Quotes - Satisfação Garantida

No  livro “Satisfação Garantida Dellivering Hapness – No caminho do Lucro e da Paixão”, que é um best-seller do The New York Times, publicado no Brasil pela Thomas Nelson Brasil em 2010, o autor Tony Hsieh faz menção a algumas citações de grandes nomes para inspirar o leitor.

O livro de 302 páginas conta a história do próprio autor que ficou bilionário com a criação de uma grande e conhecida empresa, a Zappos (uma empresa on-line de venda de sapatos), que posteriormente foi vendida para a Amazon.




Veja os quotes selecionados:

Primeiro eles ignoram, depois riem de você, depois lutam com você, e então você vence.” (Gandhi) 

Ousar é perder o equilíbrio momentaneamente. Não ousar é perder-se.” (Seren Kierkegaard)

Não se pode parar as ondas, mas pode-se aprender a surfar.” (Jon Kabat-Zinn)

Na busca do conhecimento, alguma coisa é acrescentada a cada dia. Na busca de esclarecimento, uma coisa é derrubada a cada dia.” (Lao-tsé)

Todo mundo tem seu próprio Monte Everest particular para o qual foi posto nesta terra para escalar.” (Hugh Macleod)

Se você tiver mais que três prioridades, então você não tem nenhuma.” (Jim Collins)

A vida não é sobre encontrar a si próprio. É sobre criar a si próprio.” (George Bernard Shaw)

Ou nos fazemos miseráveis ou nos fazemos fortes. O montante de trabalho é o mesmo.” (Carlos Castaneda)

Seja humilde: na mente do iniciante há mais possibilidade  do que na mente do expert.” (Shunryn Suzuki)

Uma grande empresa tem maior probabilidade de morrer de indigestão por oportunidades em demasia do que de fome por poucas oportunidades.” (Packard’s Law)

Satisfação Garantida Delivering Happiness No Caminho do Lucro e da Paixão - Tony Hsieh

“Satisfação Garantida – Delivering Happiness – No Caminho do Lucro e da Paixão”, é um livro best-seller do The New York Times, publicado no Brasil pela Thomas Nelson Brasil em 2010. O livro de 302 páginas conta a história do próprio autor, Tony Hsieh, que ficou bilionário com a criação de uma grande e conhecida empresa, a Zappos (uma empresa on-line de venda de sapatos), que posteriormente foi vendida para a Amazon.

É possível conhecer o perfil empreendedor de Tony, notado desde a infância. Em momento de tédio ele criou a LinkExchange que foi vendida por uma soma vultuosa e, depois criou a empresa de venda de sapatos. Além da criação da empresa, contada pelo autor, ele criou uma cultura empresarial própria. São dicas valiosas, tanto para empresários, quanto para administradores, empreendedores e funcionários.

Ao longo do tempo Tony foi montando a cultura organizacional baseada na felicidade (de clientes, funcionários, fornecedores e a sua própria).

As prerrogativas adotadas na Zappos podem ser utilizadas no todo ou em parte. Mas, o mais importante, é adaptar os valores de sua empresa com o seus valores, e reunir profissionais que tenham o mesmo encanto pelos valores adotados.

Sobre o objetivo do livro o autor expressa:

“Minha esperança é que por meio deste livro as empresas já estabelecidas buscarão mudar a forma como fazem as coisas, e os empresários se inspirarão para começar novas empresas com felicidade no núcleo de seus modelos de negócios, levando com eles algumas das lições que aprendi pessoalmente, assim como as lições que aprendemos coletivamente na Zappos.”

Independente do objetivo que você busca, ao aprofundarmos, percebemos que todos buscam felicidade. E é isso que Tony prega na sua cultura organizacional.

O livro é tido como um dos 10 livros imprescindíveis para os executivos, segundo a Revista Exame. E a leitura vale, pelo aprendizado, pelas dicas e pela bela história empreendedora de Tony.

