O Desconhecido - Joshua Ferris



“Os profissionais de saúde indicavam uma ilusão clínica, alucinações, até disfunções de personalidades múltiplas. Mas ele dizia que se conhecia. Ele dizia que não estava no controle. Sua mente estava intacta, era incontestável. Se ele voltasse a perder o domínio de seu corpo, isso não era dele. Não era uma possessão oculta, mas um seqüestro feito por alguma ordem obscura do corpo, a alma amedrontada dentro do trem em fuga do problema insensato, espirando do vagão condutor, aterrorizada. Esse era ele.”

O Desconhecido, livro de Joshua Ferris, foi publicado pela Editora Casa da Palavra em 2011, com tradução de Alice Klesck.

Tim Farnsworth é sócio de uma respeitável firma de advogados localizada em Manhattan. Ele é casado com Jane, uma mulher que logo nos deixa claro com suas ações que o ama. O casal tem uma única filha, Becka. Ela é adolescente e vive com seus complexos, incluindo a luta pela perda de peso e as inseguranças próprias dessa fase da vida. A família tem estabilidade financeira, posto que habitam uma boa casa e Tim atua numa firma de representatividade no cenário advocatício.

No início do livro já é possível sentir a tensão sobre o que acontece com Tim. Ele tem uma espécie de surto ou mal que o acomete, ou ainda poderíamos falar que ele tem uma doença. A maneira com que Jane, a esposa, o trata, explicita que embora o caso seja complexo ela tem algumas formas próprias de lidar com o assunto. O mesmo ocorre com Tim, seguindo as orientações da esposa. Tais artifícios empregados pela mulher podem ajudar Tim a minimizar os problemas decorrentes de suas crises.

Apesar de ter passado por esse problema anteriormente (ou seja, o mal dele não é revelado como algo novo no livro), Tim ainda não sabe a causa real. Seria um mal do corpo ou da mente? Ele carrega consigo um artigo científico que cita seu caso, mas que não aponta soluções para o problema. O que acontece com ele é que sai a andar por aí sem destino. Ele se dá conta de que não consegue parar até o corpo repousar em algum lugar, por mais que tal local seja desconhecido e inóspito e as situações que passa até chegar lá sejam inesperadas. O mal de Tim ainda não fora descoberto pela medicina. O que provoca esse despertar dele que o leva a sair caminhando sem destino, como se suas pernas tivessem vida própria?

“Não havia prova positiva de uma doença mental, nem a negação de uma doença clínica (...) Ele era qualquer coisa que qualquer um quisesse que fosse – um maluco, uma vítima, um doido, um mistério.”

Tim, na sua vida profissional, está acompanhando o caso de um cliente acusado de assassinato e não consegue dar a devida atenção ao processo. Esse homem pode ser condenado, mesmo aparentemente sendo inocente. A doença de Tim pode atrapalhar o andamento do caso e isso acaba também refletindo em sua vida pessoal, vez que ele passa a ter discussões com sua esposa que se mantém firme diante de seu problema. Tim tenta a todo custo esconder o que tem passado dos colegas de trabalho, para que consiga manter-se ativo no caso que está tratando.


A história tem um salto de quatro anos. O leitor acompanha Tim em suas incansáveis caminhadas e também em sua explanação sobre suas inquietações. Becka e Jane tem que compreende-lo e tentar a seu modo mantê-lo por perto ou protegê-lo, diante da impossibilidade de detê-lo. As caminhadas de Tim acabam por ocasionar lesões em seu corpo e mexer com o seu psicológico. Naturalmente, o desgaste físico provocado pela caminhada e pelas ações do tempo sobre seu corpo são notadas. Haja vista que muitas vezes ele sai para andar durante o inverno, enfrentando o frio e a neve.

Há mais três anos de avanço e a história se encaminha para o seu desfecho.

Joshua Ferris criou um livro sobre relações familiares e profissionais, sobre resistência emocional e física, sobre conflitos internos e externos que afetam os homens, sobre amor e sobre o ser humano ante a natureza.
O protagonista sofre, mas precisa seguir o chamado de suas pernas. Jane passa por um câncer e tem de compreender o que ocorre com o seu marido, ainda que sua própria doença fique num segundo plano. O amor que há entre eles a faz suportar. A incerteza ronda a vida dessa família. Qual será a próxima vez que Tim vai sair andando por aí? Para onde ele vai? Quando e onde vai parar? O que vai acontecer com ele nessas caminhadas?

O desconhecido ronda Tim, porque ele não sabe qual a razão do surgimento desse mal que o assola. Tim, quando volta ao seu lar, por vezes se torna desconhecido, por ser um homem que teve transformações e pelo fato de as pessoas terem seguido suas vidas. Tim, quando sai caminhando, tem seu paradeiro desconhecido. Não é uma caminhada planejada ou com roteiro definido previamente. O desconhecido então apavora, abala, mas também pode ser o mesmo que une e fortalece. O desconhecido, dentro da história, a meu ver pode ser uma série de coisas: a doença, os personagens, o futuro incerto, a maneira com que a sociedade dita o que é normalidade, enfim uma série de coisas.

Em algumas partes a história parece que vai caminhar para a confusão, no sentido de levar o leitor a se perder no raciocínio da trama, mas a linearidade das ações (com seus imprevistos) acabam por superar esse obstáculo e os pontos são fechados pelo autor.

É um livro que nos conduz a mais do que está na própria história. Metaforicamente poderia ser entendido como a busca do homem por algo que ele sequer sabe o que é (quando sai caminhando sem direção, sem rumo, sem objetivo definido). Pode ganhar ares de uma história sobre superação de um homem que é acometido por mal desconhecido e que mesmo assim recebe amor e compreensão de sua família. Ainda que esta tenha o peso de suportar a ausência dele. Pode ser entendido como a negativa de aceitar um problema (o que ele nega aos seus pares profissionais). Pode também ser uma metáfora que carrega muito dos tempos atuais em que as pessoas tem de ser colocadas em caixas que as denominem dentro da normalidade. O que Tim faz, evidentemente, não é encarado pelos outros como normal.

Enfim, O Desconhecido, é um bom livro, que comove, é trágico, mas também é capaz de arrebatar o leitor com a trama construída.

Foto: Reprodução
Sobre o autor

Joshua Ferris é autor de E nós chegamos ao fim, seu primeiro romance, que lhe rendeu os prêmios PEN/Hemingway Foundation e Noble Discover e foi também finalista do prêmio National Book. Sua obra, aclamada pela crítica como ‘brilhante’, já foi traduzida em mais de vinte idiomas, e a revista The New Yorker o apontou como um dos jovens escritores da atualidade que ditarão o futuro da literatura contemporânea.

Ficha Técnica

Título: O Desconhecido
Escritor: Joshua Ferris
Editora: Casa da Palavra
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-7734-182-5
Número de Páginas: 286
Ano: 2011
Assunto: Romance americano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.