10 Escritores brasileiros e seus primeiros livros


Érico Veríssimo – Clarissa
Foi em 1933 que o escritor lançou o seu primeiro romance, Clarissa. Havia, no entanto, feito publicações anteriores de contos “Chico: um conto de natal”, “Ladrão de gato” e “A tragédia de um homem gordo”. Clarrisa conta a história da personagem de mesmo nome, que sai de uma cidade do interior e vai para a capital Porto Alegre. O livro mostra o despertar da jovem para o mundo e seu cotidiano na década de 30.



Graciliano Ramos – Caetés
Lançado em 1933 o livro vinha sendo escrito por Graciliano desde 1925. João Valério, o personagem principal do livro, introvertido e fantasioso, apaixona-se por Luisa, mulher de Adrião, dono da empresa que ele trabalha. Uma carta anônima denuncia o caso e o marido traído comete suicídio.  


João Ubaldo Ribeiro – Setembro não Tem Sentido
A primeira publicação de João Ubaldo foi escrita quando ele tinha 21 anos de idade e lançada originalmente em 1968. Ele desejava batizar o livro de “A Semana da Pátria”, no entanto o editor foi contrário ao nome. Duas histórias são narradas no volume e se passam durante as comemorações de 07 de Setembro: a do boêmio que tumultua os eventos públicos com sua bebedeira e do jornalista aposentado que relembra o passado com amargura enquanto perde sua sanidade.


Jô Soares – O Astronauta Sem Regime
Um caçador de elefantes que chega a uma triste conclusão em relação ao caráter destes imensos animais; o duelo “intelectual” entre um admirador de Beethoven e um admirador de Gardel; o home que pagava várias vezes a mesma conta e sempre queria pagar mais; fábulas, testes, frases, o JÔ-jornal, o Pequeno Dicionário Imbecil, estão no livro. Foi a primeira aparição de Jô como escritor, em 1985.

Jorge Amado - O País do Carnaval
Primeiro livro do escritor baiano Jorge Amado, foi  publicado em 1931. Jorge tinha na época 19 anos de idade. O livro conta a história de um intelectual brasileiro educado em Paris. O personagem não se identifica com o Brasil e, para ele, o carnaval é uma alienação do povo. Questões como política, filosofia e religião são debatidas no livro. Uma curiosidade: em 1937 o livro foi queimado em praça pública por ser considerado subversivo pela polícia do Estado Novo.




Luiz Ruffato – História de Remorsos e Rancores
São textos curtos que falam do dia-a-dia desgraçado do povo, sem afetação ou moralismo. O livro de contos do escritor foi lançado em 1998.


Machado de Assis – Queda que as Mulheres têm para os Tolos
A estreia do escritor ocorreu com a tradução do livro que foi publicado em 1861. Originalmente o livro foi escrito por Victor Hénaux (escritor belga). O ensaio fomentou o debate antigo a respeito da originalidade e da imitação na literatura, tendo sido ora considerado texto original do grande escritor brasileiro, ora adaptação, ora tradução. Seu primeiro livro de poesias, foi “Crisálidas”, publicado em 1864.


Mário Quintana – A Rua dos Cataventos
Lançado em 1940, é um livro de poesias que deu início à carreira literária de Mário Quintana. O conjunto de 35 sonetos reunidos  no livro expressa várias das preferências temáticas do autor e muitos dos motivos que serão recorrentes ao longo de toda a sua produção. A leitura de “A Rua dos Cataventos” é uma iniciação importante à obra do poeta, permitindo que se compreenda como ele desenvolveu os elementos poéticos, que são determinantes em seu fazer desde o livro inaugural

Paulo Coelho – Arquivos do Inferno
Em 1982, o próprio autor editou seu primeiro livro, que não teve qualquer repercussão. É um livro de relatos com suas reflexões soltas sobre a época. Numa pesquisa rápida pela internet é possível encontrar quem venda o exempla por R$ 1200,00.

Rubem Fonseca – Os Prisioneiros

O livro de contos marca a estreia de Rubem Fonseca em 1963. Os protagonistas dos doze contos guardam uma força para resistir ao mundo que uniformiza e corrompe o que existe de mais verdadeiro em cada ser humano.


Nota: Os escritores foram escolhidos de maneira aleatória.

