O Medalhão de Ísis - C. S. Camargo

No Oriente Médio, século IV, Ahlam Falak Bint Abbas está prestes a completar dezoito anos de idade. Filha do Sultão Abbas Mohamed Fadil, da cidade de Nifah, a jovem é destinada ao casamento com Marzuq, herdeiro do reino inimigo, Badhi. Marzuq é um homem que não tem boa fama.

Faris Zahir é um guerreiro. Destinado pelo próprio nome e detentor de atributos físicos que encantam as mulheres, ele terá a missão de encontrar um artefato solicitado pelo Rei Lahssam: Ankh Sagrado. Faris carrega descrenças advindas de seu passado.

No dia do noivado e do aniversário de dezoito anos de Ahlam ela recebe um lindo colar de seu pai. “O colar com que Abbas a presenteara possuía uma corrente larga de ouro ligada na pedra, que pairava no meio e se enrolava ao seu redor. A pedra central não tinha um formato uniforme, quase parecendo que havia perdido uma parte. Sua cor era num tom rosa claro envelhecido e possuía entalhada na parte de trás um símbolo que a princesa jamais vira antes.”

A cidade e o palácio são invadidos e a princesa é levada como refém. Faris é o homem que a carrega. Mesmo tendo ordens de matar os membros da família real algo o impede de fazer isso com Ahlam e de contar, posteriormente, a identidade da moça. O medalhão que ela carrega no pescoço havia despertado a cobiça de Marzuq, o pretendente, que a abandonara com os inimigos quando da tomada do palácio, num gesto de egoísmo e crueldade.

Eles (Ahlam e Faris) fogem pelo deserto e são perseguidos por criaturas assustadoras, como chacais e escaravelhos carnívoros. Nessa jornada encontram Hórus, que dá a eles a missão de zelar pelo medalhão. Faris ganha do deus egípcio uma adaga para as batalhas que enfrentarão. Ahlam e seu sequestrador/protetor se tornam alvo de perseguições, enquanto seguem a missão do Medalhão de Ísis. Um djinn (gênio) os acompanha numa lâmpada cedida por um sacerdote.

A cultura egípcia, com seus cultos e deuses, está fortemente presente na obra de Carol Camargo. A trama é bem desenvolvida e os personagens são bem construídos, conduzindo os leitores pelas aventuras e mistérios que se desenrolam. Claro que não falta uma boa dose de romance e descobertas intrigantes, tanto da história quanto dos personagens que dele fazem parte.


Os   diálogos são bem coesos e o jogo criado nas conversas entre Ahlam e Faris rende momentos de tensão, ironia e clima de romance. Tudo na medida certa.

A busca pelas peças que compõe o medalhão se inicia a partir da entrega de um mapa. Nada será fácil e eles vão encarar grandes aventuras e desafios numa jornada em direção ao Egito. A peça preciosa de Ísis é muito cobiçada. Até o deus Seth quer as partes do colar. Com o medalhão pode-se trazer à tona um dos maiores conflitos do Antigo Egito: a guerra entre Ìsis, Osíris e Seth.

“Há séculos, gênios, deuses e reis corriam atrás de alguma parte do poder da deusa egípcia – afinal, uma vida eterna seria também uma vida de poder sem fim frente a grandes impérios e civilizações.”
Na jornada eles passam por Meca, pelo Mar Vermelho, pelo Rio Nilo, enfrentam criaturas das mais diversas, descobrem histórias intrigantes sobre os deuses egípcios, encaram percalços, são perseguidos e se envolvem emocionalmente.

A história de Ahlam e Faris segue os preceitos da história de Ísis e Osíris. E Carol nos dá um texto rico em detalhes e que elucida pontos que vão sendo abertos na busca pelas peças de Ísis. A cada capítulo o anseio de descortinar a missão do casal de proteger o medalhão.

Primeiro livro da trilogia criada pela autora, “O Medalhão de Ísis” foi publicado pela Editora Arwen em 2016. É um livro surpreendente. História que fascina o leitor do início ao fim. Não vai ser difícil você se identificar com o casal de protagonistas e toda a mitologia egípcia que envolve o enredo. Diga-se que as histórias dos deuses egípcios são muito bem exploradas. Um excelente livro que clama pela continuação. O projeto gráfico da obra também é de qualidade e traz ilustrações e, logo no início, um glossário. Que venham as outras edições da trilogia, porque a história é de encantar.

Sobre a autora
Foto: Reprodução

Nascida no Rio Grande do Sul, C. S. Camargo é uma leitora viciada em história e coisas antigas. É forma da em Turismo e, por isso, busca transportar seus leitores para os locais e época em que a trama ocorre. Começou a escrever em meados de 2010 pequenos textos que tinham como cenário um teatro. Mais tarde, ainda naquele ano, iniciou a trilogia O Medalhão de Ìsis, finalizando o primeiro livro em 2013.

A trilogia sobre a princesa Ahlam e o guerreiro Faris surgiu após anos de rascunhos e pesquisa sobre o assunto, material que deu origem aos “Contos de Rá” que, mais tarde, foram adaptados para o primeiro livro – O Medalhão de Ísis.

A autora  ainda possui outros projetos paralelos, como a saga Guardiões de Aldore, sobre cultura celta e o Selo de Yokai.

Ficha Técnica
Título: O Medalhão de Ísis
Escritor: C. S. Camargo
Editora: Arwen
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-68255-58-2
Número de Páginas: 247
Ano: 2016
Assunto: Literatura brasileira


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.