[Tag] 10 Livros que viraram filmes

No Instagram fui marcado por @um_amor_pela_leitura para responder a tag #MOVIEOFTHEBOOK, que consiste em postar a foto de um livro que virou filme. 


A partir da tag resolvi montar esse post com uma lista de dez livros que viraram filmes. Abaixo você lê as sinopses divulgadas em editoras e/ou livrarias.



O Planeta dos Macacos – Pierre Boule



Em pouco tempo, os desbravadores do espaço descobrem a terrível verdade: nesse mundo, seus pares humanos não passam de bestas selvagens a serviço da espécie dominante... os macacos. Desde as primeiras páginas até o surpreendente final – ainda mais impactante que a famosa cena final do filme de 1968 –, O planeta dos macacos é um romance de tirar o fôlego, temperado com boa dose de sátira. Nele, Boulle revisita algumas das questões mais antigas da humanidade: O que define o homem? O que nos diferencia dos animais? Quem são os verdadeiros inimigos de nossa espécie? Publicado pela primeira vez em 1963, O planeta dos macacos, de Pierre Boulle, inspirou uma das mais bem-sucedidas franquias da história do cinema, tendo início no clássico de 1968, estrelado por Charlton Heston, passando por diversas sequências e chegando às adaptações cinematográficas mais recentes. Com milhões de exemplares vendidos ao redor do mundo, O planeta dos macacos é um dos maiores clássicos da ficção científica.


Trash – Andy Mulligan




Não por acaso. Raphael, Gardo e Rato são adolescentes que vivem e trabalham no lixão de Behala, situado em um país de terceiro mundo não nomeado, mas que poderia ser qualquer um da América Latina. A ocupação deles é revirar o lixo em busca de plástico e papel, de onde tiram o sustento da família. Dia após dia, sabem exatamente o que encontrarão: barro e mais barro. Ainda assim, sempre esperam por algo surpreendente, que altere essa difícil realidade. Até que eles enfim têm um dia de sorte – mas o bilhete premiado se mostra muito mais perigoso do que parecia. O segredo está em uma bolsa encontrada em meio ao lixo, contendo um documento, algum dinheiro e uma chave dourada que pode abrir todas as portas da miséria que os enclausura – ou fechá-las para sempre.

A Noite dos Mortos Vivos – John Russo



A DarkSide desenterra mais um clássico do terror e vai direto na fonte: A Noite dos Mortos-Vivos, considerado uma das maiores obras-primas do gênero e um livro obrigatório para os fãs de The Walking Dead, Resident Evil, Orgulho e Preconceito, Zumbi e tudo aquilo que englobe os carismáticos comedores de cérebros. Se hoje os zumbis estão em alta é porque, em 1968, George Romero e John Russo se reuniram para escrever o roteiro de A Noite dos Mortos-Vivos e mudar a história do cinema. O filme revolucionou o mito sobre as criaturas que voltavam do além: as superstições vodus das velhas produções B deram lugar à epidemia de fome canibal nas ruas norte-americanas. Criaturas similares já haviam aparecido antes nas telonas, mas foi em A Noite dos Mortos-Vivos a primeira vez em que foram retratados como uma praga devoradora de carne humana. 

O próprio John Russo (que também atua no clássico de 1968 como um zumbi) adaptou a história do filme neste romance que a DarkSide traz para o Brasil. A Noite dos Mortos-Vivos inclui ainda uma surpresa para os leitores: o texto integral da sequência do claássico, que nunca chegou a ser filmada, chamada de A Volta dos Mortos-Vivos.



A Culpa é das Estrelas - John Green




Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer — a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

Psicose - Robert Bloch


'Psicose' de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O protagonista Norman Bates, assim como Gein, era um assassino solitário que vivia em uma localidade rural isolada, teve uma mãe dominadora, construiu um santuário para ela em um quarto e se vestia com roupas femininas. Em 'Psicose', Bloch antecipou e prenunciou a explosão do fenômeno serial killer do final dos anos 1980 e começo dos 1990. O livro, assim com o filme de Hitchcock, tornou-se um ícone do horror.