Mentes Criminosas - Sérgio Pereira Couto



Sinopse
Mentes criminosas é um triller de suspense e ficção criminal ao melhor estilo de James Patterson. O assassinato de Craig Methers, 35 anos, um músico negro em turnê pela cidade de Little Rock, EUA, acompanhado da banda de blues Phoenix Missouri é só o primeiro de uma série de crimes sucessivos que desafiam os CSAs, o jovem Tony Draschko e a sensual e inquisitiva Jennifer Perez.
Em um pequeno camarim de um clube de jazz o corpo de Methers é encontrado de costas, com sangue escorrendo pela parte de trás do pescoço. Ao longe, observando o trabalho meticuloso dos investigadores está o assassino que vê tudo de um lugar próximo a entrada do clube. Dias depois outro corpo é encontrado dentro de um frigorífico. Definitivamente, a sorte está lançada. Quais as possíveis relações entre esses crimes?
Tony e sua parceira embarcam nessa perigosa investigação onde usam os conhecimentos pessoais e científicos para capturar o assassino antes que seja tarde demais...
Resolva você também esse enigma.
________________________________________ 

Na cidade de Little Rock, o novato Tony Draschko quer se tornar um CSA – analista de cena de crime. Aluno da Academia de Polícia ele tem de cumprir as regras antes de terminar os estudos: passar pelo menos um ano em estágio nas diferentes repartições da entidade e obter uma avaliação psicológica que o habilite a trabalhar em dupla.

Tony consegue ser aprovado e inicia seu primeiro caso em companhia da detetive Jennifer Perez. Trata-se do assassinato de um músico negro, cujo corpo fora encontrado no camarim de uma casa de espetáculos onde sua banda se apresentava.

“O ambiente em que Tony e Jen haviam mergulhado estava longe do ideal para um clube de jazz e blues. O Mississipi parece mais uma casa de espetáculos de terceira categoria, com paredes gastas, piso fosco e fiações que chegavam a parecer as artérias de uma parede moribunda. Provavelmente, muitas coisas já haviam se passado por  lá, mas nenhuma jamais havia acabado em assassinato.”

Depois do primeiro crime, outros começam a acontecer, todos tendo como vítimas músicos da mesma banda.O assassino parece rondar os detetives, na medida em que são espreitados durante as investigações dos casos. 

Um fato, contudo muda os rumos da história e Jennifer, chamada de Jen, tem de se afastar do caso. Seu substituto na dupla com Tony é o detetive Herb Greenie, um dos melhores agentes do laboratório e ex-marido de Jen. A partir daí a história sofre uma reviravolta. O assassino em série pode estar mais perto do que os investigadores poderiam imaginar.

Muitas referências são feitas em relação a série CSI – Crime Scene Investigation que tornou-se grande sucesso de público, inclusive no Brasil. O  personagem central, Tony, é apaixonado pela pelo seriado e faz muitas menções sobre episódios, utilizando-o como exemplos para ilustrar fatos ocorridos durante as investigações dos crimes.

“_Você assiste CSI? – perguntou Tony. Jen achou a pergunta estranha.
_ Claro! Grissom é meu predileto!
_ Você se lembra de um episódio em que ele coletou alguns espécimes de um corpo em estado avançado de decomposição para que pudesse torná-los adultos e usar uma regressão lienar para estimar a idade dos insetos encontrados?”

Sérgio Pereira Couto, no livro publicado pela Editora Universo dos Livros em 2010, conta em suas 256 páginas uma história instigante, recheada de detalhes técnicos sobre os meandros da investigação e sobre os mecanismos utilizados para desvendar as pistas que aparecem. É mister que durante a leitura fiquemos intrigados e queiramos saber o desfecho dos casos.

Ilana Casoy, autora dos livros Serial Killer – louco ou cruel? e Serial Killer made in Brasil escreve na contra-capa: “Se você é fã do seriado CSI, vai ler este romance... num fôlego só...” E foi assim que fiz, de fato. Por gostar da série e do estilo (suspense), não consegui parar de ler até concluir o texto. Recomendo.

Ficha Técnica
Título: Mentes Criminosas
Escritor: Sérgio Pereira Couto
Editora: Universo dos Livros
ISBN: 978-85-7930-162-9
Edição:
Número de Páginas: 256
Ano: 2010
Assunto: Ficção / Suspense / Mistério


Prêmio Portugal Telecom de Literatura – Lista de Finalistas

O Prêmio Portugal de Literatura em Língua Portuguesa 2014 divulgou em 25/09/2014 a lista dos 12 finalistas. São três as categorias do prêmio: conto ou crônica, poesia e romance.





Veja os finalistas por categoria.

