dos quais a criança faz parte, de violência escancarada e velada, de ausência dos pais ou de não compreensão em relação ao que se passa com o filho, de desatenção, de preconceito exacerbado. 

“... só Piccolo poderá dizer as repercussões na vida dele.”

Os “Piccolos” que sofrem abusos pela vida quase sempre são vítimas de gente próxima (amigos da família, vizinhos, parentes). O livro é baseado em uma história real e clama ao leitor para que reflita sobre o tema do abuso infantil.

Embora seja uma obra ficcional e que pode causar desconforto em certos leitores, pelo fato de relatar atos desmedidos e até cruéis, Coisas de Menino, num segundo plano, fala também de posicionamento e superação.

É inegável que as marcas de uma infância dolorida em que inocência é rompida para o prazer e crueldade de um adulto, ressoam no adulto que cresce carregando e tentando se livrar das marcas que foram impingidas. Livros como esses servem de alerta. É preciso falar sobre o tema para que a sociedade esteja atenta ao perigo que mora ao lado ou que se infiltra na família de jeito amável e acima de qualquer suspeita. Não criemos histeria, mas estejamos atentos.

O autor construiu uma narrativa contundente, forte e com reviravoltas que surpreendem. Raul, Piccolo, Andrea, Felipe, Giovani, Carolina, Luigi, César e Clayton são personagens que carregam em suas vidas a marca de um crime que os ronda. O passado vem a tona e as lembranças causam desconforto. 

Coisas de Menino é um livro provocador e impactante, que toca na ferida de maneira clara. A pedofilia deve ser denunciada sempre! É preciso que a sociedade esteja atenta aos sinais que as crianças dão.

A história revela uma trajetória de dor e culpa, de arrependimento e vingança, de perdão e justiça, de preconceito e reconstrução do eu, de tempo e espaço, de transformação e assombro, de relações conturbadas e novos laços afetivos que se formam. Livro que desnuda um criminoso e mostra o caminho da vida de alguém que sofreu violência por simplesmente ser quem era.

Foto: Reprodução
Sobre o autor

Alexandre Braoios é professor universitário e estudante de psicologia. Nasceu em São Paulo e desde 2009 reside em Jataí-GO, onde é docente da Universidade Federal de Goiás. Possui contos publicados em antologias e coletâneas como Contos de Som e Silêncio, Mulheres e Meninas, Vícios, Taras e Medos, Sombras e Desejos, Contos de um Natal Sem Luz e Eu Me Ofereço (um tributo a Stephen King), Perdoe-e e Meu Lado Sombrio. Coisas de Menino é seu primeiro romance.

Ficha Técnica

Título: Coisas de Menino
Escritor: Alexandre Braoios
Editora: Illuminare
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-68904-33-6
Número de Páginas: 267
Ano: 2016
Assunto: Literatura brasileira

Um comentário:

  1. Que felicidade ler uma resenha como essa. É a certeza de que consegui transmitir o que me propus. Um livro difícil de ler, mas também de escrever. Um abraço a todos

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.