Conheça Não há tempo a perder



O livro "Não há tempo a perder" é um relato autobiográfico e conta a história e as reflexões de um dos maiores mitos brasileiros, em uma obra recheada de fotos pessoais e de suas expedições. Amyr Klink, em depoimento a Isa Pessoa, fala de momentos difíceis que precisou enfrentar para realizar seus planos. Passa ainda pela sua infância em Paraty, percorrendo a adolescência e revelando as vitórias e erros que foram cometidos ao longo de sua jornada. Amyr afirma que pressão pode ser um estímulo para sobrevivermos.

Mesmo as idéias mais absurdas podem se tornar factíveis - se você se compromete a destrinchar cada pedaço do caminho. Para o navegador, escritor e empresário Amyr Klink, homem que dedica sua vida à prosaica  atividade de se deslocar sobre os oceanos, não há tempo a perder. Sorte é algo que a gente constrói, a vida é curta para repetir caminhos. Este é um livro sobre a escassez, o medo e a nossa misteriosa capacidade de realizar, começar e concluir, fazendo o máximo.

Ele tem um vínculo radical com algumas decisões que toma, mergulha nelas. Lá no fundo sabe que vai se empenhar inteiro, o tempo que for, até fazer. Se tiver que morrer no caminho, paciência, é outro problema. Essa certeza o ajuda bastante. Se tivéssemos a mesma noção do perigo quando empurramos um sonho para depois, poderíamos ser mais competentes no exercício de colocar projetos em prática, como esse obstinado homem do mar.

Em mais de 250 mil milhas rodadas, ele enfrentou calmarias tão assustadoras quanto ondas gigantes, negociou com ventos e tormentas incomunicável, para o mais respeitado bináramos do Atlântico Sul, em alto mar ninguém tem o direito de dormir antes de resolver um problema. A pressão pode funcionar como estimulo e tanto faz: com vento forte a favor ou contra, não há tempo a perder.

O livro é o depoimento de um homem que planeja. E faz. Meticuloso, sem traço de arrogância, admite que sente medo, muito medo - e por isso desenha minuciosamente cada viagem, quantifica os problemas, busca soluções simples e inovadoras. Amyr gosta de desvios logísticos, mas sabe que nenhum planejamento é perfeito, e pior que naufragar pode ser numa seguir em frente.

É preciso finalizar e partir.

Sobre o autor

Filho de pai libanês e mãe sueca, Amyr Klink nasceu em São Paulo, em 25 de setembro de 1955. Mora no Brasl, mas é um cidadão do mundo, sobre o qual pensa com praticidade e beleza. Amyr tem fome de entender como as coisas funcionam. Não consegue achar graça em quem só deseja o carro do ano, a roupa da hora, a casa da praia. É fascinado pela engenharia da necessidade, pela cultura do compromisso e da solidariedade. Formado em economia pela USP, e pós-graduado em Administração de Empresas pela Universidade Mackenzie, aos trinta anos fez a primeira travessia do Atlântico Sul a remo. Concebeu a rota, e remou sozinho, entre a África e o Brasil, vigem sobre o qual escreveu o livro 'Cem dias entre céu e mar', publicado pela Companhia das Letras. É autor de mais seis títulos. Empresário dedicado ao mundo náutico, já fez mais de quarenta viagens para a Antártica, apaixonado pelo continente utópico, sem dinheiro ou bandeiras. Amyr constrói suas próprias embarcações, desenvolve soluções flutuantes e opera a Marina do Engenho, em Paraty (RJ), atividade que emprega mais de 600 pessoas na região. Gosta de entender os países, as cidades, como elas nascem e se formam. Não gosta da palavra aventureiro. Pensa grande - se tivesse sonhado médio, talvez nunca desse certo.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.