Romance
A cidade, o Inquisidor e os Ordinários - Carlos de Brito e Mello
Matteo perdeu o emprego - Gonçalo M. Tavares
O drible - Sérgio Rodrigues
Opsanie Swiata - Verônica Stigger

Conto ou crônica
Asa de sereia - Luís Henrique Pellanda
Entre moscas - Everardo Norões
Nu, de botas - Antonio Prata
Viva o México - Alexandra Lucas Coelho

Poesia
Brasa enganosa - Guilherme Gontijo Flores
Observação de verão seguido de fogo - Gastão Cruz
Ximerix - Zuca Sardan
Vozes - Ana Luísa Amaral

Para conhecer mais sobre o prêmio acesse o site http://www.premioportugaltelecom.com.br/

Segredo de Estado – O desaparecimento de Rubens Paiva – Jason Tércio


Sinopse

Rio de Janeiro, verão de 1971. A casa do ex-deputado e pai de cinco filhos Rubens Paiva é invadida por agentes do serviço secreto do governo militar. Ele é levado para prestar depoimento e não volta mais. Amigos e familiares se lançam numa mobilização febril para tentar localizá-lo e desvendar o que está por trás do súbito acontecimento. Por que ele foi preso? Para onde foi levado? Quando voltará? "Vai ser apenas um depoimento de rotina", disseram os policiais que o levaram de sua casa naquela ensolarada manhã carioca. Assim começou a jornada kafkiana de Rubens Paiva pelo submundo da repressão política, no auge da ditadura militar. Uma história comovente e espantosa, pela primeira vez reconstituída em todos os detalhes.
Com uma estrutura narrativa não linear, Jason Tércio associa técnicas de romance, biografia e reportagem à crônica histórica, para conduzir o leitor pelo labirinto de incertezas e intrigas que envolveram esse caso, ao mesmo tempo em que revela os principais momentos da vida de Rubens Paiva como político, empresário e pai de família. Uma trajetória marcada pelo espírito inconformista e por um determinado anseio de liberdade e justiça.
Escrito em linguagem literária, mas apoiado numa minuciosa pesquisa, Segredo de Estado ressalta os aspectos humanos do caso, entrelaçados ao contexto político e social, tendo como pano de fundo os bastidores do golpe militar e episódios inéditos da conjuntura subsequente. Um livro que esclarece vários pontos sobre este que é o mais controvertido dos desaparecimentos políticos ocorridos durante o regime militar.
_____________________________________________________

Rubens Paiva é um nome que ecoa na história brasileira. O nome faz eco na mente de quem viveu o período ditatorial brasileiro e na de quem tomou contato com a história por meio de livros, reportagens, filmes, seriados e documentários.

Em 1971, o então ex-deputado teve sua casa, no Rio de Janeiro, invadida por agentes. Rubens seria levado para dar um depoimento, prática “comum” no regime de ditadura. Há muitas incertezas e lacunas no que teria acontecido após a saída forçosa de Paiva de sua residência. Uma certeza, no entanto, todos sabem: Rubens Paiva desapareceu.
“Sem capuz, Rubens olha em volta. Um cubículo quadrado. Paredes pretas. Uma porta de ferro com janelinha gradeada. Do sanitário turco emana um cheiro ardido de urina e fezes. Nem tapando o nariz ele consegue evitar a náusea. Senta-se no colchão de palha estirado num canto, sem lençol nem travesseiro. Pernas esticadas, costas na parede, intrigado. O que querem? O que sabem dele? Será porque ajudou perseguidos políticos? Menos por piedade ou ideologia que por solidariedade humana, generosidade, exigência de seu temperamento, e por ser contra o governo.”
A família do ex-deputado e empresário, os amigos, os conhecidos e outros cidadãos não mais o viram.

No livro ‘Segredo de Estado’, publicado em 2011 pela Editora Objetiva, Jason Tércio “associa técnicas de romance, biografia e reportagem à crônica histórica”, como diz a orelha do livro. Ainda, não podemos deixar de citar, que o livro não segue a cronologia, mas revela por meio de ampla pesquisa detalhes da vida familiar, profissional e política de Rubens Paiva.

Conhecer a história do país e seus meandros é sempre salutar, sobretudo para quem gosta de analisar os fatos passados para compreender o momento presente, e para que possamos criticar e contornar uma mancha histórica. Inegável que muito há de ser respondido sobre acontecimentos durante o regime militar.
“... As embaixadas do México, do Uruguai e da Bolívia no Rio de Janeiro estavam lotadas de asilados; empresas públicas faziam demissões sumárias de funcionários suspeitos de simpatia pelo governo deposto; diretorias de sindicatos eram substituídas por interventores; entidades estudantis eram extintas, e já começavam as denúncias de torturas psicológicas e físicas nos interrogatórios..”
Época de certo mistério, desconhecimento e acobertamentos políticos, a ditadura ainda carrega muitas questões que carecem de respostas: o sumiço de Rubens Paiva é uma das indagações que até hoje atormentam, principalmente seus entes familiares. O destino do corpo do engenheiro, empresário e ex-deputado, tem uma série de informações divergentes e até de buscas que foram suspensas.
“Rubens é deixado sozinho as cela trancada, gemendo baixo, sentindo frio, garganta seca, um cheiro fétido de almas putrefatas e consciências carcomidas, convulsão, cabeça latejante, turbilhão de imagens desordenadas dançando na treva, grotescos canibais famintos à espreita, tão cedo para morrer e tão tarde para viver, tudo rodopia dentro e fora dele, coração oco, a voz sem eco na caverna incandescente, corpo sem cor, desintegrado – tão cedo, e já tão tarde.”
O cenário político e social que se vivia é exposto no livro, bem como o que ocorria nos prédios, corredores e sala, com quem era levado ao “interrogatório”, nos dando uma visão do que foi aquele regime. Expõe ainda o que sofreram as famílias com as escusas conseqüências do regime, por meio de uma narrativa de romance. Segredo de Estado é um livro para pesquisa, para agregar conhecimento e para despertar a análise crítica sobre os fatos daquela época.

