Chegou por aqui As Altas Montanhas de Portugal



Chegou por aqui o livro As Altas Montanhas de Portugal, de Yann Martel, publicado pela Editora Tordesilhas.

Confira a sinopse:

Do mesmo autor de As aventuras de Pi,  esta obra mistura fábula contemporânea e conto fantástico em uma jornada de aventura, que explora o amor e a perda de modo devastador. Repleto de ternura, humor e surpresas, leva o leitor em uma viagem por Portugal do século passado – e pela alma humana. Suas três histórias, separadas por décadas no tempo, são nesta obra conectadas pela dor do luto de seus personagens, em uma metáfora que ilustra a trajetória de uma vida e sua constante busca por sentido.

Sobre o autor:

Yann Martel é o autor de As aventuras de Pi, best-seller internacional que ganhou o Man Booker Prize em 2002, entre outros prêmios, e foi adaptado para o cinema no filme vencedor do Oscar dirigido por Ang Lee. Também é autor de The Facts behind the Helsinki Roccamatios, dos romances Self e Beatriz & Virgílio, e da obra de não ficção 101 cartas para um grande líder. Nascido na Espanha em 1963, estudou filosofia na Trent University, realizou trabalhos temporários como plantador de árvores, lavadorde pratos e agente de segurança, e viajou por muitos países antes de começar a escrever. Martel vive em Saskatoon, Canadá, com a escritora Alice Kuipers e seus quatro filhos.

O que tem sido dito sobre a obra:

“Uma experiência rica e recompensadora… [Yann Martel] nos encanta com seu discurso de esperança e desespero, comédia e tragédia.” – USA Today

“De maneira peculiar, como é o realismo mágico de Yann Martel, o luto permeia cada ação das três jornadas que compõem o livro. No decorrer dele, penetramos cada vez mais fundo no coração de um primata – ao mesmo tempo puro e desafiador –, no dos nossos precursores, em nós mesmos.” – NPR

“Revigorante, cheio de surpresas e recheado de humor e lições poderosas.” – The Dallas Morning News

“Temos sorte de ter autores brilhantes usando sua escrita para refletir sobre um paradoxo que precisamos considerar com urgência – a fissura que não podemos unir e o laço que não podemos quebrar entre humanos e animais, nossa própria separação impossível do nosso mundo.” – Ursula K. Le Guin, The Guardian

“O que conecta um curador sem talento, um patologista assombrado e um político aflito separados por mais de 75 anos é a habilidade do autor de conjurar um final extraordinário.” – The Boston Globe

Confira o booktrailer:
 

Miniaturista - Jessie Burton



“... as cortinas da casa de bonecas revelaram um novo mundo, um mundo estranho, um enigma que ela quer solucionar.”

Miniaturista, é o primeiro livro de Jessie Burton e foi publicado no Brasil pela Editora Intrínseca em 2015, com tradução de Rachel Agavino.

Em 1686 (século XVII) a jovem de dezoito anos Petronella Oortman, ou simplesmente Nella, chega a Amsterdã. Nessa nova cidade ela vai dar início a sua vida de casada com Johannes Brandt, um comerciante. É numa nova casa, para ela, que passa a viver e ter de lidar com Marin (sua cunhada), uma mulher com ar ameaçador e que vai se demonstrando dura e controladora desde os primeiros contatos.

A proximidade e o amor que tanto eram esperados por Nella não aparecem. Johannes, o marido, se mantém distante, tanto no aspecto físico quanto na conexão da relação. Se demonstra indiferente a presença de sua esposa. Passa a maior parte do tempo trancado em seu depósito ou no escritório, isso quando não está viajando para fazer negócios. Com isso, Nella acaba ficando à mercê de chacotas dos criados e sujeita a personalidade dura de Marin e seus mandos e desmandos.

“Nella não consegue descrever seu choque, as interações com Marin, o marido que fala todas as línguas, exceto a do amor, nem os criados, imersos em mundos secretos, e suas risadas, que também são outra língua.”

Nella ganha do marido um móvel, uma cristaleira, que reproduz a casa em que vivem. Nella, não sabendo o que fazer com o aparato resolve decorá-lo, procurando por algum miniaturista que possa confeccionar os itens que precisa. E busca em anúncios.

“É o único anúncio em Miniaturista, e Nella gosta de sua concisão, de sua estranheza. Não tem ideia de onde fica Bergen, nem do que um miniaturista faz, muito menos de quais relojoeiros poderiam ser conceiturados.” Assim descreve a autora o momento em que a personagem encontra quem vai acionar para confeccionar as desejadas peças.

Nella faz as encomendas e paga com promissórias cedidas por Marin, em nome do irmão, que, inclusive, orienta o valor que pode gastar por nota. No entanto, Nella passa a receber peças que não encomendou e parecem ter algum significado. As peças podem ser um recado do miniaturista? Há algo naqueles itens que vão além da normalidade. Não bastasse as peças ela recebe frases cifradas.


Johannes, o marido, parece guardar algum segredo em sua permanência no depósito e nos tratos que faz com os mercadores. E a família está em negociação para a venda de açúcar de outra família da região. O afastamento que o mercador tem da esposa começa a deixar Nella curiosa. Marin, a irmã, vai demonstrando que exerce domínio sobre Johannes e também sobre os negócios da família. E ela também guarda segredos.

