Livros Lidos em Fevereiro de 2016


Todo primeiro dia do mês publico aqui no blog a lista e um breve comentário sobre os livros lidos no mês anterior. Em fevereiro foram 10 livros lidos. Confira a lista.

O primeiro livro lido no mês foi “Fábulas Selecionadas”, de La Fontaine com ilustrações de  Alexander Calder. As fábulas são inspiradoras e se aplicam a comportamentos humanos. A metáfora usando animais é interessante e os textos são apresentados em verso, não em prosa que é o modo usual desse tipo de texto. Uma publicação da Cosac Naify em capa dura.

De Stephen King pude saborear memórias de  um escritor que fala de seu ofício, de sua vida e ainda dá dicas para escritores. O livro a que me refiro é “Sobre a Escrita”, publicado pela Editora Suma de Letras. É um livro muito interessante e uma verdadeira aula sobre escrever.

Da Editora Revan, parceira do blog, li “Os Cinco Estágios do Colapso”, de Dmitry Orlov. O livro trata de cinco estágios que podem levar uma sociedade ao colapso e compara o que aconteceu com a União Soviética e que está prestes a acontecer com economias capitalistas, como os Estados Unidos. Excelente leitura.

“Cortejo em Abril”, de Zulmira Ribeiro Tavares trás algumas histórias curtas e uma maior, que dá nome ao livro que conta o dia de um home que conserta tudo. Os acontecimentos ocorrem no dia em que o enterro de Tancredo Neves é realizado. Da visão desse profissional que segue sua vida a narrativa aponta para a naturalidade de ser anônimo.

Como não poderia faltar um livro policial, um dos meus gêneros preferidos, li “Quando Nosso Boteco Fecha as Portas”, de Lawrence Block, que foi publicado pela Companhia das Letras. No livro conhecemos o personagem Matt Sccuder um ex-policial e detetive que atua num caso de morte e de roubo de livros contábeis. Ele tem de lidar com seu passado, o vício com a bebida e os conflitos dos amigos.

Havia lido uma biografia de Thomas More e, parti para a leitura do seu livro mais conhecido “A Utopia”, publicado pela Martin Claret. No livro conhecemos por relato a ilha de Utopia um lugar em que o sistema político, social, religioso, cultural funciona de maneira adequada e igualitária. Uma sociedade imaginada pelo autor que se contrapõe a Inglaterra de seu tempo.

Me deparei com zumbis no livro “Elevador 16 – As Crônicas do Mortos”, do escritor Rodrigo de Oliveira que foi publicado pela Faro Editorial. Um grupo fica trancado num elevador, no dia em que um novo planeta se aproxima da Terra. Fenômenos estranhos acontecem e alguns viram zumbis. Numa fuga alucinante uma das personagens busca sua salvação diante do terrível cenário.

Na viagem da leitura fui parar em Roma e no Vaticano por meio do livro “Veneno nas Veias”, de M. G. Scarsbrooks, em que Lucrécia Bórgia narra uma história de conspirações, luta pelo poder, mortes, ambição e busca por privilégios e riquezas. Ela tem de fugir de um inimigo que deseja sua morte e vai desvendando segredos sobre a corte papal de seu pai, Alexandre VI (o Papa).

“A Primavera da Pontuação”, de Vitor Ramil, uma publicação da Cosac Naify foi outra aventura interessante de ler. No livro, depois do atropelamento de um ponto, uma revolução acontece no reino de Ponto Alegre. A Língua Portuguesa dá contorno aos personagens e às metáforas utilizadas. Uma história bem arquitetada e que nos leva por um mundo fantástico.


Pra finalizar as leituras do mês, me deparei com o livro “Einstein Para Distraídos”, de Allan Percy que traz citações e aforismos do grande cientista e é complementado com um texto para reflexão sobre fatos, sentimentos e ações do cotidiano para resolver problemas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.