Sobre o autor

Jason Tércio
Jason Tércio é autor de vários livros, entre eles “A pátria que o pariu” e “Órfão da Tempestade”. Como jornalista, trabalhou na BBC de Londres, Jornal do Brasil, O Globo e Movimento. Organizou uma coleção de livros de crônicas de José Carlos de Oliveira, e já publicou contos em antologias, jornais e sites literários. Tércio é também tradutor.

Ficha Técnica
Título: Segredo de Estado – O desaparecimento de Rubens Paiva
Escritor: Jason Tércio
Editora: Objetiva
ISBN: 978-85-390-0158-3
Número de Páginas: 334
Ano: 2011
Edição:
Assunto: Política e governo / Crime político

A Morte de Ivan Ilitch – Liev Tolstói (em quadrinhos por Caeto)

livro é uma das obras clássicas do escritor russo, Liev Tolstói, o mesmo autor de Anna Karenina e Guerra e Paz. Originalmente “A Morte de Ivan Ilitch" foi publicado em 1886, após o escritor ter parado por um tempo de escrever e se dedicado à sua vida espiritual. 

Nesta edição da Editora Peirópolis, o clássico é contado em quadrinhos, com ilustrações de Caeto que é artista plástico, ilustrador e quadrinista.

O jurista Ivan Ilitch se vê doente e, nos últimos dias de sua vida, passa a se questionar sobre toda sua existência. É uma história cercada da filosofia sobre a existência humana e o legado que se deixa. Com a morte rondando, a angústia e o medo atormentam Ivan.

Embora a obra seja do século XIX é um tema bastante atual. Quando a morte, inevitável para os seres humanos, se aproxima, as questões sociais, a posição familiar, as aparências, tudo desaba.

Os traços marcantes de Caeto dão o tom de medo e sombra da morte rodando Ivan na medida certa.

É uma boa pedida para quem gosta de quadrinhos e para quem gosta de clássicos. A série “Clássicos em HQ” da Editora Peirópolis apresenta ao público outros títulos, que podem ser consultados no site da editora.


Ficha Técnica
Título: A morte de Ivan Ilitch
Escritor: Liev Tolstói
Quadrinista: Caeto
Editora: Peirópolis
ISBN: 978-85-7596-313-5
Número de páginas: 80
Ano: 2014
Assunto: História em quadrinho / Literatura russa

Lista de Finalistas - Prêmio Jabuti

Saiu hoje a lista dos livros finalistas do 56º Prêmio Jabuti. A cerimônia de entrega  aos vencedores acontecerá no dia 18 de novembro em São Paulo, no Auditório Ibirapuera.

Para  cada uma das 27 categorias do prêmio, são indicados 10 finalistas. Confirma a lista completa aqui . 

Conheça os finalistas de duas categorias.

Romance
  • Reprodução – Bernardo Carvalho
  • A maçã envenenada – Michel Laub
  • Opisanie Świata – Veronica Stigger
  • O evangelo segundo Hitler – Marcos Peres
  • O frio aqui fora – Flávio Cafiero
  • O drible – Sérgio Rodrigues
  • Nossos ossos – Marcelino Freire
  • Fim – Fernanda Torres
  • Deserto – Luis S. Drausz
  • Esquilos de Pavlov – Laura Erber

Contos e Crônicas
  • Amálgama – Rubem Fonseca
  • Você verá – Luiz Vilela
  • Nu, de botas – Antonio Prata
  • Um solitário à espreita – Milton Hatoum
  • Noveleletas – João Vereza
  • Entre moscas – Everardo Norões
  • Um operário em férias – Cristóvão Tezza
  • Uns contos – Ettore Bottini
  • Consternação – Jádson Barros Neves
  • Bem aqui, em lugar nenhum – Moema Franca


Gerenciamento de biblioteca pessoal

                      

Os livros podem ser divididos em dois grupos: aqueles do momento e aqueles de sempre.(John Ruskin)

Quem gosta de livros e compra livros talvez faça o mesmo que eu. Costumo listar os livros que possuo, registrando título, autor, edição, número de páginas e assunto. Procurei algum programa que me permitisse registrar os livros, além da velha e boa planilha de Excel, que era o que eu utilizava até então.