Ficha Técnica
Título: Satisfação Garantida
Escritor: Tony Hsieh
Editora: Thomas Nelson Brasil
ISBN: 978-85-7860-148-5
Edição: 1ª
Número de Páginas: 302
Ano: 2010
Assunto: Sucesso nos Negócios

A Noite dos Mortos-Vivos e A Volta dos Mortos-Vivos - John Russo

“Pense em todas as pessoas que já viveram e morreram e que nunca mais verão as árvores, a grama ou o sol.
Tudo parece tão breve, tão... inútil, não é? Viver um pouquinho e depois morrer? Tudo parece resultar em nada.
Ainda assim, de certa forma, é fácil invejar os mortos.
Eles estão além da vida, além da morte.”

Parte integrante de um box da Editora Darkside com livros inspirados em filmes, “A Noite dos Mortos-Vivos e A Volta dos Mortos-Vivos”, foi publicado em 2014 com 320 páginas. No box o referido livro é acompanhado de outros dois clássicos: “Psicose” e “Os Goonies”.

O livro é baseado no filme de George Romero, que virou uma grande referência para os filmes de terror, sobretudo os que tratam de zumbis. É considerado uma das maiores obras-primas do gênero. The Walking Dead e Resident Evil, por exemplo, certamente carregam a essência de “A Noite dos Mortos-Vivos”.

Para quem gosta do gênero de terror é um livro de leitura obrigatória. O livro apresenta duas histórias: a primeira, chamada de “A Noite dos Mortos Vivos” é a inspirada no filme de mesmo nome. Na segunda parte, temos o romance “A Volta dos Mortos-Vivos” que é uma continuação do clássico, mas que permanece inédito nos cinemas até hoje.

Pelo simples fato de ser um filme clássico a leitura já valeria, no entanto, não é só por isso, é um livro com um enredo bem montado e que prende o leitor.  Viver a história de Ben, Bárbara e outros personagens que buscam fugir dos seres que comem carne humana é de arrepiar.

A história começa ambientada em um cemitério, o que já vai colocando o leitor na atmosfera da jornada que os personagens enfrentarão. E a medida que o livro avança, vamos nos sentido acuados, perseguidos, aprisionados como os personagens que buscam a todo custo safar-se desses seres terríveis.

Na continuação da história outro grupo se vê perseguido, após dez anos dos primeiros ataques, que pareciam ter cessado.

É um livro de terror que não poderia faltar na estante.

Ficha Técnica
Título: A Noite dos Mortos-Vivos e A Volta dos Mortos-Vivos
Escritor: John Russo
Editora: Darkside
ISBN: 978-85-66636-21-5
Edição: 1ª
Número de Páginas: 320
Ano: 2014
Assunto: Terror

Quem Mexeu no Meu Queijo? - Spencer Johnson

“Quem Mexeu no Meu Queijo?”, de Spencer Johnson, publicado pela Editora Record em 2010 (61ª edição, 108 páginas), fala sobre mudanças. No livro quatro personagens estão num labirinto a procura de um queijo.

O queijo é utilizado metaforicamente, representando tudo aquilo que buscamos na vida: ascensão profissional, aquisição de um bem, um novo emprego, formação de uma família, dinheiro ou quaisquer outras coisas que almejamos. O labirinto, por sua vez, representa o local no qual dispendemos nosso tempo em busca do queijo. Pode ser, portanto, a empresa em que trabalha, um escritório, sua casa, uma universidade ou outro local qualquer.

Cada personagem tem sua maneira de lidar com a busca do queijo, assim como na vida cada um de nós tem o seu modo de lidar com a incessante busca. Dois dos personagens são seres como os humanos e os outros dois são ratos.

O tema central do livro e toda a sua abordagem trata de mudança. Como encaramos a mudança em relação aquilo que nos aflige ou que não nos faz mais feliz? Nosso queijo é eterno? Como devemos tratar o nosso queijo no dia-a-dia? O que podemos fazer no labirinto em busca do queijo?

