5ª Turnê Intrínseca - São Paulo


Esse ano a 5ª Edição da Turnê Intrínseca desembarca em vinte estados brasileiros. A equipe de marketing da Intrínseca leva até os leitores os lançamentos e novidades da editora. Os eventos foram programados de março a abril, portanto há algumas localidades em que ainda será realizado.

As 20 cidades que receberam ou que receberão o evento são: Salvador, Aracaju, Maceió, Natal, Cuiabá, São Luís, Belém, Manaus, Fortaleza, Teresina, Brasília, Goiânia, São Paulo, Belo Horizonte, Vitória, Recife, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre e Rio de Janeiro. 

O Tomo Literário esteve presente no evento de São Paulo, que ocorreu no dia 30 de Março de 2016 na Livraria Saraiva do Shopping Center Norte. A distribuição de senhas ocorreu uma hora antes da abertura do evento, e tudo aconteceu dentro do prazo previsto.

A equipe de marketing da editora fez as devidas apresentações e explicou sobre como acontece o evento e que a Intrínseca resolveu fazer as turnês para se aproximar dos leitores.

Publicações feitas no segundo semestre de 2015, livros publicados no primeiro semestre de 2016 e os previstos para serem lançados no segundo semestre do ano foram apresentados em três grupos: ficção, não ficção e jovens.

Entre os títulos que foram apresentados aos leitores temos:
- Lugar Nenhum, de Neil Gaiman;
- O Universo na Casca de Noz, de Stephen Hawking;
- Eu Sou o Peregrino, de Terry Hayes;
- Alucinadamente Feliz, de Jenny Lawson;
- F de Falcão, de Helen Macdonald;
- Temporada de Acidentes, de Moira Fowley-Doyle;
- Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens. de Becky Albertalli;
- Cidade dos Etéreos, de Ransom Riggs;
- S, de J.J. Abrans,
- Destinos e Fúrias, de Lauren Groff;
- Baía da Esperança, de Jojo Moyes;
- Aceitação, de Jeff Vandermeer;
- P.S. Ainda Amo Você, de Jenny Han.

Além dos títulos aqui mencionados outros também foram apresentados aos leitores presentes no evento. Cada livro era comentado por um membro da equipe da Intrínseca. Em alguns momentos uma brincadeira de "encontro às cegas" aconteceu: eles comentavam um pouco sobre dois livros e o público levantava um cartão indicando a cor escolhida (azul ou amarelo). A cor que era escolhida representava um livro que foi apresentado pela Intrínseca.

Após a divulgação dos livros aconteceu a apresentação das redes sociais da Intrínseca e foi aberto espaço para perguntas do público. Na sequência, foram realizados sorteios de exemplares de vários livros. Na saída, os presentes receberam um kit da editora contendo cartões-postais dos livros, marcadores de página, botons, caneta e um pin de participação da quinta edição do evento.
Brindes de participação.
Esperemos por mais eventos do gênero! Ano que vem estaremos lá de novo!

Para saber quais as cidades que ainda receberão a  turnê você pode acessar o site da editora: www.intrinseca.com.br/turne. O encerramento da turnê 2016 acontecerá no Rio de Janeiro no dia 09 de abril. Nas redes sociais é possível acompanhar os acontecimentos com a hastag #TurnêIntrínseca.


A Fome de Nelson - Adriana Armony

Nelson Rodrigues. Possivelmente você conheça esse nome. É assim que se chama o  personagem central do livro de Adriana Armony, “A Fome de Nelson”, que foi publicado pela Editora Record em 2005.

Nelson se apaixona por uma bailarina, e está perto da morte. Perto da morte, porque nos tempos da história a tuberculose era uma doença que predestinava o doente a esse fim. Eros Volúsia é o nome da paixão de Nelson. Ao mesmo tempo que busca sua paixão não correspondida, Nelson enfrenta a morte de seu querido irmão, que fora assassinado e a internação no sanatório paulista para curar sua doença.

O livro é um romance, mas há inspirações na vida do Nelson Rodrigues escritor, aquele que conhecemos e por quem Adriana Armony é apaixonada pela obra e profunda conhecedora. Adriana, a autora do livro, fez uma tese de doutorado que tratava de Nelson Rodrigues como leitor de Dostoiéviski.

Há um misto que o narrador do livro nos dá. Mistura-se realidade, ficção e um pouco de alucinação. Teria o narrador sido um contemporâneo do personagem principal e com ele teria mantido certa relação, ainda que não tão próxima, sobretudo quando estiveram ambos no sanatorinho situado em Campos do Jordão, cidade do interior paulista.

O impacto causado em Nelson pela morte do irmão, a paixão não correspondida pela bailarina e sua internação de certo influenciaram em muito os personagens que povoam suas obras. Personagens estes que carregam certa angústia e atordoamento, como Nelson.

“Em frente ao computador, os olhos irritados pela luminosidade da tela, tento me imaginar entrando na enfermaria do Sanatorinho pela primeira vez. Eu mesmo passei por essa sensação, eu mesmo já fui ofuscado por aquela brancura de sonho; mas eu não era Nelson Rodrigues, não amara Eros Volúsia, nem pensei uma vez vingar o sangue da minha família.”