Numa das buscas encontrei o software BookTome, que é um bom sistema de gerenciamento de acervos. Permite que façamos a inclusão de dados sobre nossos livros. Podemos ainda classificar e pesquisar as informações dos títulos de maneiras diferenciadas. Resolvi fazer esse post aqui no blog, porque pode ter alguém que esteja procurando algo parecido. Eu uso há mais de três anos e, dos que testei, foi o que mais  me agradou.

Nos detalhes é possível colocar o título, autor, editora, ISBN, número de páginas, ano da publicação e muitas outras informações. É possível ainda que acrescentemos uma descrição sobre o livro e uma foto da capa. Embora as abas e a interface estejam em inglês é de fácil compreensão. 

Podemos visualizar todos os livros catalogados, selecionar por autores ou por categorias e ainda montar uma lista de desejos para aquisições futuras.


Tela para adicionar informações do livro
Não importa se o livro é do momento ou de sempre, se os temos, podemos guardá-los com todo o cuidado e ter uma maneira mais fácil de gerenciá-los na estante, prateleira ou armário. Para nós, que somos ávidos leitores, o BookTome é uma maneira simples e gratuita de gerenciar o acervo de livros. Se por ventura, você conhecer algum outro software e quiser sugerir, deixe seu comentário.

Visualizando os livros
Importante: a publicação do artigo não tem quaisquer vínculos comerciais com o software citado. Trata-se única e exclusivamente, de uma dica de usuário.

A Promessa do Tigre - Colleen Houck

Sinopse

Medo. Esperança. Dúvidas. Antes da maldição, uma promessa. Mais de 300 anos antes de Kelsey Hayes surgir na vida de Ren e Kishan, uma jovem cruzou o caminho dos príncipes. Seu amor por um deles mudou o curso da história e o destino da família Rajaram.
Criada longe dos olhos da corte, isolada do convívio no castelo, Yesubai luta para suportar os maus-tratos do pai e manter em segredo suas habilidades mágicas. Lokesh é um poderoso e cruel feiticeiro que foi capaz de assassinar a própria esposa porque ela lhe deu uma filha em vez de um filho. 
Ao completar 16 anos, Yesubai é surpreendida por um anúncio do rei. Procurando fortalecer suas relações diplomáticas, o nobre acredita que um casamento entre a filha de Lokesh, comandante de seu exército, e um pretendente de algum dos reinos vizinhos será uma boa estratégia para diminuir os conflitos na região.
A jovem recebe a notícia com alegria. Pela primeira vez ela enxerga um fio de esperança, a perspectiva de escapar do controle do pai e de levar uma vida fora do confinamento de seus aposentos. Mas esses não são os planos do feiticeiro. Ele vê no iminente casamento de Yesubai uma oportunidade de conseguir ainda mais poder e não poupará esforços para atingir seus objetivos sombrios. A Promessa do Tigre conta a origem da história dos príncipes Ren e Kishan e os acontecimentos que levaram às aventuras da aclamada série A maldição do Tigre. 

_______________________________________________________

Depois de quatro títulos que narram a história de Kelsey Hayes e dois príncipes, um que se transforma em tigre branco e outro em tigre preto, Colleen Houck publicou o quinto título: A Promessa do Tigre, lançado pela Editora Arqueiro no Brasil, em 2014.

Nas 128 páginas a escritora faz um giro, retornando a um ponto que precede a história contada em “A maldição do tigre”, “O resgate do tigre”, “A viagem do tigre” e “O destino do tigre. Livros estes que foram grande sucesso editorial.

Antes de a vida de Kelsey Hays cruzar com a dos dois príncipes, uma jovem chamada Yesubai havia cruzado o caminho de Ren e Kishan (os príncipes que se transformam em tigres). Exceto o prólogo, os demais capítulos são narrados pela jovem Yesubai.

