Dia Internacional da Mulher - 10 livros de escritoras brasileiras





Elas nos levam para viajar para lugares inimagináveis, nos colocam dentro da mente de outros humanos, nos dão um choque de realidade. Elas nos levam para as profundezas do oceano ou para um dado momento histórico. Elas nos mostram como há beleza no cotidiano, como uma palavra tem força, como aquilo que é banal na vida pode fazer alguém feliz.

Elas são capazes de encher de poesia, de fazer de um ovo uma história intrigante, de criar personagens psicologicamente complexos, de criar metáforas ou de nos fazer ter a exata noção do quão violenta a humanidade pode ser.

Elas nos tiram da nossa inércia, nos chamam para a reflexão, nos divertem, nos fazem suspirar, nos colocam no cerne de relacionamentos cheios de desejo. Elas nos mostram o terror, a alegria, a banalidade, a importância, os conflitos, os laços, o natural e o sobrenatural.

Elas nos fazem compreender a dificuldade do outro, a usar a empatia, a compreender os complexos e intrigantes seres (humanos ou não). Elas nos dão ficção e realidade, palavras duras e beleza rara. Nos dão a voz feminina em personagens com força, com coragem, com vontade de viver, que se posicionam em seu tempo e a frente dele.

Elas, direta ou indiretamente, mudam o mundo. Elas desnudam a alma (a sua própria e a de seus personagens). E tem até o poder de desnudar a alma de seus leitores.

Elas escrevem! Elas são escritoras! Elas são brasileiras! Elas são mulheres!

Para homenagear as mulheres no Dia Internacional da Mulher, o blog traz uma lista de dez escritoras brasileiras. Saiba um pouco sobre cada uma das escritoras e confira a indicação e comentário sobre uma de suas obras.



Clarice Lispector
Livro: Todos os Contos 

Clarice Lispector foi uma escritora e jornalista nascida na Ucrânia e naturalizada brasileira. Autora de romances, contos e ensaios é considerada um das maiores escritoras brasileiras do século XX. Estudou direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro, mas ingressou precocemente no mundo da literatura como tradutora, e depois se consagrando como escritora, contista e ensaísta. Faleceu em 1977, um dia antes de completar 57 anos de idade, em decorrência de um câncer.

A obra de Clarice Lispector como contista foi reunida no livro “Todos os Contos”, publicado pela Editora Rocco em 2016. Escritora que por vezes figura como uma das maiores escritoras brasileiras, não poderia faltar nesta lista. O livro é surpreendente. Clarice é uma verdadeira bruxa das palavras, ela consegue encantar leitores ao longo do tempo. Sua obra é atemporal.



Ilana Casoy
Livro: Serial Killers – Made in Brazil 

Ilana Casoy é especialista em crimes. Já fez estágio na polícia científica, quando acompanhou perícias de homicídios, participou da criação de um perfil do psicopata Dexter Morgan, colaborou com a minissérie de Glória Perez (Dupla Identidade) e já publicou vários livros que ficaram famosos no Brasil, como: “A prova é a testemunha”, “O quinto mandamento – caso de policia”, “Serial killers: louco ou cruel?”, “Serial killers: made in Brazil” e, mais recentemente, “Casos de família”.

“Serial Killers – Made in Brazil” foi publicado pela DarkSide Books em 2014. O livro apresenta a pesquisa da autora sobre assassinos em série no território nacional. Há perfis de psicopatas brasileiros e relatos sobre seus casos. O cerne do trabalho é compreender a mente dos criminosos que matam e não tem remorso ou culpa por isso. São histórias reais, de assassinos reais.



Aline Valek
As Águas-vivas não sabem de si 

Aline Valek é escritora e ilustradora. Nascida em Minas Gerais, atualmente vive em São Paulo. Na internet, publica textos, escreve em seu blog e é autora da newsletter Bobagens Imperdíveis, além de colunista da Carta Capital. “As águas-vivas não sabem de si” é o seu primeiro romance, mas já lançou de forma independente dois livros de contos: “Hipersonia crônica” (2013) e “Pequenas tiranias” (2015).

