Ghriphos Meus - Felipe Ferreira

Ler o "gripho" do autor datado de 16 de janeiro de 2014, presente na contra-capa, apresentou o livro de uma maneira instigante.

"Griphos Meus"  pode levar a crer que os textos serão meramente encapsulados e fechados para o mundo do escritor, no entanto, ao leitor menos desavisado, cabe um aviso: você vai ler algo que se apresenta revelado, sem amarras, sem mordaça e com criticidade aguçada. Refiro-me ao fato de que não são textos introspectivos, muito pelo contrário. A ostra (triste), definição que o autor se deu nos brinda com textos que se revelam, se abrem para o mundo.

Em “Griphos Meus – cinema, literatura, música, política & outros gozos crônicos”, Edição do Autor, 2014 (183 páginas), Felipe lança ao leitor suas percepções, observações, constatações e interpretações de temas variados (presentes no subtítulo do livro). Num texto bem escrito, pessoal e voraz, nos deleitamos com seu olhar crítico e apurado sem ser pretensioso e empossar-se dono da verdade ou desejoso da derrota alheia. Não é a crítica pela crítica, voltada em maldizer o foco do texto que ele assistiu, leu, viu ou ouviu. O autor é, antes de tudo, um observador que lança seus (sem posse) sentimentos sobre o mundo. 

“(...) estamos tão condicionados, seja pela mídia ou pela própria cultura familiar, a polemizar tudo, que o mais singelo ato de amar, seja lá quem for, vira o começo do fim.”

A leitura é intensa e prazerosa. Ora apresenta nuances de suavidade, ora voraz e arrasadora tocando profundamente no cerne da questão a que o escritor se refere, ora erótica, sensual, sexual, ora filosófica. O intento do autor em fazer seus "griphos" viscerais foi atingido. Para quem, como eu, gosta de textos precisos, profundos e contundentes é um livro que surpreende (positivamente, faço questão de anotar – grifo meu).

Que bom se deparar com apontamentos pessoais, mas intensos e amplos, que nos atingem na concordância e na discordância de suas impressões, mas que sobretudo nos provocam. Versam sobre diversas artes, sejam elas cinematográficas, literárias, musicais, políticas, ou simplesmente da arte da vida. Sim, viver é uma arte. Escrever também. E o autor tem um texto artístico, e até poético, que muito me agradou.

Felipe Ferreira / Foto: Raulino Junior

Sobre o autor:

Felipe Ferreira é escritor e roteirista. Ariano, santo-amarense, soteropolitano. Graduado em Letras com Inglês pela Universidade Católica do Salvador (UCSAL). É colunista do Cinem(Ação), do Ambrosia e do PubliKador.



O livro pode ser adquirido diretamente com o autor. Consulte nas redes sociais.

Ficha Técnica
Título: Griphos Meus: cinema, literatura, música, política & outros gozos crônicos
Editora: Edição do Autor
Ano: 2014
Edição: 1ª
Número de Páginas: 183
Assunto: Ensaios brasileiros

Um comentário:

  1. Oiiii, tudo bem?
    Não conhecia o livro ainda :P Mas adorei a sua resenha. Fico feliz que tenha curtido a leitura.
    Entretanto não é um livro que eu leria no momento :P
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.