O pai da moça, um homem dominador, ambicioso, austero e de caráter duvidoso, a promete em casamento. A jovem, sob as rédeas dele, é manipulada para conseguir alcançar o objetivo que ele tem.
“Meu pai era como um animal predador. Se uma pessoa tivesse a ousadia de enfrentá-lo, ele admirava o gesto; já se ele a considerasse fraca demais, simplesmente a destruía. O melhor modo de evitar ficar preso em suas garras era não deixar rastros, mover-se pelo espaço como um espírito.”
O desejo de Lokesh é conseguir dois amuletos e cada um está com um dos príncipes. Diante das dúvidas, da culpa que carrega e o medo de seu progenitor, Yesubai é inserida na família Rajaram. Por meio da filha, Lokesh quer se tornar mais poderoso. Yesubai é encuralada e ameaçada pelo pai, para seguir com o intento de conseguir os amuletos desejados, mesmo que para isto tenha que se contrapor a seu amor. Como contornar a situação?
“Parei de caminhar, minha cabeça estava a mil com a futilidade do que eu estava tentando fazer. Como poderia salvá-lo, salvar sua família, quando meu pai tinha planejado tanta crueldade contra eles? Ergui os olhos e notei o cordão em volta de seu pescoço. Como ele irá morrer?, me perguntei. Será que eu iria acordar um dia e ser informada sobre marcas pretas em seu peito? Ou ele simplesmente desapareceria? Ou talvez sua morte fosse pelas minhas próprias mãos. Talvez fosse eu quem passaria a lâmina pela sua garganta. Talvez eu mesma levasse uma taça cheia de veneno aos seus lábios.”
Tendo lido os quatro livros que antecederam “A promessa do tigre”, e comparando-os, noto que este último se tornou o menos atrativo deles. Esta percepção deve residir no fato de que, depois de lermos uma história bem contada, explicar a sua origem pode não ser tão interessante quanto a história em si. Se fosse o primeiro título da série, não tenho dúvidas, de que a avaliação seria inteiramente diferente.

Friso que o livro não é ruim, não é esta a colocação que faço. Ocorre que tornou-se menos interessante, ofuscado pela consistente e fantástica história que o precedeu nos outros quatro volumes. Contudo, não deixa de ser uma boa história.

Sobre a autora
Colleen Houck
Colleen Houck é uma leitora voraz que adora livros de ação, aventura, ficção científica e romance. Estudou na Universidade do Arizona e trabalhou como intérprete de língua de sinais durante dezessete anos. Ela mora em Salem, no Oregon, com o marido e um tigre branco de pelúcia.

Ficha Técnica
Título: A promessa do Tigre
Escritora: Coulleen Houck
Editora: Arqueiro
ISBN: 978-85-8041-301-4
Edição:
Número de páginas: 128
Ano: 2014
Assunto: Ficção americana

Eu sou o mensageiro - Markus Zusak




Sinopse

Seu emprego: taxista. Sua filiação: um pai morto pela birita e uma mãe amarga, ranzinza. Sua companhia constante: um cachorro fedorento e um punhado de amigos fracassados. Sua missão: algo de muito importante, com o potencial de mudar algumas vidas. Por quê? Determinado por quem? Isso nem ele sabe.
Markus Zusak, autor do best seller "A Menina que Roubava Livros", nos fornece essas respostas bem aos poucos neste incomum romance de suspense, escrito antes do seu maior sucesso. O que se sabe é que Ed, um dia, teve a coragem de impedir uma assalto a banco. E que, um pouco depois disso, começou a receber cartas anônimas. O conteúdo: invariavelmente, uma carta de baralho, um ou mais endereços e...só. 

Com 19 anos de idade, Ed Kennedy é um taxista que vive com seu companheiro Porteiro, um cão de pelos pretos e bastante fedorento, que adora café.
“Tenho cabelo escuro, sou moreno claro, olhos castanho-escuros. Sou um cara bem normal, nada sarado. Eu devia endireitar a postura e parar de me curvar, mas não consigo. Quando estou de pé, coloco as mãos nos bolsos. Minhas botas já estão se desmantelando, mas mesmo assim não as tiro dos pés, porque gosto delas pra caramba.”
Ed (o narrador do livro) e seu amigo Marv foram surpreendidos num assalto a banco. Num gesto de Ed, ele pega a arma que um dos criminosos deixou cair no chão e o ameaça, possibilitando com que a polícia se aproxime e leve o meliante preso.

O taxista recebe em sua caixa de correspondência uma carta de baralho, um de seus passatempos, com três endereços. A partir daí ele inicia sua jornada de descobrir o significado desse mistério. Recebe outras cartas.
“Na luz fraca da minha sala, seguro a carta com cuidado, como se ela fosse quebrar ou amassar na minha mão.”

O segundo às tem uma mensagem enigmática: “faça uma oração nas pedras de casa”. Mensagem esta que o leva até três nomes. A terceira carta apresenta o nome de três escritores que, em seguida, o leva até três endereços. A quarta carta revela uma grande surpresa para Ed.

O livro de Markus Zusak, lançado pela Editora Intrínseca em 2007, é carregado de humor e uma dose de leveza. É como se Ed, o personagem-narrador estivesse conversando com o leitor. Assim que comecei a leitura já deu pra sentir que seria daqueles livros que queremos devorar até a última página, e foi mesmo.

