Marcadores de Página

Todo leitor, durante a sua viagem literária, tem de fazer algumas paradas. Para marcar o ponto em que pausou a leitura cada um tem um modo diferente e alguns um modo bastante criativo. Os marcadores de página são uma boa pedida.

Foto: Instagram @lojalepetitmari
Há diversos métodos para marcar a página do livro. Consultando alguns conhecidos e amigos das redes sociais você certamente vai encontrar quem utilize alguns dos métodos mencionados abaixo:

- etiquetas de roupas.
- cartão de visita.
- cartão postal.
- recortes ou pedaços de caixas.
- adesivos (sem tirar o papel que o permite colar).
- clipes (que muitos leitores rechaçam, inclusive eu, por marcar literalmente as páginas).
- régua.
- boletos e cartas.
- envelopes.
- pedaços de papel de presente.

E há, entre esses, recursos muito bacanas que podem dar um toque especial na marcação. Etiquetas de roupa, por exemplo, podem ser uma boa pedida. Algumas marcas elaboram uma tag criativa e apresentável que pode ser usada perfeitamente. Algumas dessas etiquetas que vem nas roupas carregam inclusive algum cordão (de palha, tecido ou plástico).

Foto: Instagram @vanartstore e @lara.furtado
Os marcadores promocionais das editoras são os mais usuais. Tanto que há pessoas que os colecionam. É fácil encontrar perfis em redes sociais para promover trocas e até venda. Além de ser um método de a editora divulgar o livro os leitores agradecem por não ter de usar a orelha do livro (para não amassar). Esses marcadores podem ser facilmente encontrados em livrarias e feiras de livros.

Marcadores artesanais também dão charme. Já vi circulando pelas redes sociais fotos de marcadores feitos de tecido, fitas, bordado com ponto cruz, papel dobrado (estilo origami) e até biscuit (massa de modelar). Para citar alguns exemplos que podem despertar a sua curiosidade o Instagram @vanartstore confecciona marcadores que fazem sucesso (pés do Hobbit, chapéu do Chapeleiro Maluco, pés de Louisa Clarck, entre outros).

Marcadores com fita, como o da primeira foto do post podem ser encontrados no perfil do Instagram da @lojapetitmari. Os pingentes que compõe o marcador são diversificados. Há bicicletas, patins, torre, guarda-chuva, ancora e muitos mais.

Inegavelmente há um mais interessante que o outro. E, no momento em que o leitor o coloca no livro fica aquela ponta para fora chamando a atenção. Pode ser os pés de um Hobbit, o rosto de uma coruja, a ponta de uma árvore de natal ou quaisquer outras coisas que a criatividade de quem criou permitir.

Foto: Instagram @rdebiblioteca
Tem ainda marcadores de papel com personagens que também são bem interessantes. Podem ser feitos pelo próprio leitor ou adquiridos em livrarias. Há uma gama de outros modelos, como mãozinhas de borracha, vestidos com elástico, zíperes que ficam na borda das folhas e flores de crochê ou trico.

Em um breve questionamento feito pelo Facebook obtive algumas respostas interessantes de objetos estranhos utilizados para marcar páginas. Alguns foram: lixa de unha, folheto de lanchonete, papel rasgado, contas e até cigarro (apagado, é claro). Vale a criatividade do leitor.

Não importa o modo como você marca o livro, os marcadores dão um toque naquela hora que a leitura tem de ser interrompida. E o melhor de tudo, não amassam as folhas, nem a capa do tão amado livro.

Boa leitura!

Nota: as fotos utilizadas para ilustrar o post foram gentilmente cedidas pelos perfis do Instagram que estão creditados abaixo de cada uma das fotos. Obrigado aos amigos leitores pela colaboração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.