Para lidar com mudanças que ocorrem no campo profissional e pessoal a leitura de “Quem Mexeu no Meu Queijo?” é, sem dúvida, recomendada. É um texto curto, de leitura rápida, mas com grandes lições.

O livro é bastante utilizado em organizações para discutir o tema de mudança e, também utilizado por administradores (formados ou em formação), mas serve para todas as pessoas. É inspirador, motivador e instrutivo. O livro se divide em três partes: a primeira é uma reunião em que a mudança começa a ser abordada, a segunda é sobre queijo propriamente dito e a terceira um debate sobre a história.

“Quem Mexeu no Meu Queijo?” é sucesso de venda e de crítica. Leitura para ter e revisitar.

Ficha Técnica
Título: Quem Mexeu no Meu Queijo?
Escritor: Spencer Johnson
Editora: Record
ISBN: 978-85-01-05402-9
Edição: 61ª
Número de Páginas: 108
Ano: 2010
Assunto: Motivação

A Arte de Argumentar Gerenciando Razão e Emoção - Antônio Suárez Abreu

Após explanar sobre os aspectos racionais e emocionais envolvidos no ato da argumentação, Antônio Suárez Abreu define que “argumentar é, pois, em última análise, a arte de, gerenciando informação, convencer o outro de alguma coisa no plano das ideias e de, gerenciando relação, persuadi-lo, no plano das emoções, a fazer alguma coisa que nós desejamos que ele faça.”

Claramente, nos dias atuais, é cada vez mais necessário a aproximação entre os seres humanos, em diferentes ambientes e por diferentes aspectos. No trabalho, no seio familiar, durante o fechamento de um negócio, na construção de uma relação contratual, no ciclo de amigos ou desconhecidos, precisamos expor pensamentos, ideias e fazermo-nos compreendidos pelos interlocutores.

O argumento é, sem dúvida, o meio pelo qual podemos tornar clara a informação dada, permitindo, se bem montado, convencer o outro e persuadi-lo.

O autor Antônio Suárez Abreu demonstra a estruturação dos argumentos no livro “A Arte de Argumentar: Gerenciando Razão e Emoção”, publicado pela Ateliê Editorial em 2002 (5ª edição, 136 páginas).

A nossa capacidade de relacionamento pode ser aumentada. Precisamos ouvir as pessoas e demonstrar o nosso ponto de vista. No livro será lido sobre os tipos de argumento, a definição, as técnicas argumentativas que podem ser empregadas, as figuras de linguagem utilizadas para fortalecer e dar ênfase a determinado argumento.

Foi um livro bastante útil quando o li pela primeira vez. E, hoje, ao reler, continua com grande utilidade. Se o objetivo do autor era possibilitar o leitor a ampliar seus horizontes (profissionais e pessoais), e permitir que haja ainda a ampliação das relações interpessoais, o objetivo foi alcançado.

“(...) com tempo e prática (...) ficará surpreendido com a facilidade com que será capaz de argumentar, ‘desenhando e pintando com as palavras’.”

É uma leitura que deve ser recomendada a todos aqueles que tem o desejo conhecer mais e também a quem lida com o público todos os dias, como advogados, professores, administradores, vendedores, entre outros.

Ficha Técnica
Título: A Arte de Argumentar: Gerenciando Razão e Emoção
Escritor: Antônio Suárez Abreu
Editora: Ateliê Editorial
ISBN: 978-85-85851-81-3
Edição: 5ª
Número de Páginas: 136
Ano: 2002
Assunto: Argumentos

No Coração do Mar - Charlotte Rogan

Em 1914 Grace Winter, recém casada, viaja com o marido a Nova York. Misteriosamente uma explosão muda o rumo da história, pois o navio Empress Alexandra, no qual estavam a bordo, afunda.