A mistura do real e do ficcional nos dá um gosto de querer mais. Querer conhecer mais sobre Nelson Rodrigues, querer mais na história contada no livro, querer mais detalhes. De qualquer forma, o livro desperta esse interesse e teve sua missão cumprida. Uma boa leitura!

Ficha Técnica
Título: A Fome de Nelson
Escritor: Adriana Armony
Editora: Record
ISBN: 978-85-01-07172-2
Edição: 1ª
Número de Páginas: 110
Ano: 2005
Assunto: Romance brasileiro

Social Killers.com - R. J. Parker e J. J. Slate

A internet é um mecanismo que, nos tempos atuais, auxilia a humanidade em muitos aspectos da vida. Você pode utilizar a internet para pagar uma conta, comprar um livro, buscar o preço de um determinado produto, se candidatar para uma vaga de emprego, para ter acesso a qualquer tipo de informação ou para se cadastrar numa rede social e manter relacionamento com uma rede de amigos.

Enquanto alguns utilizam a ferramenta de maneira positiva, do outro lado pode haver muitas pessoas que a utilizam para fins obscuros. Alguns utilizam até para buscar, flertar e selecionar suas vítimas reais.

Psicopatas por vezes criam perfis falsos e abusam da vulnerabilidade de quem está do outro lado do computador. Cercam-se de sua ingenuidade e da falta de segurança para abordá-las, conquistá-las e de num mundo bem real cometer assassinatos, incentivar suicídios, abusar sexualmente, entre outros crimes.

“Social Killers.com”, livro publicado pela Darkside Books, foi escrito por R. J. Parker que é um especialista em livros que apresentam crimes verídicos, sobretudo quando trata-se de assassinos com perfil psicopata. A outra autora do livro é J. J. Slate que também possui best-sellers que tratam de casos criminosos reais.

Ao longo das 272 páginas da publicação são contados 33 casos que envolvem assassinato, suicídio, sequestro e até canibalismo. São fatos reais, de pessoas reais, que utilizaram a internet como meio de cercar suas vítimas.

Os casos expostos ajudam o leitor a compreender o perfil de mentes que se valem da internet para alavancar seus impulsos homicidas. O foco é esse, mas também deixa o leitor atento, faz um alerta, para os perigos a que todos estamos expostos. Buscar saber com quem está lidando nas redes sociais é de suma importância para evitar cair em enrascadas como as que o livro apresenta.

Apesar de alguns crimes serem brutais, chocantes e até alarmantes é preciso clarificar que tais ações de fato existiram. Não são fruto de imaginação. E, de outro modo, crimes já eram cometidos antes mesmo da existência das redes sociais. Alguns criminosos no passado abordavam suas vítimas por meio de classificados em jornais e revistas, por exemplo. A internet não é a causadora dos crimes que esses homens cometeram, é apenas um meio.

O viés psicológico dos autores dos crimes está presente em cada um dos casos. O assunto abordado no livro sem dúvida desperta interesse de muita gente e vale a pena a leitura pela qualidade do texto e por trazer a tona casos outrora adormecidos.

Ao final do livro há algumas dicas de segurança. A publicação da Darkside, como sempre, é muito bem desenvolvida graficamente e o livro é ótimo para colocar em voga o comportamento humano. É uma leitura importante para quem se interessa pelas áreas criminais ou da psicologia, e até mesmo para o leitor que quer apenas conhecer um pouco mais sobre o universo dos sociopatas.

Excelente leitura!



Ficha Técnica
Título: Social Killers.com
Escritor: R. J. Parker e J. J. Slate
Editora: Darkside
ISBN: 978-85-66636-45-1
Edição: 1ª
Número de Páginas: 272
Ano: 2015
Assunto: Homicidas em série

Obrigado Por Existir - Bradley Trevor Greive

O livro “Obrigado por existir” tem fotos e frases de agradecimento. Publicado pela Editora Sextante em 2012, o autor Bradley Trevor Greive (o mesmo de ‘Um dia daqueles’), dedica o livro a seu amigo Albert J. Zuckerman.

São fotos de animais em momentos de fofurice que encantam o leitor. O agradecimento vem abaixo de cada foto, inspirando e falando dessa atitude positiva que é a gratidão. O livro é mais para ser visto, apesar de o texto apresentar unidade.

Agradecimentos pelo encorajamento, por falar a verdade, por acalmar, por não gritar quando há discordância, por fazer com que se sinta seguro. Agradecimentos para pequenas e grandes coisas, numa demonstração de uma amizade genuína. É uma boa opção de presente para aquele seu amigo que há muito vem sendo esquecido, ou que mesmo lembrado, você esquece de agradecer.

Agradeça seu amigo!

Ficha Técnica
Título: Obrigado por Existir
Escritor: Bradley Trevor Greive
Editora: Sextante
ISBN: 978-85-7542-715-6
Edição: 1ª
Número de Páginas: 80
Ano: 2012
Assunto: Gratidão

Ative as notificações do Instagram

O Instagram anunciou que as postagens vão deixar de aparecer em ordem cronológica no feed.

