Somos Guerreiras – Glennon Doyle Melton



O quão, sem perceber, temos que seguir padrões impostos pela sociedade? Quantas são as vezes em que nos vemos atolados em alguma coisa, tentando se safar, se socorrer, porque nossas aflições estão nos sugando? Como fazemos para lidar com os problemas que surgem nas nossas vidas? O que queremos? Sabemos? Quem somos?

Somos Guerreiras, de Glennon Doyle Melton foi publicado pela Editora Intrínseca em 2017. O livro tem tradução de Andrea Guttlieb. O subtítulo do livro elucida o que o leitor encontrará em seu conteúdo: uma história de dor, amor e autodescoberta.

Glennon não teve uma infância e adolescência muito fácil. Sentia-se fora de seu lugar e queria ser aceita pelo grupo na qual estava inserida. Aos dez anos de idade, a sua busca pelo enquadramento exigido pela sociedade, a levou até as crises de bulimia. Nem o amor dos pais e da irmã foram capazes de poupá-la de tal distúrbio.

“Eu fui amada. Se o amor pudesse evitar a dor, eu jamais teria sofrido.” Relata a autora em trecho da obra.

No período da faculdade Glennon se lança ao vício do álcool, mais um caminho tortuoso a ser percorrido. A bebida era sua fonte de desinibição e sua válvula de escape. No período em que fazia a graduação ela conheceu Craig. Glennon, que conta a sua própria história em primeira pessoa, busca a igreja, uma alternativa dada por seus pais, e passa ainda por um hospital psiquiátrico. Quanto calvário! Com Craig, aquele que conhecera na universidade, ela tem um bebê e se casa. O casamento traz mudanças na vida de Glennon. Mudanças que mais uma vez a abalam.

“Sempre que jogo um demônio interno na página em branco, esse demônio se mostra muito menos assustador do que achava que era.”

A autora, durante o seu casamento, criou um blog, um lugar que se tornou seu canto, seu “mundo seguro”. Ali ela passa a desabafar sobre seus incômodos, suas inquietações, sobre tudo que passa em sua vida. Por certo que muitas das coisas que a afligiam eram, inclusive, conhecidas pelo marido a partir da leitura do blog.

Ela passa por um situação conturbada em seu casamento que culmina no rompimento da relação. Toda relação, quando se rompe traz dores e as dores da desilusão tomam conta de Glennon Melton.

“... tomar decisões nunca está relacionado a fazer a coisa certa ou a coisa errada. Trata-se de fazer a coisa precisa.” É preciso seguir adiante, não é mesmo?

A publicação mostra a busca de uma mulher que tem conflitos internos e desconforto com o que e quem a cerca. Glennon se desnuda por meio de seu livro, explicitando os acontecimentos de sua vida. Ela expõe suas fragilidades, suas irritações, seus traumas e como foi capaz de encarar tudo aquilo que de um jeito ou de outro a abalava.

Decerto as mulheres encontrarão partes de suas vidas na história da autora. Em Glennon há o poder de uma mulher que se refaz, uma mulher que se descobre. Essa busca não tem sexo, é humana. O livro de Glennon revela questões que lhe são intimas e que mostram uma história de superação.

É uma narrativa marcante, emblemática e que levará leitores a ter no livro um espelho, por retratar situações que muitos vivem. E Glennon pode ser um exemplo de olhar para si, de se transformar e de se compreender.

Foto: Amy Paulson
Sobre o autor

Glennon Doyle Melton é autora best-seller do The New York Times e fundadora da comunidade online Momastery, através da qual, diariamente, ela se comunica com mais de um milhão de mulheres. Também é criadora e presidente do Together Rising, organização sem fins lucrativos que já levantou quase cinco milhões de dólares para famílias do mundo todo. Glennon mora na Flórida com a família.

Ficha Técnica

Título: Somos Guerreiras
Escritor: Glennon Doyle Melton
Editora: Intrínseca
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-510-0149-3
Número de Páginas: 320
Ano: 2017
Assunto: Biografia

Um comentário:

  1. Sabe que eu acho que um livro lançado pela Intrínseca. Talvez esse possa ser o primeiro. Gosto deste tipo de livro.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.