Grace, por sorte ou por providência, vai parar num barco salva-vidas junto com outros náufragos e ali passam vários dias. Em alto mar, um jogo profundo de consciência e sobrevivência se revela, diante da dificuldade que eles tem de enfrentar para manter-se vivo. A morte de um ou de alguns pode ser a salvação da vida de outros.

“A ideia de termos nascido no barco salva-vidas parecia tão viável quanto termos cada um a própria história, os próprios ancestrais e uma ligação de sangue com o passado. Quanto ao futuro, parecia impenetrável, mesmo pelo pensamento. Onde estava a prova de que ele sequer existia? Ou de que poderia vir a existir? Tal qual os peixes, era preciso basear-se na fé.”

Nesse ambiente inóspito fatos vão sendo gerados, conflitos surgem e o questionamento sobre a fé, a limitação da vida e a esperança no futuro aparecem, de maneira natural.

Grace, ao ser resgatada, é levada a julgamento por uma das mortes. Seus advogados sugerem que ela escreva um relato sobre todos os detalhes que lembra do naufrágio. E assim ela faz.

O livro de Charlotte Rogan, “No Coração do Mar”, foi publicado pela Editora Intrínseca em 2013 (240 páginas). O texto foi traduzido para diversos idiomas e foi eleito o melhor livro de 2012 por vários meios, como por exemplo, The Guardian, The Independent e The Globe and Mail.

A história, lida com atenção, é profundamente filosófica. Em situações limite os seres humanos são postos a prova e se vêem confrontando seus valores, suas crenças, seus anseios e sua visão sobre a vida. Um livro instigante e comovente.

Ficha Técnica
Título: No Coração do Mar
Escritor: Charlotte Rogan
Editora: Intrínseca
ISBN: 978-85-8057-354-1
Edição: 1ª
Número de Páginas: 240
Ano: 2013
Assunto: Romance americano

Psicose - Robert Bloch

Certamente muitos dos leitores já ouviram falar sobre o filme  “Psicose”, de Alfred Hitchcok. Um clássico cinematográfico que apresenta uma cena antológica dos filmes de terror e suspense: aquela em  que uma mulher no chuveiro é surpreendida por uma mão com uma faca. A trilha sonora de Bernard Hermann, ao tocar, é reconhecida de imediato e cria o clima harmônico para o terror da cena.

A Darkside, em 2013, publicou em 240 páginas, a história escrita por Robert Bloch, que deu origem ao roteiro do filme. No livro, o personagem Norman Bates, proprietário do Bates Motel, volta ao imaginário, tal qual como no filme que consagrou Hitchcock como o “Mestre do Suspense”.

A história contada por Bloch se revela extremamente interessante. Talvez algo que nos encante, tenha sido exatamente o mesmo que motivou Hitchcok a adquirir os exemplares da obra que estavam disponíveis nas livrarias e guardar sigilo sobre o final da história até produzir o filme. Na história de Bates há crimes, segredos, revelações que vão sendo descortinadas e um perfil psicológico de sociopata que dá uma reviravolta no que o leitor pode pensar inicialmente.

No livro “Serial Killers Anatomia do Mal”, de Harold Schechter, também da Darkside, na lista de Cinema Psicopata, “Psicose” está presente.

O livro tem uma história de suspense com todos os elementos que prendem a atenção do leitor, mesmo daqueles que, por ventura, leiam sem gostar do estilo. Essa dosagem de elementos, como fator-surpresa, morte e segredos, torna a atratividade da narrativa ainda maior. E Bates é um personagem dotado da psicopatia típica de livros. 

O meu exemplar veio na famosa caixa da Darkside, a qual não canso de tecer elogios.

Recomendo a leitura e concordo com a orelha do livro: “Hitchcock que nos perdoe (e os cinéfilos mais entusiasmados também), mas o livro é ainda melhor que o filme.”