“A ordem das fotos e dos vídeos no seu feed vai ser baseada na probabilidade do seu interesse naquele conteúdo, da sua relação com a pessoa que está a postar e com a atualidade do post. À medida que avançamos, estamos focados na otimização da ordem - post estarão todos lá, apenas numa ordem diferente”, afirma a empresa.


Os usuários da rede manifestaram-se contra a mudança, no entanto, a nova forma será implantada e então isso afetará a maneira como vemos as fotos hoje. 

Uma dica para nosso leitores: ative as notificações.

No perfil do @TomoLiterário clique nos três pontinhos que ficam no canto superior direito da tela. Abrirá um quadro com informações. Você deve clicar em "Ativar notificações de publicação". Faça isso para continuar vendo todas as fotos do @TomoLiterário.



Grande abraço.

[Tag] 10 Livros que viraram filmes

No Instagram fui marcado por @um_amor_pela_leitura para responder a tag #MOVIEOFTHEBOOK, que consiste em postar a foto de um livro que virou filme. 


A partir da tag resolvi montar esse post com uma lista de dez livros que viraram filmes. Abaixo você lê as sinopses divulgadas em editoras e/ou livrarias.



O Planeta dos Macacos – Pierre Boule



Em pouco tempo, os desbravadores do espaço descobrem a terrível verdade: nesse mundo, seus pares humanos não passam de bestas selvagens a serviço da espécie dominante... os macacos. Desde as primeiras páginas até o surpreendente final – ainda mais impactante que a famosa cena final do filme de 1968 –, O planeta dos macacos é um romance de tirar o fôlego, temperado com boa dose de sátira. Nele, Boulle revisita algumas das questões mais antigas da humanidade: O que define o homem? O que nos diferencia dos animais? Quem são os verdadeiros inimigos de nossa espécie? Publicado pela primeira vez em 1963, O planeta dos macacos, de Pierre Boulle, inspirou uma das mais bem-sucedidas franquias da história do cinema, tendo início no clássico de 1968, estrelado por Charlton Heston, passando por diversas sequências e chegando às adaptações cinematográficas mais recentes. Com milhões de exemplares vendidos ao redor do mundo, O planeta dos macacos é um dos maiores clássicos da ficção científica.


Trash – Andy Mulligan




Não por acaso. Raphael, Gardo e Rato são adolescentes que vivem e trabalham no lixão de Behala, situado em um país de terceiro mundo não nomeado, mas que poderia ser qualquer um da América Latina. A ocupação deles é revirar o lixo em busca de plástico e papel, de onde tiram o sustento da família. Dia após dia, sabem exatamente o que encontrarão: barro e mais barro. Ainda assim, sempre esperam por algo surpreendente, que altere essa difícil realidade. Até que eles enfim têm um dia de sorte – mas o bilhete premiado se mostra muito mais perigoso do que parecia. O segredo está em uma bolsa encontrada em meio ao lixo, contendo um documento, algum dinheiro e uma chave dourada que pode abrir todas as portas da miséria que os enclausura – ou fechá-las para sempre.

A Noite dos Mortos Vivos – John Russo



A DarkSide desenterra mais um clássico do terror e vai direto na fonte: A Noite dos Mortos-Vivos, considerado uma das maiores obras-primas do gênero e um livro obrigatório para os fãs de The Walking Dead, Resident Evil, Orgulho e Preconceito, Zumbi e tudo aquilo que englobe os carismáticos comedores de cérebros. Se hoje os zumbis estão em alta é porque, em 1968, George Romero e John Russo se reuniram para escrever o roteiro de A Noite dos Mortos-Vivos e mudar a história do cinema. O filme revolucionou o mito sobre as criaturas que voltavam do além: as superstições vodus das velhas produções B deram lugar à epidemia de fome canibal nas ruas norte-americanas. Criaturas similares já haviam aparecido antes nas telonas, mas foi em A Noite dos Mortos-Vivos a primeira vez em que foram retratados como uma praga devoradora de carne humana. 

O próprio John Russo (que também atua no clássico de 1968 como um zumbi) adaptou a história do filme neste romance que a DarkSide traz para o Brasil. A Noite dos Mortos-Vivos inclui ainda uma surpresa para os leitores: o texto integral da sequência do claássico, que nunca chegou a ser filmada, chamada de A Volta dos Mortos-Vivos.



A Culpa é das Estrelas - John Green




Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer — a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

Psicose - Robert Bloch


'Psicose' de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O protagonista Norman Bates, assim como Gein, era um assassino solitário que vivia em uma localidade rural isolada, teve uma mãe dominadora, construiu um santuário para ela em um quarto e se vestia com roupas femininas. Em 'Psicose', Bloch antecipou e prenunciou a explosão do fenômeno serial killer do final dos anos 1980 e começo dos 1990. O livro, assim com o filme de Hitchcock, tornou-se um ícone do horror.


O Corcunda de Notre Dame - Victor Hugo


Escrito por Victor Hugo, e inicialmente chamado Notre-Dame de Paris, O corcunda de Notre-Dame é a história de vários amores impossíveis, dentre eles seu personagem mais famoso, Quasímodo, um corcunda deformado que é chamado para raptar a cigana Esmeralda e acaba por apaixonar-se por ela. Mas como uma criatura tão feia e infeliz pode concorrer com homens de Deus e homens de poder pelo coração de tal beleza celestial? Com um panorama histórico e poético sobre a França de 1482, onde a Catedral de Notre Dame tem papel fundamental, o romance vem a ser um dos mais importantes já escritos, eternizando amores inviáveis e um cenário realista e apaixonado, onde Paris hora abriga seus personagens como mãe e protetora, e hora os rejeita e os joga sem direção em suas ruas repletas de miseráveis.

O Dossiê Pelicano - John Grisham


Dois juízes: Rosenberg, famoso por defender causas liberais, Jensen, suspeito de tendências homossexuais. Um único assassino: terrorista, procurado em nove países diferentes, implacável, a serviço de um mandante insuspeitado. Quando a estudante de direito Darby Shaw começa a decifrar os dados de dois crimes que abalam a opinião pública americana, está apenas exercitando sua argúcia de primeira aluna. Depois do assassinato do professor Callahan, seu namorado, a questão adquire contornos deluta pela sobrevivência. Qual seria a relação das mortes com um lento processo envolvendo uma companhia petrolífera e uma pequena entidade, a Fundo Verde, interessada em impedir a extinção do pelicano marrom? Com a ajuda do jornalista Gray Grantham e tendo como pano de fundo a exótica Nova Orleans, Darby Shaw desmascara conexões capazes de derrubar um presidente. Com O dossiê pelicano, John Grisham se estabelece como autor de ritmo tenso e personagens convincentes a serviço de tramas sempre impecáveis.

O Regresso - Michael Punke


Em 1823, os caçadores da Companhia de Peles Montanhas Rochosas desbravavam as terras inexploradas dos Estados Unidos, enfrentando diariamente o clima implacável, as feras selvagens e a ameaça constante de confronto com os índios, que defendiam suas terras da invasão dos homens brancos. Em uma das missões da companhia, Hugh Glass, um dos melhores e mais experientes caçadores do grupo, fica frente a frente com um urso-cinzento, é atacado e termina gravemente ferido, claramente sem chances de sobreviver. Os homens que deveriam esperar sua morte e lhe oferecer um funeral apropriado o abandonam, levando consigo as armas e os suprimentos. Entre delírios, Glass os observa fugindo e é tomado por um único desejo: vingança. Uma determinação cega que o torna capaz de atravessar quase cinco mil quilômetros de terras intocadas e selvagens, fugindo de predadores, sobrevivendo à fome e à agonia dos ferimentos mais terríveis, a fim de concluir seu objetivo.  Inspirado em fatos reais e escrito em uma prosa arrebatadora, O regresso é uma notável história de obsessão, um romance sobre um homem cuja vida foi ao mesmo tempo salva e condenada pela sede de vingança.


Laranja Mecânica – Anthony Burgess




Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma resposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex - soberbamente engendrada pelo autor - empresta uma dimensão quase lírica ao texto.

A Garota Dinamarquesa – David Ebershoff



Inspirado em uma história real, este romance inquietante, narrado com elegância e sutileza únicas, apresenta uma trama ousada que transcende os limites de sexo, gênero e localização histórica. A prosa rica e o discurso emocionado transformam esta obra numa história de amor poderosa, que marcará para sempre a vida do leitor.

O Planeta dos Macacos - Pierre Boulle

“O Planeta dos Macacos” foi publicado originalmente em 1963. Escrito por Pierre Boulle foi a inspiração para uma das obras mais significativas da cinematografia de ficção científica, que teve Charton Heston como estrela na primeira edição de 1968. Outros filmes, séries e inspirações surgiram depois e obtiveram bastante sucesso.

Um casal viajando pelo espaço se depara com uma garrafa que guarda um manuscrito. Os viajantes logo depois dão de cara com um mundo muito parecido com o Planeta Terra. Um lugar que tem ar, água e flora muito similares ao ambiente terrestre, contudo nesse mundo que descobrem os macacos são seres dominantes. Eles, os macacos, falam, andam, pensam, tem consciência e fazem experimentos com seres humanos. Que por sua vez aparentam ser bestiais e selvagens, e servem aos seres dominantes.

Zira é a macaca que consegue ver algo a mais do humano Ulysse e o auxilia para que possa safar-se de sua prisão. Ao lado de seu marido ela compreende que há algo de extraordinário naquele ser humano que está em cativeiro. E a medida que a narrativa avança, ela vai se imbuindo ainda mais de valorizar as qualidades que vê no homem prisioneiro e o "defende" perante os líderes do grupo de símios.

O livro é um clássico e a publicação da Editora Aleph de 2015, além da história, traz uma entrevista do autor Pierre Boulle dada ao periódico Cinefantastique, um posfácio e um ensaio da BBC News.
Boulle conta na entrevista que teve a ideia de escrever a história a partir de uma visita que fez no zoológico. Lá pode observar como os gorilas tinham feições e expressões muito próximas as dos humanos. Certamente uma ótima inspiração que culminou num livro surpreendente e, posteriormente, num filme também de  qualidade.

Seja pela adaptação cinematográfica ou não, “O Planeta dos Macacos” é uma história fantástica e apresenta certa dosagem de crítica e provoca reflexão sobre o homem (que se vê dominante no mundo em que atua). De pano de fundo temos essa visão sobre o homem inferior ao macaco e sua condição de servidão. Mais do que ficção científica faz pensar, refletir sobre o papel do homem em seu ambiente. Mas não precisamos ler com tal olhar, podemos simplesmente degustar a maravilhosa história contada por Boulle.

É um livro obrigatório para fãs de ficção científica.

Ficha Técnica
Título: O Planeta dos Macacos
Escritor: Pierre Boulle
Editora: Aleph
ISBN: 978-85-7657-213-8
Edição: 1ª
Número de Páginas: 209
Ano: 2015
Assunto: Ficção científica

Tardes e Manhãs - Neuza Flores


Recebi hoje da Editora Biblioteca 24 Horas o livro "Tardes e Manhãs - Onde universos se encontram", da escritora Neuza Flores.

Conheça a sinopse do livro:

Aos dezenove anos, a jovem protagonista se depara extremamente confusa. Há tantas perguntas sem respostas... principalmente sobre o porquê da vida e da morte. Um auxílio chega carregado de momentos inexplicáveis que alteram caprichosamente sua vida. Esta assistência abrandará todas as suas dúvidas? 

Para complicar, aquele que se apresenta para ajudá-la é lindíssimo! Possui um magnetismo que faz com que ela repense suas teorias sobre o sexo oposto. Ainda mais quando este magnífico homem mostra poderosamente suas imensas e imaculadas asas. E que... não vem sozinho. 

Transportada para situações inusitadas, ela descobre que faz parte de um plano maior, invisível à maioria dos mortais, mas tão palpável como sua frágil condição de carne e sangue. Percebe, quase em pânico, que está totalmente envolvida e que secretamente ansiava por tudo aquilo. Além disso, o mais arrepiador... Entende que terá de enfrentar a singular experiência que esse ser extraordinário gentilmente oferece, se quiser alcançar o que mais deseja: Viver para Sempre. 

Então, ela irá encarar esta fantástica experiência? E qual seria a finalidade disso tudo?

Assim que ler, teremos resenha aqui no blog.

Para conhecer outros livros do catálogo da Editora acesse o site: www.biblioteca24horas.com.br

Acompanhe a Editora nas Redes Sociais:

Deixei Ele Lá e Vim - Elvira Vigna

Em “Deixei ele lá e vim”, da escritora Elvira Vigna, Shirley Marlone é a narradora. De forma quase descarada, ou podemos dizer disfarçada, a narradora "mente" para o leitor. Alguns pontos que ela nos conta parecem ser sua forma própria de adequar os acontecimentos ao que ela gostaria que fosse. Talvez omita detalhes.

“E que é inventar os últimos acontecimentos, e os primeiros. Ou os que nunca de fato aconteceram, mas poderiam. Ou os que aconteceram e eu guardei num lugar separado para depois, para quando tivesse tempo e calma, numa hora como a de agora, em que conto tudo isto, ou como aquela daquele momento em que estava na praia.” Nessa passagem, nota-se claramente que algo do que ela nos conta pode ser a forma como ela resolve contar.

Sem emprego e se envolvendo com homens ricos, Shriley começa a receber dinheiro em troca de sexo. Se vê então virando garota de programa, sem programar-se para tal fato. A narradora revela quase surpresa que foi se acomodando com a situação. Recebe o primeiro dinheiro em troca de sexo de alguém que sabia que ela estava desempregada.

“Conheço bem e tenho medo do necessário. Em geral, o necessário é o outro nome de insuficiente.”

O desparecimento de uma mulher na praia e seu calçado encontrado por um cachorro coloca uma dúvida no ar. Teria a mulher chamada Dô se suicidado ou teria sido assassinada por alguém hospedado no hotel que a tenha conduzido pela praia?

A narradora diz algo que nos leva a compreender o título do livro, uma vez que não estamos falando do desparecimento de um homem: “Percebi em algum momento depois, nesse tempo todo que passou, que o que mais me atraia na frase ‘deixei ele lá e vim’ era o ‘vim’... era para criar algum fio que me prendesse.” São lembranças de quando ela havia deixado para trás o corpo do pai (morto). Shirley tem  hábito de deixar as coisas para traz e lançar-se para frente, para um lugar qualquer. Ela diz querer ir a São Paulo, mas não se diz satisfeita com esse seu objetivo.

Dô talvez esteja desaparecida (ou morta?). Bibbi ou Bubi ou Bibu é suspeito pelo sumiço da moça, mas Shirley também se torna suspeita, inclusive de ter planejado tudo desde o início da história. Outro suspeito pode ser um homem de boné xadrez. Aos poucos, Shirley vai nos contando o que viu e o que sabe.

A personagem-narradora tem um texto em que se emaranham acontecimentos que narra e divagações sobre fatos e sentimentos. Isso a torna próxima, porque ela não figura apenas como mera contadora da história. Seus pensamentos parecem lançar-se junto com os acontecimentos formando uma colcha de retalhos que vão dando sentido ao que ela conta.

“Não tenho dificuldade em fazer papéis, é coisa que aprendi em criança, chamo de sobrevivência”. Talvez essa frase de Shirley diga bem quem ela realmente é.

O livro termina, mas a história ainda ressoa. Alguma solução diferente sobre o caso é possível ser imaginada pelo leitor. No fundo, após concluir a leitura, penso que Shirley nos conta uma história imaginada por ela, enquanto ela tentava fugir de si mesma, de algo que fizera. Complexo? Leia e descobrirá.

Ficha Técnica
Título: Deixei ele lá e vim
Escritor: Elvira Vigna
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 978-85-359-0903-6
Edição: 1ª
Número de Páginas: 149
Ano: 2006
Assunto: Romance brasileiro

[Tag] 10 livros para ler em 2016

No Instagram fui marcado por @cadalivroumamordiferente para responder a uma tag chamada #BOOKLIST, que consiste em listar 10 livros que queremos ler em 2016.




Mesclando a minha lista do Skoob com alguns livros que tenho e outros que desejo, montei a lista de 10 livros para a tag. Abaixo você vê os títulos, o autor de cada livro e a sinopse divulgada em sites das editoras e/ou livrarias. 


A Menina Submersa - Caitlín R. Kiernan

'A Menina Submersa - Memórias' é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do 'real' sobre o 'verdadeiro' e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma 'obra-prima do terror' da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards 2013. A autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e HP Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial - na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa -, e sabem que o medo real nos habita. O romance evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf.


O Frio Aqui Fora - Flávio Cafiero

Um homem perde a promoção de cargo na empresa em que trabalha há treze anos. Ao mesmo tempo, é abandonado pela namorada. Tudo se desestabiliza e o mundo, agora, está diferente: os mecanismos de sobrevivência se tornam evidentes, as relações se revelam instáveis, as certezas amolecem. Até mesmo as palavras perdem os sentidos cotidianos.
Nesse cenário subitamente movediço, o projeto engavetado desde a adolescência começa a emergir: precisa se tornar um escritor. A solidão de quem tem o próprio futuro nas mãos é esmagadora. O mundo é traiçoeiro e, como nas savanas africanas, tudo pode mudar a qualquer momento. Intenção e acaso, razão e instinto, equilíbrio e caos: as fronteiras se dissolvem em um agora eterno. Caminhar parece ser a única forma de escapar. O tempo presente é áspero. O frio, aqui fora, pode ser insuportável.

Circo Mecânico Tresaulti - Genevieve Valentine

“Respeitável público, sejam bem vindos ao incrível Circo Mêcanico Tresaulti, o lugar para quem acredita no mundo mágico que nos rodeia. Permita-me conduzi-lo por uma viagem única através da luz e das sombras onde descobriremos juntos uma nova forma de ver tudo e a todos. Onde não existe limite entre o picadeiro e a plateia, onde tudo é real e o único limite é a nossa vontade de sonhar.” Em pleno cenário pós-apocalíptico, “O Circo Mecânico Tresaulti” ergue sua lona e dá início ao grande espetáculo. Ambientado sobre a perigosa superfície de um mundo devastado, cheio de bombas e radiação remanescentes de uma guerra pela qual todos já saíram derrotados, este belo romance nos apresenta uma caravana circense em eterna viagem através de muitas cidades sem país, região ou rota definida. Lugares que podem não mais existir quando o circo retornar. Aqueles que se juntam ao circo procuram segurança, trabalho sem risco de vida ou apenas uma nova forma de recomeçar. E seguir adiante, apesar de tudo. Através de imagens surpreendentes, a autora nos conduz por um realismo mágico com um toque da beleza steampunk, uma combinação inusitada que cria a atmosfera perfeita para personagens comoventes e de grande força poética. Fãs tanto de clássicos como Melville (Moby Dick), Frank L. Baum (O Mágico de Oz) e das fábulas dos irmãos Grimm quanto de autores contemporâneos como Kelly Link, Erin Morgenstern, Kami Garcia e Margaret Stoh vão se apaixonar pela prosa cheia de mistério da jovem e talentosa escritora Genevieve Valentine, que com este seu primeiro romance foi indicada ao Prêmio Nebula, um dos mais importantes dedicados à literatura fantástica. Aprecie esse peculiar espetáculo!

O Sol é Para Todos - Harper Lee

Um livro sobre racismo e injustiça - a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça.


O Vermelho e o Negro - Stendhal

Perdido no interior da França, o filho de um comerciante de madeira nutre sonhos de grandeza heroica, sem se dar conta de que ficaram para trás os tempos em que um jovem tenente de artilharia podia tornar-se cabeça de um Império. Este livro é a narrativa desse desencontro histórico, em suas menores reverberações. No rescaldo da derrota de Napoleão, as carreiras são tortuosas e os amores são difíceis. Para chegar a Paris, Julien Sorel passará por um seminário de província, aceitará um posto subalterno junto a uma grande família e será amante de duas mulheres únicas e díspares.

O Regresso - Michael Punke


Em 1823, os caçadores da Companhia de Peles Montanhas Rochosas desbravavam as terras inexploradas dos Estados Unidos, enfrentando diariamente o clima implacável, as feras selvagens e a ameaça constante de confronto com os índios, que defendiam suas terras da invasão dos homens brancos.
Em uma das missões da companhia, Hugh Glass, um dos melhores e mais experientes caçadores do grupo, fica frente a frente com um urso-cinzento, é atacado e termina gravemente ferido, claramente sem chances de sobreviver. Os homens que deveriam esperar sua morte e lhe oferecer um funeral apropriado o abandonam, levando consigo as armas e os suprimentos. Entre delírios, Glass os observa fugindo e é tomado por um único desejo: vingança. Uma determinação cega que o torna capaz de atravessar quase cinco mil quilômetros de terras intocadas e selvagens, fugindo de predadores, sobrevivendo à fome e à agonia dos ferimentos mais terríveis, a fim de concluir seu objetivo. 
Inspirado em fatos reais e escrito em uma prosa arrebatadora, O regresso é uma notável história de obsessão, um romance sobre um homem cuja vida foi ao mesmo tempo salva e condenada pela sede de vingança.



Zé do Caixão: Maldito A Biografia - Ivan Finotti e André Barcinski


A vida, a obra e as muitas mortes de José Mojica Marins, o temível Zé do Caixão. Nesta biografia, André Barcinski e Ivan Finotti desenterram a verdadeira história de um dos mais produtivos cineastas do Brasil. Reconhecido internacionalmente como um dos grandes mestres do Terror, Zé do Caixão – Coffin Joe, para os gringos – escreveu, dirigiu, produziu e atuou em mais de trinta filmes, como o clássico À Meia Noite Levarei Sua Alma. 
De infância humilde nos subúrbios de São Paulo, Mojica aprendeu a fazer cinema sozinho, na marra, usando os recursos disponíveis e formando seus próprios técnicos e atores. Como resultado, o mundo ganhou um artista genuinamente brasileiro, que jamais precisou copiar fórmulas estrangeiras. Publicado originalmente em 1998, Zé Do Caixão – Maldito, a Biografia está sendo relançado pela DarkSide Books, numa edição à altura do genial diretor – e também padrinho da editora. Com 666 páginas (200 a mais que a antiga versão), o livro conta com muitas fotos inéditas, filmografia atualizada e acabamento luxuoso em capa dura. Um verdadeiro documento para amantes do cinema e do terror.



Frida - Hayden Herrera

“Frida – uma biografia”, de Hayden Herrera, traz à tona a intimidade da vida da pintora que transformou sua própria história em arte. Todo mundo conhece Frida Kahlo, cuja imagem, de olhar complexo sob sobrancelhas espessas, cabelos negros e roupas coloridas, é quase tão difundida quanto a de Che Guevara. Todo mundo sabe que sofreu um gravíssimo acidente na juventude, que foi casada com o grande muralista Diego Rivera, e que foi amante de Leon Trotsky. Todo mundo sabe que tinha ideias radicais em política e hábitos modernos na vida, que pintava de modo radicalmente pessoal, e que teve uma existência tão tumultuada quanto o século XX em que viveu. O que poucos sabem é que tudo o que quase todo mundo sabe sobre Frida Kahlo está longe de resumir sua vida, ou de revelar a mulher por trás do ícone da arte latino-americana moderna. Finalmente traduzida para o português, “Frida – a biografia” foi um dos grandes impulsionadores do revival da artista nos Estados Unidos e em todo o mundo a partir de 1983. Como sintetizou a crítica, “Por meio de sua arte, Kahlo fez de si mesma uma artista e um ícone; por meio desta biografia, ganhou também dimensão humana”. Escrito por Hayden Herrera, reconhecida historiadora da arte, o livro traz, além da intimidade da história de Frida, detalhadas descrições e interpretações dos quadros de Kahlo, escritas com o rigor e a acuidade de uma especialista, mas também com a clareza, a fluidez e a sedução de uma amante dessa arte.

Vidas Provisórias - Edney Silvestre


Expatriados, separados no tempo e na geografia, Paulo e Barbara compartilham, além da experiência do exílio, o estranhamento pela perda de suas identidades, o isolamento e a sensação de interrupção do curso normal de suas vidas. Diferentes motivos os levam ao estrangeiro. Em 1970, Paulo, perseguido pela ditadura militar, é preso, torturado e abandonado sem documentação na fronteira, de onde segue para o Chile e depois para a Suécia. Barbara, com uma identidade falsa, deixa o país para trás em 1991 — durante o governo Collor —, fugindo de um rastro de violência, e se instala nos Estados Unidos como imigrante ilegal.
Em seu terceiro romance, Edney Silvestre cria um vigoroso retrato das transformações que ocorreram no país e no mundo nos últimos quarenta anos, com uma trama que viaja pelo Chile, Suécia, Estados Unidos, França e Iraque. O autor se vale, com sensibilidade, de sua experiência de onze anos como correspondente baseado em Nova York para revelar o universo dos imigrantes e, ao mesmo tempo, recriar de forma contundente um Brasil visto a distância.