O humor pode ser visto já na apresentação que o narrador faz sobre si mesmo.
“...Meu nome completo é Ed Kennedy. Sou taxista, tenho 19 anos. Não sou nada diferente de outros jovens daqui destes subúrbios – não tenho lá muitos planos pro futuro, e as possibilidades são poucas. Tirando isso, leio mais livros do que deveria, sou um zero à esquerda na cama e não entendo nada de imposto de renda. Prazer.”
É uma boa dica de leitura!


Ficha Técnica
Título: Eu sou o mensageiro
Escritor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
ISBN: 978-85-98078-29-8
Edição:
Número de Páginas: 318
Ano: 2007
Assunto: Romance australiano


Lista de 5 excelentes livros de Agatha Christie


1 – E não sobrou nenhum 
Título original:  Ten little niggers (O caso dos dez negrinhos)
O livro foi publicado em 1939. Além de ser um dos livros mais vendidos de Agatha Christie é um dos best-sellers de todos os tempos. No Brasil o livro foi publicado em meados de 1950 com o título de “O vingador invisível”, em 2007 foi lançado com o nome “E não sobrou nenhum”.
Nos Estados Unidos o livro sofreu algumas implicações com o seu nome “O caso dos dez negrinhos”, daí o fato de ter sido mudado.
Dez pessoas diferentes recebem um mesmo convite para passar um fim de semana na remota Ilha do Soldado. Na primeira noite, após o jantar, elas ouvem uma voz acusando cada uma de um crime oculto cometido no passado. Mortes inexplicáveis e inescapáveis então se sucedem. E a cada convidado eliminado, também desaparece um dos soldadinhos que enfeitam a mesa de jantar. Quem poderia saber dos dez crimes distintos? Quem se arvoraria em ser juíz e carrasco? Como escapar da próxima execução?

2 – Assassinato no Expresso do Oriente
Título original: Murder on the Orient Express 
Publicado em 1934 é protagonizado pelo detetive belga Hercule Poirot. O livro foi roteirizado para o cinema.
Pouco depois da meia-noite, uma tempestade de neve pára o Expresso do Oriente nos trilhos. O luxuoso trem está surpreendentemente cheio para essa época do ano. Mas, na manhã seguinte, há um passageiro a menos. Um  americano é encontrado morto em sua cabina, com doze facadas, e a porta estava trancada por dentro. Pistas falsas são colocadas no caminho de Hercule Poirot para tentar mantê-lo fora de cena, mas, num dramático desenlace, ele apresenta não uma, mas duas soluções para o crime. 

3 – Assassinato de Roger Ackroyd
Título original: The murder of Roger Ackroyd
A publicação foi realizada em 1926. O livro é considerado uma das obras-primas da Rainha do Crime, ainda que seu final tenha sido inédito e completamente  fora do esperado nos romances policiais.
Três mortes estranhas em seqüência despertam grande curiosidade na moradora de uma pequena vila inglesa. Ela tem então por vizinho um visitante, chamado Hércule Poirot. Essas três mortes envolvem respectivamente um assassinato, um suicídio e um segundo assassinato. O primeiro corpo é do marido de uma mulher que, depois, se suicida. Seu suicídio é seguido pela morte de um terceiro homem, que se descobre ser amante dela. A mulher, por sua vez, estava sendo chantageada em função de ter matado o marido para ficar com o amante. O assassino de seu amante talvez seja, então, o chantagista, que estava para ser descoberto, ou talvez não seja. Só três pessoas podem descobrir a verdade: a senhora inglesa, o detetive belga e o leitor.

4 – O misterioso caso de Styles
Título original: The mysterious affair at Styles
Livro de estréia de Agatha Christie, foi publicado em 1920. É neste livro que aparece o célebre detetive Hercule Poirot.
Acontecem coisas estranhas em Styles St. Mary. A anfitriã, Emily, madrasta de John e de Lawrence Cavendish, tem o controlo absoluto da fortuna familiar desde que o marido morreu. É natural que muitos fiquem bastante preocupados quando Emily decide casar com um homem vinte anos mais novo e ainda por cima com um passado suspeito. O clima de tensão que se sente entre os membros da família Cavendish deixa o capitão Hastings, de visita à mansão, alarmado e convencido de que algo de terrível está para acontecer. E quando os seus piores receios se concretizam e Emily aparece morta no seu quarto, vale-lhe a ajuda do seu velho amigo Hercule Poirot. O reencontro entre ambos é caloroso, mas não dissipa a indefinível e ameaçadora presença do mal.