Ficha Técnica
Título: Psicose
Escritor: Robert Bloch
Editora: Darkside
ISBN: 978-85-6663-615-4
Edição: 1ª
Número de Páginas: 240
Ano: 2013
Assunto: Literatura americana

Serial Killers Anatomia do Mal - Harold Schechter

Serial Killers – Anatomia do Mal”, de Harold Schechter faz um convite a entrarmos na mente dos psicopatas. Harold é professor de literatura e cultura americana e é renomado por livros que tratam de crimes verídicos. Na edição do livro publicada pela Darkside em 2013 com 480 páginas, podemos dar um mergulho profundo em casos de arrepiar. E como diz Richard Ramirez, em trecho reproduzido por Harold no livro, “serial killers têm uma consciência morta. Não tem moral, nem escrúpulos, nem consciência”.

Como o subtítulo do livro é Anatomia do Mal Entre Na Mente dos Psicopatas, grifo trecho citado de Michael Welner, da Escola de Medicina da Universidade de Nova York que assim definiu mal: “uma tentativa de causar trauma emocional, aterrorizar ou atingir os desamparados, de modo a prolongar o sofrimento e obter satisfação de tudo isso”. É um resumo do comportamento dos assassinos em série.

No livro os capítulos tratam de temas distintos ligados ao universo das mentes psicopatas. Vão desde a origem da terminologia “serial killers”, bem como suas definições, passando por informações sobre características e traços de personalidade de assassinos vorazes, estudos de casos, motivação, ação, o top ten dos monstros americanos e a presença de serial killers na cultura pop (literatura, música, filmes etc).

O livro é sensacional. O tema da criminologia e de análises psicológicas me atrai, mas não é só isso. Trata-se de um livro repleto de informações, com embasamento nos casos reais e demonstrações de perfis que causam espanto. Há histórias de serial killers que nos provocam um sentimento de repulsa, de medo e até de raiva em relação a prática violenta e animalesca com que cometeram seus assassinatos. Até onde a mente humana é capaz de chegar?

Parte interna: entrevista de serial killer
Os serial killers tem uma percepção profundamente distorcida de sua superioridade. “Gostam de imaginar que são gênios do crime que podem passar a perna em todo mundo.” Por meio dos acontecimentos reais o autor mostra os traços psicológicos e de personalidade dos criminosos, bem como sua condição social, e as conseqüências criminais. Muitos foram executados após  julgamento que os levaram à pena de morte.

O autor estuda os psicopatas há mais de três décadas, por isso é um profundo conhecedor do assunto abordado e nos enriquece de informações completas e estudadas. Muitos fatos pouco conhecidos são relatados.

É inegável que os serial killers exercem um grande fascínio em toda a sociedade. Seja pela repulsa que gera com a violência que emprega, ou pela forma “anormal” com que encaram os seres humanos. O que fica ratificado quando vemos sucessos de literatura e cinema, por exemplo, que tratam do tema. No entanto, o livro vai além disso. Ele é informativo e histórico.

Parte interna. Perfil Criminal.
Também inegável é toda obscuridade e a vasta escuridão que esses seres carregam consigo. Ao ler muitas das histórias é como se tivéssemos adentrando um cenário de um filme de terror. Mas não histórias inventadas, são casos verídicos ocorridos em grande parte nos Estados Unidos, fonte central de estudos do escritor. “É importante reconhecer, no entanto, que o assassinato em série não está limitado a um país apenas. É um fenômeno universal; que tem ocorrido ao longo da história em todas as partes do globo.

Livro mais que recomendado! Vale a aquisição da obra!

Ficha Técnica
Título: Serial Killers Anatomia do Mal
Escritor: Harold Schechter
Editora: Darkside
ISBN: 978-85-66636-12-3
Edição: 1ª
Ano: 2013
Número de Páginas: 480
Assunto: Psicopatas

Quotes - Pensar Bem Nos Faz Bem (Volume 2)


Os quotes abaixo foram selecionados de citações de outros autores feitas por Mário Sérgio Cortella em seu livro "Pensar Bem Nos Faz Bem - Volume 2". O livro publicado pela Editora Vozes reúne comentários do professor e filósofo feitos em programa da Rádio CBN. Trata-se de curtas reflexões sobre grandes temas.

