Livros Lidos em Março de 2017



Olá, amigos leitores!

Acabou o primeiro trimestre do ano de 2017. E eis aqui a lista dos livros lidos em março.

“Manual Prático do Ódio”, do escritor Ferréz, foi publicado pela Editora Planeta. Conta a história de Lúcio Fé, Aninha, Régis, Celso Capeta e Neguinho da Mancha na Mão. Mostra a disseminação do ódio numa sociedade competitiva. O livro se passa na periferia de São Paulo e mostra a dura realidade de quem vive nas periferias brasileiras.

Publicado pela Editora Intrínseca, li o thriller surpreendente “O Nadador”, de Joakim Zander. Um ex-agente deseja fugir de seu passado. Uma mulher que fora criada pelos avós agora atua no Parlamento Europeu. Ela encontra informações que a colocam e risco e é lançada numa conspiração internacional. Em fuga, sem saber ao certo quem e por que a seguem, apenas um agente poderá salvá-la. História intrigante e cheia de fios que se fecham.

Outra leitura também publicada pela Editora Intrínseca foi o livro “O Fim de Todos Nós”, de Megan Crewe. Primeiro volume de uma trilogia (The Fallen World) conta a história de Kaelyn, uma jovem que vive numa ilha que é invadida por um vírus. A jovem se vê nesse ambiente inóspito enquanto escreve seus relatos para o amigo Léo, que deixou a ilha para estudar.

“Introdução aos Estudos Literários”, publicado pela Editora Cosac Naify e escrito por Erich Auerbach, foi um livro que comecei a ler em fevereiro, cuja leitura conclui em março. O autor explica a base da literatura. Fala dos fundamentos da filologia moderna e também da romântica.

Recebi da Editora Autografia o livro “A Bíblia do MMORPG”, de Richard Stankevius. O livro aborda os jogos de representação de papéis e trata tanto de questões técnicas ligadas à prática do jogo, quanto de questões comportamentais dos jogadores.

Por meio do Wattpad li “Shura”, de Delson Neto. Uma história de ficção científica sobre uma agente que atua para a polícia, agindo em ambientes simulados para buscar pessoas que tem tendências criminosas. Ela quer se livrar da dor de ter perdido sua namorada e tem de seguir uma cantora chamada Nausicaa. O livro tem uma boa trama e em breve será lançado em formato físico pela Editora Sehkmet.

“Diário de uma escrava”, de Rô Mierling, foi publicado pela DarkSide Books em 2016. Era um livro pelo qual eu ansiava muito ler, e superou em muito a minha expectativa. O livro é visceral e cruelmente real. Conta a história de Laura, uma menina mantida em cativeiro e que sofre torturas e violência sexual. Baseado em casos reais, o livro é contundente e serve como um grito de alerta para chamar a atenção para o desaparecimento de pessoas, sobretudo menores, que são destinados à finalidades sexuais. Um livro incrível! Vale muito a pena ler. Vale demais!

“O Sol também é uma estrela”, publicado pela Editora Arqueiro e de autoria de Nicola Yoon, foi outro livro lido. É o segundo livro da autora. Nos deparamos com a história de Natasha e Daniel. Ela está para ser deportada e ele vai realizar uma entrevista. Um encontro entre eles rende toda a trama do livro. Emocionante e cativante.

Publicado pela Editora Cosac Naify, li ainda o livro “O Vermelho e o Negro”, de Stendhal. Livro que conta a história de um jovem ambicioso, Julien Sorel. Ele que tem na batina a forma de conquistar ascensão social, vê-se envolvido na paixão, tem o dinheiro como sua meta e acaba por ser seu próprio algoz. Um excelente livro.

Para concluir a lista de lidos de março veio “31”, de Cacau Ideguchi e Maria Fernanda Nogueira. O livro traz 31 contos que falam de personagens que se cruzam em diferentes momentos e situações.

Boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.