[Primeiras Impressões] O Bosque De Faias - Amanda Bonatti



“... ela era desafiadora, seus olhos eram duros, quase selvagens e ela portava-se sem nenhum embaraço ou insegurança.” (Das impressões de Mr. John em relação à Joana).

O Bosque de Faias, livro da autora Amanda Bonatti, conta uma história que se passa no século XIX, mais precisamente no ano de 1816, na França. Época na batalha de Watterloo, queda de Napoleão Bonaparte, restauração de Bouboun ao trono.

Joana encontra um homem no bosque de faias. O lugar é seu refúgio. No bosque ela lê e fica distante da pressão imposta pela família. Seja dos pais que querem casá-la ou das irmãs (Sophie, Amalia e Rebecca) que acabam gerando conflitos por este e outros motivos. A priori o encontro casual não aproxima Joana de seu interlocutor. Os dois “soltam faíscas” no diálogo que travam. Mas ela fica intrigada com ele e o rapaz fica encantado com a beleza e ousadia daquela moça que encontrara.

“O silêncio do bosque com sua atmosfera enigmática e pouca iluminação era o seu refúgio perfeito desde a infância. Ali escondia-se das irmãs mais novas sempre que elas a incomodavam...”

Philip Montier, um novo morador da região, em breve chegará da Escócia onde foi ter um encontro e assim que chegar fará um baile. A família de Joana é convidada para o baile de máscaras e isso causa frisson nas irmãs de Joana, inclusive em Sophie que vislumbra a possibilidade de ter encontrado o noivo ideal.

Alexandre é o cavaleiro de Philip Montier e foi encarregado de fazer a entrega dos convites. O pai de Joana a quer casada, uma vez que é a filha mais velha. E já que um homem rico está por perto ele vê em Philip a sua oportunidade de casar a filha. Joana, no entanto, rechaça a ideia e não quer conhecer o herdeiro Motier, assim como não quer a aproximação de nenhum outro pretendente.

Philip, no entanto, além de ser cobiçado como um possível candidato a casar-se com Joana é cobiçado por Carolina (irmã de Alexandre) que veio de Paris para se juntar ao irmão e sondar o herdeiro.

Um engano por parte da mãe e do pai de Joana e, mesmo das irmãs dela, faz com que outra pessoa seja tida como o rico Philip. Daí se desenrola toda a trama do livro de Amanda Bonatti.

Joana luta pela sua liberdade de escolha e quer seguir o que manda seu coração. Mas, dado a pressão da família (representada, sobretudo, pela imposição do pai que a quer casada) ela demonstra que tem algum medo em relação ao que seu coração direciona. Inclusive, porque há algo que a faz ter receio de aproximar-se daquele homem do bosque de faias.

“Afinal, do que ela tem medo?”

Se a riqueza é a forma que o pai entende ser o caminho de felicidade para a filha, para ela o caminho pode ser outro. Até que ponto seguir o que os pais definem é o melhor? Ela cederá ao seu coração ou reviravoltas na história vão levá-la por caminhos outros?

Uma boa história. A narrativa é leve, fluída e nada prolixa. As cenas se desenrolam de maneira natural, sem excessos de camadas que tiram o foco do cerne do romance e pelo que pude degustar nesse primeiro contato com a obra, há muita coisa boa a vir nos próximos capítulos. Amanda Bonatti aguça a curiosidade do leitor em saber o que se sucedera com Joana. Por onde a história vai seguir?

As primeiras impressões foram positivas e realizadas com base em doze capítulos. Tenho certeza de que o livro vai agradar muitos leitores, sobretudo os amantes de romances de época.

O livro está disponível no Wattpad. Leia e acompanhe em:

Um comentário:

  1. Olá! Que presente lindo ler essas primeiras impressões nesta sexta-feira��
    Muito grata pelas considerações. Fiquei muito feliz em saber que a história agradou.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.