Cada povo tem o governo que merece.” (Joseph de Maistre) 
Quem não sente ânsia de ser mais, não chegará a ser nada.” (Miguel de Unamuno) 
Olho por olho e o mundo fica cego.” (Mahatma Gandhi) 
O chefe é um homem que precisa dos outros.” (Paul Valéry) 
O choro diminui a profundidade da dor.” (William Shakespeare) 
Tudo que não puder contar como fez, não faça.” (Immanuel Kant) 
Nada está feito enquanto resta alguma coisa para fazer.” (Romain Rolland) 
Quem muito nos festeja, alguma coisa de nós deseja.” (Marquês de Maricá) 
Entre os que destroem a lei e os que a observam, não há neutralidade possível.” (Rui Barbosa) 
Notícias nunca derrubam o mundo, o que o derruba são os fatos, que nós não podemos modificar, pois já aconteceram quando as notícias nos chegam.” (Friedrich Durrenmatt)

Livros Lidos em Maio de 2015

O mês de Maio passou!

Vamos à lista de livros lidos no mês:

O primeiro livro lido foi “Coisas Frágeis” de Neil Gaiman. Trata-se da reunião de contos fantásticos feitos pelo autor, que demonstram bem a versatilidade do escritor.

Depois parti para a história de alguns meninos no lixão de Behala. O livro “Trash”, de Andy Mulligan fala sobre esses meninos que saem em busca de desvendar um mistério depois de encontrarem uma bolsa no aterro sanitário em que vivem. O livro inspirou o filme de mesmo nome, que teve no elenco Selton Melon e Wagner Moura.

Os vampiros estiveram rondando as leituras de Maio. “A Menina Mais Fria de Coldtown”, de Holly Black foi a terceira leitura do mês. Um livro cheio de escuridão e uma história sinistra, mas bem elaborada. Me encantou a maneira detalhista de Holly escrever.

Um livro que me custou muito pouco numa promoção do site Submarino foi “Ratos”, de Gordon Reece. Como o preço estava baixo arrisquei, sem nenhuma expectativa. Me deparei com uma história fascinante sobre uma mãe e uma filha que vivem como ratos, fugindo do mundo e que num ato desesperado passam a ser cúmplices de um crime.

Do professor e filósofo Mario Sergio Cortella li “Pensar Bem Nos Faz Bem – Volume 1 e Volume 2”. Ambos apresentam textos curtos, reflexões do autor sobre diversos temas, com uma abordagem filosófica. Os textos reunidos foram compilados a partir de comentários de Cortella num programa de rádio da CBN.

“Os Goonies”, de James Kahn, inspirado no filme de Steven Spielberg, foi a outra leitura do mês. Um livro bem bacana, que conta a história de amizade entre alguns garotos que embarcam numa aventura contra dois vilões, para descortinar um segredo. Valeu pela leitura e pela lembrança do filme!


“Serial Killers Anatomia do Mal” de Harold Schechter é um livro que fala sobre os assassinos em série. É um dossiê completo sobre os psicopatas, apresentando desde a definição do termo até perfis psicológicos e a presença na ficção ou não de homens e mulheres que matam sem remorso. Iniciei a leitura em Abril e conclui em Maio. Vale muito a pena ler, sobretudo para quem gosta de criminologia ou psicologia.

De Márcio Cotrim li “Iscas de Ambrosia”, um livro que apresenta frases de diversos nomes. Frase bem humoradas elaboradas a partir da observação de fatos cotidianos e de sentimentos humanos.


O último livro lido no mês foi “O Demonologista”, de Andrew Pyper da Editora Darkside. O autor trata de um escritor que é conhecedor da obra de John Milton e que é perseguido por um demônio. David Ullman tem de enfrentar suas descobertas e mistérios que envolvem sua história.