Anseios - Victor Hugo Felix



“Nicolas é um bom menino, Sr. Beto, mas ele é muito tímido, muito fechado, muito excluído... E preguiçoso. Ele tem poucos amigos e todos eles têm essa mesma dificuldade de se enturmar com os outros, por isso eles ficam fechados numa panelinha.”

Nicolas Ribeiro é o personagem central de “Anseios”, livro de Victor Hugo Felix, publicado pela Editora Arwen em 2016. Filho de Norberto (chamado de Beto) e de Maria Lúcia, o jovem nutre sentimentos por Elana, uma garota da escola, mas que se relaciona com Kevin, por quem Nicolas não tem simpatia. O jovem protagonista sente ciúmes da relação de Kevin com a menina pela qual ele é apaixonado. Para Nicolas “era horrível visualizar os dois juntos, imaginar como ela se sentia ao pensar no garoto. Era terrível saber que ela sonhava com outro enquanto ele sonhava com ela.”

Um evento inesperado, que envolve questões de saúde, aproxima Nicolas da garota. No entanto, alguns contratempos hão de surgir. A relação com Elana vai passar por um momento conturbado e Nicolas vai se sentir ainda mais sozinho, excluído, desacreditado. E não é só com Elana que as relações de Nicola são conflituosas. Ele continua sentindo-se avesso a qualquer coisa relacionada a Kevin e, no seio familiar, a relação com seus pais, continua conturbada.

“Nicolas era assim, um vazio. Sua vida toda o incomodava, desde a relação com os pais à escola, às amizades, aos desejos por Elana. Não havia nada no mundo que o motivasse, tudo era muito superficial e entediante. Estava cansado e queria mudanças. Para mudar, porém, ele precisaria de forças, iniciativa. E para quê ele daria o primeiro passo se o segundo pudesse ser um tropeço?”

O garoto acredita que seus pais gostam de viver de aparência e que não são felizes. Eles fazem de tudo para parecerem pessoas que transbordam felicidade e perfeição na constituição familiar e para agradar vizinhos mais ricos. Os pais de Kevin, inclusive,  passam a frequentar a casa de Nicolas em jantares oferecidos por sua mãe.

Nicolas sente-se pressionado pelos pais, não gosta de estudar, se vê isolado na escola, não tem seu amor correspondido, se envolve em confusões e quer manter distância da vida de aparências. Nos momentos de maior pressão e ansiedade,Nicolas vomita.

Na trama, além dos personagens já citados (Nicolas, Kevin, Elana, Beto e Maria Lúcia), temos a presença misteriosa de uma moradora de rua chamada Madalena. Essa mulher parece assustar e atrair Nicolas, e além disso ela parece ainda sondar a vida de Elana e sua mãe. A mulher lança palavras direcionadas ao jovem, aparece em seus sonhos e sabe mais do que o garoto pode supor inicialmente. Ela não faz parte de seus pesadelos, ela faz parte de sua vida.

Mas, não é só Madalena quem traz mistérios. Alguns eventos da vida de Nicolas são intrigantes, sobrenaturais. Acontecimentos inesperados em situações que ele não gostaria de viver parecem se resolver de um modo um tanto quanto trágico.


Nicolas é um personagem ambíguo. Demonstra empatia e simpatia com sua amada quando estão sós, mas não compreende e rechaça as ações de seus pais, mesmo que sejam para protege-lo. Ele tem uma personalidade com traços de dualidade, em que o bem e o mal residem e que travam uma luta interna. Vale ainda citar que Nicolas está sempre cercado pelas pessoas, mas se sente extremamente só e não cria vínculos afetivos. Excluído, ele não se sente bem quisto e se isola ainda mais.

“A solidão era reconfortante para Nicolas por diversas razões, mas de vez em quando, só ocasionalmente mesmo, ele poderia pelo menos ser tratado como alguém querido, e não apenas como um estorvo.”

“Sorte e virtude” são duas palavras que cruzam o caminho de Nicolas. Mas não são apenas essas palavras, atribuídas a Nicolau Maquiável, mas outras referências ao autor são mencionadas e tem forte ligação com acontecimentos sobrenaturais da história. Esses acontecimentos e o tempo em que ocorrem criam em Nicolas a divisão entre bem e mal, certo e errado. Uma disputa sobre virtudes e sobre sorte.

O livro tem ótimas nuances na história, o que envolve o leitor, e apresenta personagens bem definidos. Nicolas é um exemplo disso. É um personagem capaz de despertar simpatia no leitor, mas também de criar antipatia com alguns de seus atos. Adolescente, irritadiço, aparentemente problemático no convívio social, introvertido, ele busca aceitação pessoal, demonstra acidez no trato com seus pais para  parecer independente, tem enfrentamentos com outros personagens, mas valida seu sentimento por Elana e tem um grande amigo, Natan. Natan é um personagem bonachão, aquele amigo engraçado, cheio de tiradas cômicas e que se expressa de maneira desajeitada.

Nicolas é indomável, característica que, na construção do personagem, era notada desde que ele era criança, como menciona o autor. Ao mesmo tempo que Nicolas antagoniza com Kevin, ele parece ser seu próprio antagonista. Essa dualidade cria o mistério de “Anseios” e leva o leitor para uma jornada de reflexões e de interpretações.

Temos uma trama bem costurada, personagens bem construídos, diálogos que estão dentro do contexto da história, eventos que suscitam dúvidas no leitor e que vão se revelando ao longo das páginas. Victor Hugo Felix tem uma escrita fluída, constrói diálogos coloquiais e criou uma curiosa história.

Foto: Reprodução
Sobre o autor

Desde criança criava histórias, personagens, ambientes e criaturas fantasiosas, mas fazia apenas por diversão. Hoje, encara com mais seriedade, cria histórias e personagens pelo desejo de produzir arte. É estudante de jornalismo e usa um pouco das técnicas de produção de texto jornalística para dar mais veracidade a seus textos. “Anseios” é seu primeiro livro.

Ficha Técnica
Título: Anseios
Escritor: Victor Hugo Felix
Editora: Arwen
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-68255-42-1
Número de Páginas: 238
Ano: 2016
Assunto: Literatura brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.