O livro  “As Águas-Vivas não sabem de si” foi publicado pelo selo Fantástica Rocco em 2016 e  tem um cenário inusitado: as profundezas do oceano. Corina é a protagonista do livro e atua numa equipe que faz pesquisas numa zona hidrotermal. Um som misterioso é captado pelos aparelhos instalados pela equipe. Os segredos particulares dos personagens e dos sons que são captados prendem a atenção do leitor.



Vina Ferreira
Livro: Eternidade 

Vina Ferreira é pseudônimo utilizado pela autora Shirley Spernega, que vive em Barra Bonita, uma pequena cidade do interior de São Paulo. É graduada em Pedagogia e Secretariado Executivo Bilíngüe, gosta muito de ler livros de fantasias e sobrenatural, adora cinema e tem um gosto bastante eclético para filmes e músicas. Vina Ferreira é um alter ego, que veio para demarcar o território do erotismo em seus livros, através de uma linguagem ardente e muito sensual.

“Eternidade” é o primeiro livro da escritora e conta a história de Luna e Armando. Ela, uma mulher independente que se torna diretora de uma grande empresa e acaba por conhecer um homem com quem tem um ardente relacionamento. A história envolve sexo, erotismo, romance e sobrenaturalidade, vez que fala sobre vampirismo. A escrita leve e a história bem contada, que faz uso da mescla de realidade e fantasia, são elementos que vão agradar os leitores.



Adélia Prado
Livro: Poesia Reunida 

Adélia Prado nasceu em Divinópolis, Minas Gerais, em dezembro de 1935.Em 1975 Carlos Drummond de Andrade enviou os originais de Adélia para um editor, o que viria a ser o seu primeiro livro publicado: Bagagem, lançado em 1976. Poetisa, professora (atuou no magistério por 24 anos), filósofa e contista brasileira, Adélia representa a revalorização do feminino nas letras.

O livro “Poesia Reunida” foi publicado pela Editora Record em 2016. O livro apresenta a obra da poetisa brasileira. Os poemas de Adélia encantam. Memórias de infância, religiosidade, amor, coisas cotidianas e vários outros temas estão presentes nas poesias da mineira. Seus poemas revelam a força de uma mulher lírica e existencial que lida bem com as palavras e faz poesia de rara beleza.



Rô Mierling
Livro: Diário de uma escrava 

Rô Mierling é gaúcha. Escritora e antologista, é autora de “Contos e Crônicas do Absurdo”, “Intimo e Pessoal”, “Quando as Luzes se Apagam”, “Diário de uma Escrava” e muitos outros. Coordenadora em mais de 25 antologias, atua na divulgação e incentivo da leitura e escrita junto a diversos projetos como “Pegaí” e “Arca Literária”. Autora da DarkSide Books, está finalizando seu sexto livro. Mora em Buenos Aires, onde divulga a literatura brasileira.

Em “Diário de uma escrava”, publicado pela DarkSide Books em 2016, Laura é seqüestrada e jogada num buraco. Estevão é o homem que guarda em seu íntimo uma personalidade psicopata. O livro é um alerta e faz denúncia aos diversos tipos de violências a que mulheres são submetidas. Publicado originalmente na plataforma digital Wattpad, onde já teve mais de um milhão e meio de leituras, o livro apresenta um retrato duro, cruel, abominável, mas infelizmente corriqueiro no Brasil e em todo o mundo. 



C.S. Camargo (Carol Camargo)
Livro: O Medalhão de Ísis 

Nascida no Rio Grande do Sul, C. S. Camargo é uma leitora viciada em história e coisas antigas. É forma da em Turismo e, por isso, busca transportar seus leitores para os locais e época em que a trama ocorre. Começou a escrever em meados de 2010 pequenos textos que tinham como cenário um teatro. Mais tarde, ainda naquele ano, iniciou a trilogia O Medalhão de Ìsis, finalizando o primeiro livro em 2013. A trilogia sobre a princesa Ahlam e o guerreiro Faris surgiu após anos de rascunhos e pesquisa sobre o assunto, material que deu origem aos “Contos de Rá” que, mais tarde, foram adaptados para o primeiro livro – “O Medalhão de Ísis”. A autora ainda possui outros projetos paralelos, como a saga “Guardiões de Aldore”, sobre cultura celta e o Selo de Yokai.