“Marin vive em dois mundos. Sua eterna decência pública é mesmo temor a Deus ou será medo de si mesma? O que bate dentro daquele coração cuidadosamente protegido?” A personagem central, Nella, “se pergunta se há dedos finos ou hábeis o bastante para liberar Marin. Com seu mau humor, seus momentos de tímida generosidade frustrados por um comentário rude, Marin é o nó mais cego de todos.”

Na quarta parte do livro a história passa para o ano de 1687 para concluir toda a trama criada pela autora.

Jessie Burton fez uma história intrigante. Os personagens carregando seus segredos e mistérios que vão sendo lançados ao leitor a conta gotas dão um clima de suspense ao romance. O desfecho do livro toma uma linha diferente da que pode ser imaginada quando do início da leitura. Nella, a personagem central, vai também se descobrindo, na medida em que tem de tomar decisões, se posicionar e rever suas atitudes diante dos acontecimentos que a surpreendem.

O livro aborda traições, mistérios, vingança, preconceito, obsessão, manutenção de aparências e a necessidade de que a verdade venha à tona. Aquela casa de bonecas recebida por Nella torna-se um elemento misterioso na narrativa, bem como a figura do miniaturista que envia objetos que parecem profetizar os acontecimentos que se passarão com os moradores daquela casa. Esse ponto do livro dá o tom de sobrenaturalidade, no entanto fica nebuloso na abordagem dada pela autora. Isso explica a nota na orelha que diz sobre “mistérios inexplicáveis”. Mas, sem dúvida, a trama foi bem costurada e Miniaturista se revela um romance com boa dose de suspense.

Partes da história que são tratadas em segundo plano, ganham destaque em relação ao objeto central e conseguem segurar a leitura da intrincada relação da família e tornar a história do livro mais interessante.

Foto: Reprodução
Sobre a autora

Jessie Burton nasceu em 1982. Estudou na Universidade de Oxford e na Central School of Speech and Drama, e trabalha como atriz e assistente executiva em Londres, onde mora. Best-seller internacional, Miniaturista é seu primeiro romance e foi publicado em mais de trinta idiomas.

Ficha Técnica

Título: Miniaturista
Escritor: Jessie Burton
Editora: Intrínseca
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-8057-816-4
Número de Páginas: 352
Ano: 2015
Assunto: Romance inglês

100 Gotas de Sangue é lançado pela Editora Illuminare



A Editora Illuminare está lançando o livro 100 Gotas de Sangue – 100 microcontos para te perturbar. O livro é de autoria do escritor Jhefferson Passos.

Sucesso no Wattpad com mais de 100 mil leituras, o livro é um fenômeno dos microcontos de terror. O livro agora chega em formato físico com ilustrações internas exclusivas, o que enriquece ainda mais o impacto do horror presente nos contos.

Microconto é, assim como o nome sugere, um conto muito pequeno. No entanto, convém lembrar ao leitor que não trata-se de um pequeno conto, ou seja, um conto de poucas páginas ou de alguns parágrafos. O objetivo do microconto é que a história seja contada com o mínimo de palavras possível. É por meio dessas poucas palavras que o autor deve transmitir toda a ideia da história e levar o leitor à expansão do que é contado. Vale observar que o número de caracteres ou palavras não é uma formalidade da categoria, contudo é necessário concisão e o uso de poucas palavras.

Para quem quer adentrar o universo de microcontos de terror, o livro 100 Gotas de Sangue, do escritor Jhefferson Passos, é uma excelente pedida.

O leitor verá que cada gota de sangue é um microconto que compõe a obra. Fatos mais complexos ou situações cotidianas se tornaram histórias aterrorizantes e surpreendentes, além de notadamente criativas.

A construção de um microconto demonstra a capacidade de síntese do autor e, ainda assim, manter a essência de uma história que ganha amplitude na mente dos seus leitores. Vale a pena ler. Recomendo!

Adquira o seu exemplar na pré-venda:

Sobre o autor:

Jhefferson Passos é nascido na grande São Paulo, vive atualmente em Araraquara. Participou com o conto “A Coisa no Canto da Sala”, na antologia The King (Volume I – Selo Antology) da Editora Multifoco, 2013, na  antologia Eu Me Ofereço! Um tributo a Stephen King, Editora Illuminare, 2015, com o conto “Perdidos/Jéssica e William”, na antologia Os Desconhecidos – Contos Sobrenaturais, Editora Illuminare, 2015, com o conto “O Reflexo do Espelho” e na antologia 7 Pecados Capitais, Editora Illuminare, 2016, com o conto “A Boneca”. É também colunista da Revista Litere-se do Rio de Janeiro.


Prêmio Pólen de Literatura



Se você tem uma história que nunca foi publicada, esta pode ser a sua chance. A Papel Pólen está recebendo inscrições até o dia 30 de junho de 2017. Uma vez inscrito você concorre a publicação de 300 exemplares do seu livro, além de um prêmio de 10 mil reais.

Confira o regulamento completo em: