Editora Revan [Parceria]

A Editora Revan é a mais nova parceira do blog Tomo Literário.

Com mais de trinta anos de existência, a  editora publicou mais de 1000 títulos e mantém 400 deles em seu catálogo.  Prima pela qualidade de estudos críticos de direito penal e biografias de grandes personalidades. Sediada no Rio de Janeiro tem uma ampla estante universitária e publicações com instituições universitárias de peso.

Edita ainda uma linha de clássicos da literatura, tanto nacional quanto estrangeira, com nomes como Machado de Assis e Lima Barreto.

Conheça mais sobre a Editora Revan e suas obras em www.revan.com.br. No site é possível consultar a lista por categorias, conhecer a estante universitária, fazer busca pelo nome dos autores e muito mais.


Dia de São Nunca à Tarde - Roberto Drummond

O livro “Dia de São Nunca à Tarde”, foi escrito por Roberto Drummond, autor também de livros como “Hilda Furacão” e “Inês é Morta”. A publicação foi feita pela Editora Geração Editorial em 2004.

O título do livro me chamou a atenção, li a sua contra-capa, me interessei pelo que dizia e resolvi então ler.

Uma pergunta paira no ar, na história vivida no livro: “E se Gabriel não voltar?”. Gabriel não está no internato. Ali habitam dois fantasmas, 300 meninos (299, pra ser mais preciso, já que Gabriel ali não está), e os freis que tomam conta do lugar.  No colégio interno, ele vive com padres que já partiram, mas insistem em ficar no mundo dos vivos. Vive ainda com um frei que come flor e faz milagres e um frei autoritário.

Gabriel e Gabriela são gêmeos e tem algo em comum além do fato de serem irmãos e gêmeos. Eles querem mudar de sexo. Ele quer ser mulher, ela quer ser homem.

Gabriel foi embora do internato. Voltará ou não? Só se saberá ao ler a história. Os fantasmas o esperam, porque acreditam que se ele voltar, a sua irmã Gabriela virá junto, trazê-lo com a mãe, que deixa um perfume inebriante no local. E um dos fantasmas é apaixonado por ela (Gabriela). Frei Vicente também quer que Gabriel volte, chega inclusive a ter insônia pensando no fato de o menino não voltar. Os outros internos parecem também esperá-lo, apesar de haver a dúvida. E o frei carrasco vai notar que coisas estranhas aconteceram.

Os irmãos gêmeos são citados durante todo o livro, mas a aparição propriamente dita é breve, mas marcante. Deixa marcas em todos que estão a seu redor. A história do livro é bem engendrada pelo autor e nos surpreende. A narrativa é feita nos colocando na vivência do internato, nos conduzindo por suas instalações e nos posicionando como espectadores dos acontecimentos.

Curiosidade: Dia de São Nunca à Tarde é uma expressão popular que significa que nunca vai acontecer.


Ficha Técnica
Título: Dia de São Nunca à Tarde
Autor: Roberto Drummond
Editora: Geração Editorial
ISBN: 978-85-7509-105-0
Edição: 1ª
Ano: 2004
Número de Páginas: 85
Assunto: Ficção brasileira

Serial Killers Made in Brazil - Ilana Casoy

O livro de Ilana Casoy, “Serial Killers Made in Brazil”, apresenta a pesquisa da autora sobre assassinos em série no território nacional. Há perfis de psicopatas brasileiros e relatos sobre seus casos.O cerne da publicação feita pela Darkside em 2014 (360 páginas) é compreender a mente dos criminosos que matam e não tem remorso ou culpa por isso.

Toda vez que nos deparamos com uma situação de violência é comum nos indignarmos, e a abordagem de Ilana com os diferentes tipos de criminosos que entrevistou demonstra que essas pessoas (os serial killers) podem estar em qualquer meio social e ter diferentes “motivações” para os atos que cometem.

A tríade apresentada no livro anterior (Serial Killers Louco ou Cruel?) está presente no perfil psicológico dos criminosos: abuso sexual na infância,  queima ou destruição de coisas e violência contra animais ou outras crianças.

Há casos que chocam pela brutalidade, como a do criminoso que matou vários meninos e tomava o sangue de suas vítimas. Ou mesmo de um matador que em prol da justiça eliminava outros criminosos. Mais do que julgar os casos expostos o livro nos leva a refletir sobre a personalidade de sociopatas e tentar compreender as ações (ainda que injustificadas). 

Os crimes praticados, histórico familiar, laudos psicológicos e mentais, exposição da mídia, entrevistas, cartas, fotos, detalhes dos julgamentos, recheiam o livro. Ilana expõe também nos capítulos os bastidores de suas entrevistas, o que nos dá a exata noção do árduo trabalho em investigar e aprofundar-se nos casos dos assassinos em série brasileiros.

O livro é fechado com a apresentação de parte de um trabalho acadêmico realizado pela escritora e que foi adaptado para inserção na publicação, que fala sobre Pedrinho Matador. Vale a pena ler e refletir sobre colocações feitas no capítulo, que aborda inclusive a influência social, a personalidade do indivíduo, sua relação com o meio e com os seus.

Quem leu “Serial Killers Louco ou Cruel?” deve também ler esse tomo da obra, para que veja quão completo o trabalho se tornou. É, sem dúvida, um livro bem produzido, seja pela escrita clara e o detalhamento das histórias apresentadas, seja pelo acabamento ímpar, característica da Darkside.

Não posso fechar a resenha sem comentar do box com os dois volumes, que é um espetáculo. Certamente encantará a leitores amantes da criminologia, psicologia, direito ou áreas correlatas. Para curiosos e leitores que buscam entretenimento ou tem  curiosidade pelo tema o efeito é o mesmo.
Foto: Darkside


Ficha Técnica
Título: Serial Killers Made In Brazil 
Autor: Ilana Casoy
Editora: Darkside
ISBN: 978-85-66636-29-1
Edição: 1ª
Ano: 2014
Número de Páginas: 360
Assunto: Psicopatas

Contos da Mãe Verde - Luiz Asaf

"Contos da Mãe Verde", do escritor Luiz Asaf foi publicado pela Editora Baraúna em 2014. O livro, em suas 75 páginas, traz ao leitor três histórias de fantasia que são ilustradas. Os três contos são: "Lunangels", "A Princesa do Castelo de Areia" e "Yakecan".

Os contos são independentes, mas mantém em comum uma mensagem de otimismo. Esse é o elo que as une. Para salvar a Pedra-da-Lua, vencer uma guerra ou salvar a floresta, o leitor embarca numa fantástica viagem escrita por Asaf. Reinos mágicos, Paris ou a Floresta Amazônica são os lugares em que as narrativas se desenrolam.

O livro apresenta personagens do folclore brasileiro (Cuca, Iara, Mula Sem Cabeça, Negrinho do Pastoreiro, entre outros), princesa, rainha, índios, sereias e outros seres míticos. A mesca de personagens do imaginário com personagens criados pelo autor dá um toque interessante a todas as histórias.

Cada um dos contos tem um conflito diferente que remete à uma lição ao leitor. Escrito para o público infantojuvenil a leitura é leve, agradável e dá pra ler num só fôlego. Fantasia, magia, e forte ligação com a natureza e com os animais é um característica do escritor que está bem representada nessa publicação.

Leitura recomendada!

Foto: Colagem com ilustrações de Raphael Rios

Ficha Técnica
Título: Contos da Mãe Verde 
Autor: Luiz Asaf
Editora: Editora Baraúna
ISBN: 978-85-437-0211-7
Edição: 1ª
Ano: 2014
Número de Páginas: 75
Assunto: Ficção infantojuvenil

Agatha Christie - 125 anos

Nascimento: 15 de Setembro de 1890 em Torquay, Reino Unido.
Data de falecimento:  12 de Janeiro de 1976 em Wallingford, Reino Unido.
Primeiro Livro: O Misterioso Caso de Styles, também foi a primeira aparição de um dos seus principais personagens, o detetive belga Hercule Poirot. O livro foi publicado em 1920.
Principais Personagens: Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford.
Nome de nascimento: Agatha Mary Clarissa Miller.





Os livros de Agatha Christie foram publicados em cerca de 50 idiomas, somando um total de mais de dois bilhões de cópias em todo o mundo. Pelos livros de suspense, envolvendo crimes e mistérios, ficou conhecida como a Rainha do Crime.

Agatha e seu primeiro marido, Archibald Christie
Foi em 1912 que Agatha conheceu o seu primeiro marido, Archibald Christie, de quem herdara o sobrenome que a consagrou como a maior escritora de romances policiais. Archibald era piloto do Corpo Real de Aviadores. Eles mantiveram um relacionamento tempestuoso. Casaram-se em 24 de dezembro de 1914. O marido foi enviado para Primeira Guerra Mundial e Agatha trabalhou em um hospital e em uma farmácia. O exercício dessas funções influenciaram os casos escritos por ela, pois muitos dos assassinatos relatados nos livros foram cometidos com o uso de veneno, conhecimento que foi adquirido nas funções que exerceu.
Rosalind Hicks, a filha no colo da escritora
Em 1919 nasceu sua primeira e única filha, Rosalind Hicks. Clara Bohemer, mãe da escritora, faleceu sete anos depois do nascimento da neta em 1926,  mesmo ano em que Archie revelara estar apaixonado por outra mulher, Nancy Neele. O marido de Agatha deixou a esposa para passar um final de semana com a amante e amigos em Godalming, Surrey. Ao chegar em casa e não encontrar o marido, Agatha abandonou  a residência do casal. No dia seguinte, seu carro (um Morris Cowley) foi encontrado em um barranco, com os faróis acesos no lago Silent Pool. Dentro do veículo estavam um casaco de pele, a mala da escritora e a carteira de motorista, vencida.
Old Swan Hotel
Agatha Christie fora encontrada no Hydropathic Hotel (atual Old Swan Hotel),  registrada com o nome de Teresa Neele (mesmo sobrenome da amante de seu marido). Havia uma busca pela escritora, incluindo aviões, mergulhadores e escoteiros acontecendo na região, que incluía uma recompensa para quem a encontrasse. A autora foi reconhecida no hotel pelo músico Bob Sanders Tappin, que reivindicou a recompensa de 100 libras que era oferecida. Sanders disse que se dirigiu à autora como “Mrs. Christie” e que essa respondeu-lhe, mas disse que estava sofrendo de amnésia. Agatha foi encontrada pela polícia no dia 19 de dezembro de 1926.  O divórcio de Agatha e Archie aconteceu em 1928.

Embora em seus livros autobiográficos não haja quase nenhuma informação sobre o episódio de seu desaparecimento, acredita-se que, em “O Retrato”, publicado sob o codinome de Mary Westmacott, Agatha conte muito da sua história através da personagem Celia, que pensa em suicídio após ser abandonada pelo marido.
Agatha Christie e o segundo marido Max Mallowan
No ano em que o divórcio foi realizado, Agatha foi convida para ir ao Oriente Médio. Em 1929 voltou ao local e conheceu Max Mallowan, um arqueólogo, com quem se casou em 1930. Mallowan ensinou a Agatha sobre escavações e arqueologia, assunto que aparece em alguns de seus livros.
Mathew Prichard, o neto a quem pertence os direitos da obra
A filha de Agatha, Rosalind, casou-se no início da Segunda Guerra Mundial. Em 1943 teve um filho, Mathew Prichard, o único neto de Agatha e a quem hoje pertence os direitos de sua obra. Rosalind faleceu em 28 de Outubro de 2004, com 85 anos de idade.

Agatha Christie faleceu em 12 de janeiro de 1976, por conta de uma pneumonia. Encontra-se sepultada em St. Mary Churchyard, Cholsoy, Oxfordshire na Inglaterra.

A Câmara Clara - Roland Barthes

“A Câmara Clara”, do lingüista, semiólogo, crítico literário, filósofo e escritor Roland Barthes, é um livro que foi lançado originalmente em 1980 na França. O livro foi o último do autor, publicado pouco antes de seu falecimento.

A edição em questão é uma publicação da Editora Nova Fronteira em comemoração aos seus cinqüenta anos, no ano de 2015. A editora lançou clássicos que não podem faltar na prateleira/estante dos leitores.

Inicialmente, pelo tema, podemos pensar que o livro trata-se de um manual sobre fotografia. O tema central do livro é esse. No entanto, não é um tratado ou um guia para fotógrafos (amadores ou profissionais). Em tempos em que a fotografia é tão comum quanto a fala, devido as redes sociais, o livro de Barthes trata do tema, mas com uma óptica filosófica. A fotografia é o cerne, o olhar artístico está presente e guia o leitor sobre que esse objeto (a foto) representa. Ali estão três práticas: "fazer, suportar, olhar".

Em suas colocações o autor faz uma análise profunda da fotografia. O que é a foto documental, aquela com a imagem presa e que vemos em diversos meios (revistas, jornais, livros etc) e o que a foto significa. Detalhes que passam desapercebidos. Barthes faz uma análise sobre a imagem, o que ela diz ou a intenção que revela, o que ela tem de principal, qual a captação que foi feita, como ela toca quem a vê. Ele utiliza fotos de diversos artistas para lançar-se nesse entendimento sobre o tema. Três elementos estão ligados numa fotografia: o fotógrafo, o espectador (que somos todos nós) e o alvo (quem ou o que é fotografado).

“... Eu tinha de convir que meu prazer era um mediador imperfeito e que uma subjetividade reduzida a seu projeto hedonista não podia reconhecer o universal. Eu tinha de descer mais ainda em mim mesmo para encontrar a evidência da fotografia, essa coisa que é vista por quem quer que olhe uma foto e que a distingue, a seus olhos, de qualquer outra imagem...”

É o olhar, subjetivo de quem vê a foto, que a torna um instrumento poderoso, dado o sentimento e sensações que provoca. Sem isso, a fotografia possivelmente seria um mero registro, um documento que fixaria um determinado momento. Mas o observador vê mais, é capaz de enxergar e colocar essa foto/cena em diferentes aspectos e fazer uma interpretação do que foi captado pelo fotógrafo. Algo o tocará para que preste atenção na foto.

O livro tem certa complexidade pela maneira ímpar de Barthes observar o objeto de estudo, mas ao mesmo tempo, essa complexidade é didática, inteligível. Ele volta seu olhar de maneira ampla, profunda, sem ser disperso e toca a quem gosta de fotografia como arte. De fato é um livro que não pode faltar em nossa biblioteca pessoal. Vale pelo tema, pela profundidade, pela filosofia contida, pela obra como um todo. E, logicamente, por sua representatividade na literatura do gênero.

Ficha Técnica
Título: A Câmara Clara 
Autor: Roland Barthes
Editora: Nova Fronteira
ISBN: 978-85-209-2429-7
Edição: Especial
Ano: 2015
Número de Páginas: 106

Assunto: Fotografia artística

Gamação - Ferreira Gullar

O livro “Gamação”, do escritor Ferreira Gullar faz parte da Coleção Jovens Inteligentes e foi publicado pela Global Editora em 2000. Nas 68 páginas do livro tomaremos conhecimento de uma descoberta.

A descoberta a que nos referimos é a descoberta da paixão e da sensualidade na adolescência. O livro foi escrito pelo autor para atingir o público adolescente. Inspirou-se em um romance que viveu nos seus tempos de juventude.

“Esta história nasceu de um riso. Um riso de uma moça há muito tempo atrás quando era um menino de dez anos... não sabia que esse riso permaneceria vivo dentro de mim depois de tantos anos...”