5 – Cai o pano - Os últimos casos de Poirot
Título original: Curtain
O livro foi publicado em 1975. Segundo relatos o livro foi escrito por Agatha e mantido em segredo até quando ela percebeu que não conseguiria mais escrever. Só aí ele foi publicado. Agatha veio a falecer em 1976. A Rainha do Crime tinha grande apego a seu personagem belga e não queria que ele fosse usado após a sua morte.
Hercule Poirot regressa à mansão de Styles, palco do seu primeiro caso. Na casa está reunido um grupo que muito agrada ao Capitão Hastings. O seu choque é, pois, imenso quando Poirot anuncia que, entre eles, se encontra um assassino implacável. Nenhum dos convidados tem perfil de criminoso, muito pelo contrário. Com o passar dos anos, a saúde do detetive  deteriorou-se. Será que as suas célebres células cinzentas vão desapontá-lo pela primeira vez? 

A evolução de Calpúrnia Tate – Jacqueline Kelly


Sinopse
Calpúrnia Virginia Tate tem 11 anos em 1899, quando pergunta o porquê de os gafanhotos amarelos em seu quintal serem tão maiores do que os verdes... Com uma pequena ajuda de seu notoriamente mal-humorado avô, um ávido naturalista, ela descobre que os gafanhotos verdes são mais fáceis de ser vistos contra a grama amarela e, por isso, são mortos antes que possam ficar maiores.Por gostar de explorar a natureza ao seu redor, Callie acaba criando um relacionamento próximo com seu avô enquanto enfrenta os desafios de viver com seis irmãos e se depara com as dificuldades de ser uma garota na virada do século.Em seu livro de estreia, Jacqueline Kelly habilmente traz Callie e sua família para a vida, capturando o crescimento de uma jovem com sensibilidade e humor. A evolução de Calpúrnia Tate conquistou dois importantes prêmios em 2010, o Newbery Honor Book e o Bank Street - Josette Frank Award.
A menina Calpurnia vive com seus pais, avô e irmãos no Texas. Ela é quem narra a história do livro “A Evolução de Calpúrnia Tate” da escritora  Jacqueline Kelly, publicado pela Única Editora em 2014. Ao longo de suas 380 páginas conhecemos  a personagem através de sua narrativa.
“Naquele verão eu tinha onze anos e era a única menina entre sete filhos. Dá para imaginar situação pior? Meu nome é Calpúrnia Virgínia Tate, mas naquela época todo mundo me chamava Callie Vee. Eu fazia a ponte entre três irmãos mais velhos – Harry, Sam Houston e Lamar – e três irmãos mais jovens – Travis, Sul Ross e o bebê Jim Browie...”
A menina não tinha um relacionamento muito próximo de seu avô, Walter Tate. Ela o descreve, inicialmente, como “um personagem obscuro”. Mas, a menina que é apaixonada pela teoria naturalista começa a fazer anotações, em uma caderneta de capa vermelha, sobre tudo que vê. Com o incentivo de seu avô, de quem ela se aproxima, justamente pela curiosidade que tem sobre naturalismo, ela vai descortinando o mundo ao seu redor. Walter incentiva a neta a ler “A origem das espécies” de Charles Darwin.

Calpúrnia faz uma descoberta interessante e junto com o seu avô divulga para a sociedade científica.
“... E se não fosse haver nenhuma Ciência para mim, nem artes domésticas, o que sobraria? Onde estaria meu lugar no mundo? Isso era imenso demais e apavorante demais para pensar: Consolei-me com as palavras do vovô no registro do fóssiel e o Livro de Gênesis: é mais importante entender uma coisa do que gostar dela. Não era necessário gostar para entender; gostar não fazia parte disso.”
Ao longo da narrativa a menina vai contando sobre o seu cotidiano, a relação com seus irmãos e amigos, e sua pretensão futura em se tornar uma cientista.  Não podemos deixar de citar que há o dilema da época em que a história se passa, 1899. Época em que as famílias não pensavam em ver mulheres como cientistas. A de Calpúrnia não é diferente.

Tenho de confessar que esperava mais da história de Calpúrnia, muito embora seja um livro bem escrito, sem dúvida. Contudo, acreditava que poderia ter mais pontos de conflito e/ou controvérsias. Em que pese o fato de a menina viver na virada do século XIX para o século XX, senti falta de uma história mais vibrante. Isto não significa, porém, que seja uma história ruim. Valeu a pena a leitura e recomendaria que outras pessoas lessem.

O livro é a estréia de Jacqueline em romances. A autora exerceu Medicina, Direito e passou a escrever ficção. Em 2001 teve seu primeiro conto publicado.


Ficha Técnica
Título: A evolução de Calpúrnia Tate
Escritora: Jacqueline  Kelly
Editora: Única
ISBN: 978-85-67028-41-5
Edição:
Número de Páginas: 380
Ano: 2014
Assunto: Ficção / Literatura juvenil