O Corcunda de Notre Dame - Victor Hugo


Escrito por Victor Hugo, e inicialmente chamado Notre-Dame de Paris, O corcunda de Notre-Dame é a história de vários amores impossíveis, dentre eles seu personagem mais famoso, Quasímodo, um corcunda deformado que é chamado para raptar a cigana Esmeralda e acaba por apaixonar-se por ela. Mas como uma criatura tão feia e infeliz pode concorrer com homens de Deus e homens de poder pelo coração de tal beleza celestial? Com um panorama histórico e poético sobre a França de 1482, onde a Catedral de Notre Dame tem papel fundamental, o romance vem a ser um dos mais importantes já escritos, eternizando amores inviáveis e um cenário realista e apaixonado, onde Paris hora abriga seus personagens como mãe e protetora, e hora os rejeita e os joga sem direção em suas ruas repletas de miseráveis.

O Dossiê Pelicano - John Grisham


Dois juízes: Rosenberg, famoso por defender causas liberais, Jensen, suspeito de tendências homossexuais. Um único assassino: terrorista, procurado em nove países diferentes, implacável, a serviço de um mandante insuspeitado. Quando a estudante de direito Darby Shaw começa a decifrar os dados de dois crimes que abalam a opinião pública americana, está apenas exercitando sua argúcia de primeira aluna. Depois do assassinato do professor Callahan, seu namorado, a questão adquire contornos deluta pela sobrevivência. Qual seria a relação das mortes com um lento processo envolvendo uma companhia petrolífera e uma pequena entidade, a Fundo Verde, interessada em impedir a extinção do pelicano marrom? Com a ajuda do jornalista Gray Grantham e tendo como pano de fundo a exótica Nova Orleans, Darby Shaw desmascara conexões capazes de derrubar um presidente. Com O dossiê pelicano, John Grisham se estabelece como autor de ritmo tenso e personagens convincentes a serviço de tramas sempre impecáveis.

O Regresso - Michael Punke


Em 1823, os caçadores da Companhia de Peles Montanhas Rochosas desbravavam as terras inexploradas dos Estados Unidos, enfrentando diariamente o clima implacável, as feras selvagens e a ameaça constante de confronto com os índios, que defendiam suas terras da invasão dos homens brancos. Em uma das missões da companhia, Hugh Glass, um dos melhores e mais experientes caçadores do grupo, fica frente a frente com um urso-cinzento, é atacado e termina gravemente ferido, claramente sem chances de sobreviver. Os homens que deveriam esperar sua morte e lhe oferecer um funeral apropriado o abandonam, levando consigo as armas e os suprimentos. Entre delírios, Glass os observa fugindo e é tomado por um único desejo: vingança. Uma determinação cega que o torna capaz de atravessar quase cinco mil quilômetros de terras intocadas e selvagens, fugindo de predadores, sobrevivendo à fome e à agonia dos ferimentos mais terríveis, a fim de concluir seu objetivo.  Inspirado em fatos reais e escrito em uma prosa arrebatadora, O regresso é uma notável história de obsessão, um romance sobre um homem cuja vida foi ao mesmo tempo salva e condenada pela sede de vingança.


Laranja Mecânica – Anthony Burgess




Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma resposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex - soberbamente engendrada pelo autor - empresta uma dimensão quase lírica ao texto.

A Garota Dinamarquesa – David Ebershoff



Inspirado em uma história real, este romance inquietante, narrado com elegância e sutileza únicas, apresenta uma trama ousada que transcende os limites de sexo, gênero e localização histórica. A prosa rica e o discurso emocionado transformam esta obra numa história de amor poderosa, que marcará para sempre a vida do leitor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.