Marcelo é apaixonado por Tia Nila, que vive distante. Guarda lembranças físicas e apenas de memória sobre Nila. Conhece Suzana, que parece fazê-lo perder a paixão por Nila, mas algo muda a história. Nila volta,se aproxima, e nesse jogo de sensualidade, Marcelo se descobre.

O livro foi escrito para jovens e fala desse período de encontros e desencontros do jovem consigo e com suas paixões. O despertar do toque, do beijo, dos sentimentos que fazem o coração acelerar e o corpo arrepiar. Um livro curto, de leitura rápida e agradável.


Ficha Técnica
Título: Gamação - Ferreira 
Autor: Ferreira Gullar
Editora: Global Editora
ISBN: 978-85-260-0531-6
Edição: 3ª
Ano: 2000
Número de Páginas: 68
Assunto: Literatura infanto-juvenil

[Resultado do Sorteio] - Os Primeiros Casos de Poirot

Dia de sorteio!
Foto divulgação do ganhador (Instagram)

Parabéns ao ganhador do livro "Os Primeiros Casos de Poirot", de Agatha Christie, uma publicação da L&PM Editores, parte integrante da coleção L&PM Pocket.

O ganhador foi @junior_stornelli . Comunicaremos também via Instagram.

O premiado tem até 24 horas para enviar nome e endereço completo. O livro será enviado pelo blog até a próxima semana.

Obrigado a todos que participaram e fiquem atentos, porque teremos mais sorteios!

Grande abraço!

Biblioteca Mário de Andrade

Foto: Divulgação
A Biblioteca Mário de Andrade é uma das mais importantes bibliotecas de pesquisa do país. Foi fundada em 1925 e inaugurada em 1926. É a maior biblioteca pública da cidade de São Paulo e a segunda maior do país. A primeira é a Biblioteca Nacional.

O acervo da biblioteca tem mais de quarenta e dois mil volumes disponíveis. Tanto na biblioteca circulante, na qual o grande público tem acesso, como na parte de pesquisa e arte, cujos livros devem ser consultados no local.

Moradores da cidade de São Paulo tem uma ótima oportunidade de acesso à leitura, além de uma excelente opção de lazer, podendo aproveitar os espaços da biblioteca e a programação cultural oferecida. Para turistas é um bom lugar para conhecer.

Mário de Andrade é o patrono da biblioteca, daí o fato de ter o seu nome. Mário foi um grande escritor brasileiro que consolidou sua carreira após a participação na Semana Moderna de Arte, em 1922.

Para conhecer a história da biblioteca e outros detalhes há muita informação no site da Prefeitura de São Paulo. (http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bma/)

Livros Lidos em Agosto de 2015

O mês de agosto acabou. Então, vamos divulgar a lista de livros lidos.

“Elogio da Loucura”, de Eramos de Rotterdam. O livro tem a própria loucura como narradora, contando para os leitores o que ela faz com os seres humanos. É uma obra satírica do filósofo que é tido como um dos homens mais influentes de seu tempo. Livro clássico que vale a pena.

Dois livros de poesia foram lidos durante o mês de agosto. O primeiro foi “Limão Rosa”, de Flora Figueiredo. O outro foi “Cecília Meireles Seleção”, de Maria Fernanda, filha da poetisa que selecionou as poesias apresentadas no volume. Poesia é um gênero que aprecio e muito me identifiquei com o modo expresso por Flora. E Cecília, nem preciso falar, não é mesmo?

Na linha de humor eu li uma publicação que adquiri pelo nome, o qual achei inusitado: “Bawakawa”, de Daniel Funes. Com prefácio de Mário Prata o livro chamou atenção pelo subtítulo também: o livro dos objetos inviáveis do futuro. Garante o bom humor e é divertido, apresentando invenções que podem facilitar ou fazer rir a vida das pessoas.


O outro livro lido no mês foi o primeiro volume dos dois publicados por Ilana Casoy sobre serial killers. “Serial Killers Louco ou Cruel” é um daqueles livros para entender a mente e avaliarmos casos de psicopatas. Tal volume apresenta casos internacionais.