August Pullman (Auggie) - Personagem de R.J. Palácio


August Pullman é o personagem central do livro “Extraordinário”, escrito por R. J. Palacio. O menino tem dez anos de idade e vive com seus pais e sua irmã, Via. Ele nasceu com uma síndrome genética que causou-lhe uma deformidade facial. 

O nome do livro é porque os pais do garoto acreditam que ele é extraordinário. No capítulo “Comum” do livro Auggie diz:

“(...) Mamãe e papai também não me acham comum. Eles me acham extraordinário. Talvez a única pessoa no mundo que percebe o quanto sou comum seja eu.”

August, apelidado de Auggie, tem uma deficiência e não descreve a sua aparência no livro. O menino passa por uma etapa que rompe paradigmas. Ele passará a estudar numa escola convencional e terá de conviver com outras crianças. Até então ele sempre recebera sua formação na própria casa da família em aulas dadas por sua mãe. Ele explica aos leitores que isso se deve ao fato de já ter operado 27 vezes, desde que nasceu. 27 operações em 10 anos.

August, com sua diferença, é um personagem que mostra algo de extraordinário. Ele vive e convive com seus amigos da escola e faz tudo ser o mais normal possível. Embora, nem sempre, as pessoas o vejam assim. Sua aparência, que poderia chocar as pessoas, é quase camuflada pelas atitudes que o menino tem. Suas ações, seu modo de tratar os colegas, os professores, a família se sobrepõe a sua deficiência. Ele de fato se torna extraordinário, dentro da sua maneira de viver levando a vida de um jeito leve, com descobertas e com um olhar inocente sobre o mundo.

Um trecho do parágrafo que August escreveu sobre um dos preceitos do Sr. Browne, seu professor que a cada final de mês colocava uma diretriz para os alunos escreverem sobre ela, diz:

“(...) deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós.”

O referido trecho demonstra bem a personalidade de Auggie, sua essência. Ele parece enxergar a pessoa por dentro, por seus atos, por seus gestos. Em tempos em que se julga as pessoas pela aparência, o menino deixa uma lição singular sobre respeito, busca pela igualdade e gentileza.
Capas do livro publicadas no Brasil pela Editora Intrínseca

Um comentário:

Deixe aqui seu comentário.