Ficção Completa - Bruno Schulz

Título da coleção Prosa do Mundo, reúne pela primeira vez no Brasil a ficção completa de Bruno Schulz (1892 - 1942). São dois livros de contos do autor polonês - Lojas de canela e Sanatório sob o signo da Clepsidra - e quatro contos inéditos em português. O livro traz 11 ilustrações do próprio escritor, autor também de uma extensa obra artística. A tradução, feita diretamente do polonês, é de Henryk Siewierski, professor de teoria literária da Universidade de Brasília.  O livro tem apresentação do poeta e ensaísta Czeslaw Milosz - Nobel de Literatura de 1980 -, posfácio do tradutor e sugestões de leitura. Completam o volume trechos dos diários de Witold Gombrowicz sobre o amigo Bruno Schulz.

21 de Março - Dia Mundial da Poesia


Dia 21 de Março é o Dia Mundial da Poesia. A data foi instituída pela Unesco em 1999.

Nessa data, para homenagear os poetas:
- recite uma poesia;
- dê os parabéns a seus amigos poetas;
- escreva um poema;
- compartilhe na sua rede social informações sobre a data;
- leia um livro de poesia.

Parabéns a todos os poetas!

O Menino da Lista de Schindler – Leon Leyson, Marilyn J. Harran e Elizabeth B. Leyson

“Era 6 de setembro de 1939. Menos de uma semana depois de cruzar a fronteira da Polônia, os alemães estavam em Cracóvia. Ainda que não soubéssemos disso naquele momento, começavam os nossos anos de inferno.”

“O Menino da Lista de Schindler”, publicado pela Editora Rocco (selo Jovens Leitores), conta a história do menino mais jovem salvo por Oskar Schindler, que foi responsável pela salvação de de cerca de 1200 judeus. Por suas ações, Schindler conseguiu com que os judeus não fossem dizimados nos campos de concentração. Sua história foi apresentada no famoso filme de Steven Spielberg: “A lista de Schindler”.

Nos tempos de nazismo Leon Leyson (autor do livro e o menino a que nos referimos) tem de enfrentar situações adversas em busca de sua sobrevivência, em que a fome, o medo, o desespero  estão presentes, mas é preciso enfrentá-los visando a sua própria sobrevivência  e também a de seus familiares. A vida em jogo que faz com que um menino demonstre sua força. Mesmo que talvez não tivesse toda a visão de seus atos, ele os faz, porque precisa apenas viver.

A invasão nazista na Polônia devasta a vida de muitas famílias e, Leon, aos 10 anos começa uma jornada árdua. O trabalho do pai na fábrica de Oskar Schindler parecia ser a solução para salvaguardar a família. Depois de um tempo o menino começa também a trabalhar para o industrial alemão que tem um perfil controverso e o fato de trabalhar para ele define o seu futuro.

“Ao tratar-nos com respeito, ele resistia à ideologia racista do nazismo, que hierarquizava a humanidade e colocava os judeus no lugar mais baixo.” Assim diz Leon sobre Schindler.

Recordamos tempos de uma história nada agradável, mas que é real. Um menino que luta por comida, enfrenta grupos de soldados e vai tomando consciência da dizimação de muitos judeus e da agressividade que o homem é capaz no mundo. Uma parte da história mundial que angustia, mas que deve ser relembrada para que outros fatos similares não voltem a acontecer.

Apesar de ser um livro autobiográfico, não é um livro carregado de divagações. Leon e as co-escritoras souberam muito bem manter o foco no menino e sua visão sobre o que acontecia em seu mundo naquele momento. 

A história do menino que sobreviveu ao Holocausto é extraordinária, uma mensagem de superação e de esperança, coragem e humanidade. Em tempos em que a luta pela igualdade é mais necessária do que nunca, o livro tem uma forte mensagem que toca e inspira o leitor.

Ficha Técnica
Título: O Menino da Lista de Schindler
Escritor: Leon Leyson, Marilyn J. Harran e Elizabeth B. Leyson
Editora: Rocco Jovens Leitores
ISBN: 978-85-7980-212-6
Edição: 1ª
Número de Páginas: 253
Ano: 2014
Assunto: Holocausto judeu

1ª Feira de Literatura da Cidade de Moreno (PE)


Estão abertas as inscrições aos escritores que queiram participar da primeira feira literária independente da cidade de Moreno no Estado de Pernambuco (Felicidade de Moreno I). 


O período de inscrição iniciou-se no dia 14 de Março de 2016 e terá seu encerramento no dia 1 de Abril de 2016 às 23 horas e 59 minutos. (Horário de Brasília).


As normas para participação na Feira literária constam no edital disponível no seguinte link:

http://oserpoeta.wix.com/poeta?fb_action_ids=459797014183223&fb_action_types=og.comments#!i-filicidade-do-moreno/uo962.

Acompanhe o escritor Dayvton Almeida:
Facebook: https://www.facebook.com/dayvton
Instagram: https://www.instagram.com/o_ser_poeta/