“O Medalhão de Ísis” foi publicado pela Editora Arwen. A história se passa no século IV, no Oriente Médio e conta a história de Ahlam e Faris numa jornada que envolve amor, conflitos, perseguição e a busca pelas peças que compõe o medalhão de Ísis. Deuses egípcios e uma história fascinante, bem como a identificação com o casal de protagonistas vai colocar o leitor dentro dessa aventura.



Nuccia De Cicco
Livro: Pérolas da Minha Surdez 

Nuccia De Cicco é bióloga, Doutora em Bioquímica, escritora, poetisa, bailarina e blogueira. Carioca de paixão, mora em Santa Tereza (Rio de Janeiro), bruxa até o fundo da alma, apaixonada por livros, viciada em seriados, louca por tatuagens e lambidas caninas. Desde os 27 anos, após ser acometida de surdez total, fruto de uma doença genética, luta contra seus próprios dilemas, contra as dificuldades do mundo silencioso e o preconceito auditivo de quem ouve.

“Pérolas da minha surdez”, foi publicado pela WWLivros em 2016 e a autora conta suas vivências após ter sido acometida pela surdez. O livro é um verdadeiro aprendizado para o leitor que passa a compreender a situação das pessoas surdas e como pode lidar com essa questão. Ora a escritora nos leva a uma avalanche de emoções e outras se coloca de maneira descontraída e muito bem humorada. Se o livro fosse apenas uma autobiografia já valeria a pena ser lido, mas é mais do que isso. Trata-se um livro verdadeiramente motivador e cheio de ensinamentos para levar pra vida toda



Ana Beatriz Barbosa Silva
Livro: Mentes Perigosas 

Ana Beatriz Barbosa Silva nasceu no Rio de Janeiro e é médica graduada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) com residência em psquiatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É professora honoris causa pela UniFMU e diretora de sua clínica de comportamento humano e psiquiatria. Tornou-se uma referência nacional no tratamento de transtornos mentais. Realiza palestras, conferências e consultorias em todo o país sobre vários temas do comportamento humano. É autora de diversos livros.

“Mentes Perigosas – O psicopata mora ao lado” foi publicado pelo selo Principium da Globo Livros. No livro a autora revela o sombrio transtorno de personalidade que acomete cerca de 4% da população mundial, além de demonstrar como o leitor pode se prevenir contra as perversidades de uma mente psicopata. O livro teve mais 600 mil exemplares vendidos.



Mary Del Priore
Livro: Matar para não morrer – A morte de Euclides da Cunha e a noite sem fim de Dilermando de Assis 

Mary Del Priore escreveu mais de vinte livros sobre a História do Brasil. Historiadora com pós-doutorado na França, foi duas vezes vencedora do Prêmio Casa Grande & Senzala. Ganhou ainda o Jabuti na categoria Ciências Humanas, com “História das Mulheres no Brasil”. Ganhou também o prêmio de melhor livro de não-ficção da Associação Paulista de Críticos de Arte com o livro “O Príncipe Maldito”.

“Matar para não morrer” conta história de Euclides da Cunha que invadiu a casa onde morava Dilermando de Assis, amante de dona Saninha, mulher do escritor. Foi o autor de “Os Sertões” quem perdeu a vida, atingido por três balas de revólver. O livro relata os meses anteriores a tragédia e mostra que, ignorando fatos, a imprensa transformou Dilermando em vilão, rótulo que o perseguiu até o fim. A autora analisa o pano de fundo histórico do triângulo amoroso. 

Nota: os trechos da biografia das escritoras foram adaptados de editoras.

3 comentários:

  1. Que lindo 😍 é que honra me ver entre tantos talentos... obrigada meu amigo! Amei ❤

    ResponderExcluir
  2. Adorei a lista! Muito obrigada pelo carinho!! Abraço

    ResponderExcluir
  3. Mas gente!! Que lindo!!! Eu nem soube, fiquei emocionada! Muito obrigada por lembrar, por indicar, pelas lindas palavras! É uma honra estar na lista com tantas autoras feras!!!! Carinho imenso por você!!!!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.