Capão Pecado - Ferréz

"Capão Pecado”, do escritor brasileiro Ferréz foi publicado pela Editora Planeta em 2013 (192 páginas). O autor é representante da chamada literatura marginal, em que os escritores são da periferia das grandes metrópoles e expõe ideias e pensamentos por meio do universo literário.

O livro de Ferréz conta a história de Rael, jovem da periferia de São Paulo que gosta de ler e tem planos para uma vida melhor por meio de seu trabalho.

Nos ambientes pelos quais Rael circula/vive adquiriu amigos que não agem exatamente como ele. Alguns são usuários de entorpecentes, alguns se envolveram com roubos de motocicletas e outros cometeram assassinatos. Apesar da diferença de comportamento que existe entre Rael e seus amigos, eles partilham da mesma vida, cercados pela pobreza da periferia, pela ação desmedida da polícia, pela morte de parentes que são assassinados, pela perda de outros amigos por motivos banais e pela contrariedade com jovens ricos.

No bairro Capão Redondo, os personagens desenrolam suas vidas, cotidianamente massacrada. Mas, nem só de violência eles vivem, buscam também diversão nas festas da região e com as mulheres que se relacionam.

O personagem central do livro, Rael, se envolve com Paula. O detalhe é que a jovem é namorada de Matcherros, amigo dele, envolvido com o tráfico de drogas. Será que isso acabará bem?

“Rael chegou em casa ainda meio tonto. Não sabia o que faria de sua vida; não sabia se pensava na consideração pelo amigo ou naquele estranho amor, mas sabia que ela não o amava. De algum jeito ele teria que resolver a situação.”

Por falar em Matcherros, o leitor vai se parar com personagens que tem alcunhas peculiares, característica que identifica muitas pessoas nas periferias do país. Cebola, Alaor, Arigaz, Amaral, Panetone, Capachão, Carimbê, Burgos, são alguns dos codinomes que identificam os personagens no cenário da zona sul de São Paulo.

A morte faz presença pelo tráfico de drogas, por machismo, por pura e desmedida violência, por banalidades que poderiam ser contornadas de outra maneira. Na história de Rael, cabe perfeitamente a indagação feita na contracapa do livro: “E por amor, vale a pena morrer?”

O autor, por meio de sua obra ficcional, nos revela uma realidade latente da cidade. Por vezes, essa realidade das periferias é abafada na mídia, ou quando não, só é exposta quando ilustra a capa ou as chamadas dos jornais policiais. Na literatura de Ferréz, personagens que vivem nas regiões menos abastadas da cidade, tem voz e contam sua história.

Por meio do estilo coloquial que o autor emprega e pelos diálogos que trazem os maneirismos e gírias com que os personagens se comunicam, características que são presentes na periferia real, a história ganha consistência e proximidade. A história retratada no “Capão Pecado” pode ser, naturalmente, vivida pelos jovens de regiões que não recebem o olhar agraciado de políticos, nem desfrutam das benesses de localidades mais ricas. A gíria, expressão típica do vocabulário, está presente e remonta o grupo social a que os personagens pertencem. A expressão coloquial, típica da literatura marginal, não significa que a literatura seja pobre, significa, outrossim, que retrata o mais fielmente possível a realidade das ruas.

“Capão Pecado” é um livro que ficcionalmente lança para o leitor a realidade crua da periferia. O livro foi publicado originalmente em 2000 e firmou o nome do autor no cenário literário.

Foto: Reprodução
Sobre o autor

Antes de se dedicar exclusivamente à escrita, Ferréz foi balconista, auxiliar-geral e arquivista. Seu primeiro livro, Fortaleza da Desilusão, foi lançado em 1997. Foi com Capão Pecado (em 2000) que se firmou como um dos melhores escritores de sua geração. Depois de ter lançado o romance Manual Prático do Ódio, o infantil Amanhecer Esmeralda e o livro de contos Ninguém é Inocente em São Paulo, o autor teve suas obras publicadas em Portugal, Itália, Alemanha, Espanha e Estados Unidos. Ligado ao movimento hip hop, fundou o selo Literatura Marginal e a 1DASUL, marca de roupas produzidas no bairro em que vive. Teve o conto Os Inimigos não Levam Flores adaptado para a TV e para os quadrinhos, escreveu para o filme Brother e os seriados Cidade dos Homens (Globo) e 9MM (Fox). Compositor e cantor, já teve suas músicas gravadas por vários artistas e lançou dois CDs. Atua ainda como colunista da revista Caros Amigos e é conselheiro editorial do Le Monde Diplomatique Brasil. Vive em Capão Redondo.

Ficha Técnica
Título: Capão Pecado
Escritor: Ferréz
Editora: Planeta
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-422-0140-6
Número de Páginas: 192
Ano: 2013
Assunto: Ficção brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.