O Hobbit - J. R. R. Tolkien



“O Hobbit”, de J. R. R. Tolkien foi publicado pela WMF Martins Fontes em 2012 e conta com tradução de Lenita Maria Rímoli Esteves, que é mestre em tradução, e Almiro Pisetta, professor de Literatura de Língua Inglesa. O livro teve ainda revisão técnica e consultoria de Ronald Eduard Kyrmse, que é membro da Tolkien Society e teve coordenação de Luís Carlos Borges.

“Numa toca no chão vivia um hobbit. Não uma toca desagradável, suja e úmida, cheio de restos de minhocas e com cheiro de lodo; tampouco uma toca seca, vazia e arenosa, sem nada em que sentar ou o que comer: era a toca de um hobbit, e isso quer dizer conforto.” 

Bilbo, o Bolseiro, vivia tranquilamente em sua confortável toca, indo da cozinha a despensa, seguindo sua vida sem pretensões de grandes aventuras. O Condado era seu amplo mundo. Certo dia recebe a visita do mago Gandalf e, no dia seguinte, sua casa é invadida por um grupo de anões. Ali eles foram se reunir, por meio de um sinal deixado pelo mago na porta da casa do Bolseiro. O mago Gandalf havia recebido, no dia anterior, a recusa de Bilbo em participar da jornada que os anões fariam.

Da casa do hobbit eles partiriam para a aventura em busca de um tesouro. Os anões eram os verdadeiros donos do  que agora estava sob o poder e posse de Smurg, um dragão.

Os anões (Balin, Dwalin, Kili, Fili, Bombur, Bofur, Dori, Nori, Ori, Oin, Gloin e Thorin) estavam em busca de um membro para acompanhar o grupo, e Bilbo, seria esse  ladrão. Reticente e sem entender muito bem a história, ele se vê partindo atrás dos anões e adentrando a aventura em busca do tal tesouro. A expedição envolve os anões, Bilbo e Gandalf (até certa parte do trajeto). Ele, o mago, é o responsável por Bilbo Bolseiro integrar o grupo. Liderada por Thorin Escudo de Carvalho, a jornada segue rumo à Montanha Solitária. 

“Para além das montanhas nebulosas, frias,

Adentrando cavernas, calabouços cravados,

Devemos partir antes de o sol surgir,

Em busca do pálido ouro encantado.” 

No caminho se deparam com orcs, descem corredeiras em barris, são salvos por águias, enfrentam aventuras diversas em lugares pelos quais passam, são presos e negociam com elfos e encaram antagonistas. Os anões, inicialmente ressabiados em relação ao hobbit, vão vendo nele alguém com quem podem contar. E o hobbit, por sua vez, vai se dando conta do que a jornada envolve e percebendo do que se trata de maneira prática, além de sofrer transformação no que refere-se a sua negativa inicial de participar da aventura.

Numa caverna o hobbit encontra um anel, que pertencia a outrem e que possibilita que ele fique invisível. Esse poder dado pelo anel muito o auxiliará na jornada que empreende com os anões. O precioso, como é chamado pelo seu anterior proprietário, segue com Bilbo.

O livro, em dezenove capítulos, nos coloca na história do pequeno que inspirou a trilogia e é por assim dizer, o prelúdio da obra O Senhor dos Anéis, do mesmo autor. Nessa publicação temos ilustrações feitas pelo autor J. R. R. Tolkien e que ajudam a preencher o imaginário do leitor da obra.

Bilbo é um personagem interessante, que vai se adaptando ao cenário em que foi colocado. Em certos momentos ele apresenta atitudes louváveis e em outras apresenta comportamentos que podem ser tido como anti-éticos, como o caso em que “trai” o grupo de anões. A sua maneira de viver, sem objetivar grandes aventuras, mas ao mesmo tempo se vendo em meio a uma jornada que requer muita habilidade, possivelmente o move a ter tais ações. Ainda que, de maneira sutil, ele é absorvido pelo ambiente e sai de seu comodismo inicial. Se, no início ele havia sido envolvido, com o passar da história ele vai se comprometendo com o objetivo.

Conflitos, batalhas, aventuras, descobertas, missões, relações, tomam a história criada por Tolkien em seu universo mítico e mágico. A Terra-Média é o lugar criado por Tolkien em que se desenrola a história. Os anões também são personagens que apresentam suas nuances bem construídas. Trata-se de um grupo que tem uma política e ética próprias. A proposta de divisão do tesouro dos anões que pode ser encontrado com o temido dragão, não vai ser tão fácil.

Apesar do número grande de anões, os acontecimentos se concentram num subgrupo e são eles que travam diálogos e que se fazem mais presentes nas ações narradas pelo autor. Por isso, o leitor pode ter a sensação de que alguns personagens ficaram “apagados” durante toda a história ou mesmo se tornaram desnecessários.

A história do livro é fascinante e o leitor apaixonado pelos filmes ou pelos livros da série O Senhor do Anéis, devem colocá-lo na lista de leituras. Bem como os que acompanham os filmes de O Hobbit. Tolkien é um grande escritor e criou um mundo com personagens bem construídos que encantam os leitores. A história foi escrita pelo autor para seu filhos, por isso, muitos dizem que trata-se de um livro para crianças, mas o livro vai além. A história, os sentimentos e ações dos personagens, de certo que fazem parte do universo adulto e podem atingir a qualquer idade. O livro, publicado originalmente em 1937 teve sucesso imediato. Vendeu milhões de exemplares em todo o mundo.

O modo como Tolkien narra, detalhando cenários e cenas pode ser cansativo para o leitor mais apressado, uma vez que as ações não se desenrolam apenas através dos diálogos, mas por meio da descrição de cenas. Por outro lado, o autor também narra como um diálogo com o leitor, se referindo a quem lê, como por exemplo no trecho: “...vocês sabem como pode ser terrível uma grande tempestade sobre a terra num vale de rio...” Ele se expressa chamando o leitor para a história. Se você ainda não leu “O Hobbit”, fica a dica. É um ótimo livro!

Para leitores que são fascinados pela obra de Tolkien a afirmativa do The Sunday Times é verdadeira: “O mundo está dividido entre aqueles que já leram O Hobbit e O Senhor dos Anéis e aqueles que ainda não leram.” 
Foto: Reprodução


Sobre o autor

John Ronald Reuel Tolkien   J. R. R. Tolkien – foi um premiado escritor, professor universitário e filólogo britânico. Recebeu o título de doutor em Letras e Filologia pela Universidade de Liège e Dublin. Nasceu na África, mas mudou-se para Inglaterra com os pais quando tinha três anos de idade. Ficou conhecido como pai da literatura fantástica e é, sem dúvida, um dos mais conhecidos nomes. Suas obras foram traduzidas para mais de cinqüenta idiomas e vendeu mais de duzentos milhões de exemplares.
 

Ficha Técnica 
Título: O Hobbit 
Escritor: J. R.R. Tolkien 
Editora: WMF Martins Fontes 
Edição: 6ª 
ISBN: 978-85-7827-630-0 
Número de Páginas: 297 
Ano: 2012 
Assunto: Ficção inglesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.